Nossos Vídeos

sábado, 3 de julho de 2010

BRÁS COMEMORA SEU 192º ANIVERSÁRIO



Este ano o Bairro do Brás, localizado na zona leste de São Paulo, completou 192 anos.
Fomos pesquisar sobre a história do bairro e encontramos pelo menos três versões diferentes:

Na primeira, aproximadamente em 1760, existiu naquela região, uma chácara de propriedade de um homem chamado José Braz. Em meio as suas terras passava uma estrada, conhecida como 'a Rua do Bráz' que ligava o local ao bairro da Penha, hoje a tal estrada seria a conhecida Avenida Rangel Pestana.

Na segunda versão, existe a hipótese de que o nome do bairro seria em alusão a Brás Cubas, que teria passado pela região e fundado uma vila e a terceira versão é de que a Marquesa de Santos, que era dona de uma grande área de terras por ali, teria um filho cujo nome era Brasílico, e que teria ficado conhecido com o apelido de Bráz.

O fato é que aquelas terras, ficavam entre os bairros da Penha e da Sé entre os limites das fazendas do Engenheiro Carlos Bresser e do Ferrão, que pertenceram à Marquesa de Santos.
Nas imediações, foi construída uma Capela chamada Senhor Bom Jesus de Mattosinhos, que era um ponto de referencia dos moradores da cidade de São Paulo, que na época não tinha mais do que trinta ruas.

Em 08 de Junho de 1818, o imperador D. João VI, lavrou o decreto que transformaria o bairro do Brás numa freguesia.

A partir daí, os imigrantes que chegavam ao porto de Santos de todas as partes do mundo, eram trazidos e acolhidos na Hospedaria de Imigrantes do Brás, onde hoje funciona o Museu de Imigrantes.

Muitos que aqui chegavam eram encaminhados para as lavouras de café no interior do estado. Grande parte dos imigrantes italianos, preferiram residir na Capital e com o crescimento da cafeicultura, muitos deles montaram suas pequenas fábricas e progrediram muito.

A estação de trem Brás, foi inaugurada em 1867 e foi interligada com a estação Roosevelt dois anos mais tarde, com o objetivo de ligar o embarque e desembarque para as composições com destino ao Rio de Janeiro e norte de São Paulo.

O famoso Largo da Concórdia foi formalizado no dia 28/11/1865, pelo presidente da Província Vicente Pires da Mota.

Devido ao grande movimento de fazendeiros e empresários, vários teatros foram inaugurados na Região do Brás, em destaque o Teatro Colombo, inaugurado em 1908 que ficava localizado no Largo da Concórdia, com capacidade para 1968 lugares, 39 camarotes e 24 frisas. Mais tarde, em 1966 o prédio foi destruído por um incêndio e com o tempo, os demais Teatros da região também desapareceram.

Após 1940, uma seca terrível atingiu o Nordeste, e por coincidência do destino, os italianos chegavam por aqui em menor quantidade. Isso fez com que a promessa de trabalho e melhores condições de vida em São Paulo, trouxesse para cá cerca de 1100 nordestinos por dia, que desembarcavam nas estações Brás e Roosevelt, tornando-as popularmente conhecidas como "Estação do Norte".

Em 20/10/1989, nasceu o principal veículo de imprensa do bairro, o "Jornal do Brás", fundado pelos jornalistas Milton George Thame, Cláudio Maiato e Onofre Leite. Até hoje, conhecido e respeitado pelo seu comprometimento pelos serviços em prol da região e pela participação na realização de grandes eventos comemorativos, entre os quais, a tradicional "Tarde do Chá" que reúne na última quarta-feira de cada mês, senhoras da comunidade e da alta sociedade, com a animação de artistas reconhecidos.

Hoje em dia, o Brás possui aproximadamente 70 ruas com farto comércio, por onde transitam turistas e empresários de todos os cantos do Brasil. Possui mais 6 mil lojas, 4 mil fabricantes de roupas e a sua economia gera anualmente uma média de R$7,5 bilhões, com a geração de 150 mil empregos diretos e 250 mil indiretos. Além do mercado interno, os produtos lá produzidos, são exportados para países da América do Sul e América Central.

Em datas comemorativas, seu comércio atrai mais de 500 mil pessoas por dia.

Há nove décadas a comunidade do bairro realiza com fervor a famosa Festa de São Vito que atrai todos os anos mais de 70 mil pessoas com fins sociais, onde o ponto alto é a culinária italiana.
São Vito é considerado o protetor dos jovens, artistas e dependentes de drogas e recebe esta belíssima homenagem que é marca registrada dos moradores e freqüentadores do Brás.

Fonte:
http://www.dicionarioderuas.com.br/logra_impressao.php?t_codigo=11574
http://www.revistafatorbrasil.com.br/
Bairros Paulistanos de A a Z - Autor: Levino Ponciano
http://www.memorialdoimigrante.org.br/
http://www.guialeste.com.br/
http://www.youtube.com/user/freibarrosfreire
http://www.jorbras.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.