Nossos Vídeos

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Seara 100% Natural é destaque na SIAL Innovation Selection Paris 2018 como uma das principais inovações globais


A Seara Alimentos, indústria alimentícia brasileira, participará da SIAL Innovation Selection Paris 2018 com a linha Seara 100% Natural, que foi selecionada como uma das maiores inovações por profissionais do mercado alimentício, como chefs de cozinha, jornalistas e outros especialistas do setor nos quesitos embalagem, posicionamento de marketing e merchandising. A linha apresenta cortes de aves com Certificação Halal, criadas em granjas livres de antibióticos, alimentadas com ração vegetal, e que possuem certificado de bem-estar animal. Para figurar entre os 400 produtos mais inovadores do mundo, divididos em 13 categorias de alimentos, a linha 100% Natural concorreu com mais de 2.300 produtos e será destaque no display do Sial Innovation.

“Os produtos Seara, além de seguirem o compromisso da Companhia com aInovação e Qualidade, possuem certificação internacional, que reforça nossa dedicação com processos produtivos, contribuindo para que o Brasil seja conhecido pela excelência na exportação de aves. Além disso, nosso trabalho é oferecer o melhor serviço ao cliente para que nossos produtos cheguem em mais lares pelo mundo”, afirma Joanita Karoleski, presidente da Seara Alimentos.


A linha 100% Natural foi desenvolvida exclusivamente para o Oriente Médio e começará a ser vendida em novembro em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. A Seara será a primeira empresa alimentícia brasileira a oferecer este tipo de produto, já adequado aos requisitos exigidos pelas normas islâmicas. Além disso, assegura o bem-estar animal e atesta que, em nenhuma etapa da criação, esses frangos receberam qualquer tipo de antibiótico. No Brasil, os produtos da linha 100% Natural foram lançados em 2015 como Seara DaGranja.

Guillermo Henderson, diretor geral da Seara no MENA (Middle East and North Africa), explica: “A Seara vem avançando no Oriente Médio nos últimos anos por meio de alianças com parceiros importantes em múltiplos canais, a meta da companhia é fortalecer esses relacionamentos por meio de produtos e inovações que atendam às necessidades e preferência locais, alinhadas com as tendências globais. Por isso, os lançamentos da Seara para a SIAL 2018 foram desenvolvidos exclusivamente para o Oriente Médio com produtos que atestam o compromisso da Companhia com o Q de Qualidade, desde o campo até a entrega do produto ao consumidor“.

“Esse será o primeiro mercado fora do Brasil a receber essa inovação. Antes de iniciar o processo de exportação para o Oriente Médio, a Seara testou produtos e conceitos com consumidores locais e os resultados já são um sucesso”, afirma Marcos Delorenzo, diretor de Marketing e Novos Negócios da Seara MENA (Middle East and North Africa). Além da 100% Natural, a Seara apresenta outros lançamentos no evento, como a linha Perfect Cuts, que são cortes de frango feitos a mão, ideais para o preparo de receitas tradicionais locais como o Shish Taouk. “O objetivo é trazer cada vez mais inovação e variedade ao nosso portfólio”, complementa Delorenzo.

A SIAL Innovation Paris 2018, que acontece entre os dias 21 a 25 de outubro no Parque de Exibições de Paris, é um dos principais eventos mundiais do setor alimentício e fonte de tendências para a indústria. Na edição deste ano, a feira está focada em apresentar novas experiências em alimentos e bebidas naturais seguindo critérios, proveniência, segurança e sustentabilidade. Desde ingredientes até equipamentos e mercadorias finais são expostos, englobando tudo o que é oferecido no setor. A Seara apresentará a gama de inovações de sua área internacional em seu estande 6 L 102.





quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Prefeitura de São Paulo lança o Observatório da Gastronomia

Com a participação do poder público, sociedade civil e setor privado ações de fortalecimento do setor serão planejadas

São Paulo é uma das principais cidades do mundo no setor de alimentação e gastronomia. A capital paulista conta com cerca de 6% da população trabalhando com serviços de alimentação, mais de 23 mil restaurantes com culinária de diversos países do mundo, comida de rua, forte sistema de abastecimento, 13 cursos de universidades voltados à gastronomia, além de 30% da área voltada à agricultura familiar.

A gastronomia paulistana é reconhecida mundialmente não só pelos seus números, mas pela sua qualidade. Em 2018, recebeu o título de Capital da Gastronomia pelo Sirha (Salon Internacional de la Restauration, de l’hôtellerie et de l’ Alimentation) – e também conquistou o título de Capital Ibero-Americana da Cultura Gastronômica 2018, concedida pela Academia Ibero-Americana de Gastronomia.

Mesmo sendo um setor forte e estruturado, ainda existem diversas demandas e desafios para fomentar a atividade gerando novos empreendimentos, emprego e renda para a população.

Com esse objetivo, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico de São Paulo em conjunto com o setor privado e a sociedade civil estruturaram o Observatório da Gastronomia, lançado dia 16 de outubro, na Praça das Artes, no centro da capital.

O Observatório da Gastronomia é um colegiado de articulação direcionado ao fortalecimento da cadeia da alimentação e da gastronomia. Trabalhando em conjunto com todos aqueles que atuam nesse setor, o Observatório visa potencializar os aspectos ligados à economia, cultura, segurança alimentar e sustentabilidade.

“São Paulo conta com pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo, que trouxeram sua cultura e culinária enriquecendo a gastronomia paulistana. Precisamos explorar ainda mais esse potencial econômico e cultural da cidade, por isso o Observatório é essencial para entendermos as oportunidades e necessidades do setor nas áreas de produção, distribuição, infraestrutura, educação, inovação e empreendedorismo”, afirma a secretária de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso.

A titular da pasta, ainda destacou o Dia Mundial da Alimentação, comemorado no dia 16 de outubro, como um marco da mudança estratégica da gestão municipal neste assunto. “Desde o ano passado, nossas equipes tem buscado uma visão mais estratégica e estruturada da segurança alimentar para a cidade. Temos dado ênfase ao tema, também, pelo potencial econômico, sendo essa data a celebração de uma nova visão de política pública, que inclui o Observatório da Gastronomia e todos os atores sociais que o viabilizaram”, salienta Aline Cardoso.

Por meio do Observatório da Gastronomia, a Secretaria irá implantar programas voltados à promoção da segurança alimentar, do desenvolvimento econômico, geração de renda, apoiar atividades empreendedoras e capacitação de talentos, além de assegurar a implementação da política de segurança alimentar e nutricional da Prefeitura.

Uma das metas do Observatório é a inclusão de São Paulo na Rede Cidades Criativas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura da Unesco.

O órgão também utilizará equipamentos públicos para desenvolver cursos e criar espaços para troca e compartilhamento de informações sobre alimentação, tendências e negócios.

O Observatório da Gastronomia atua por meio de quatro comitês temáticos, formado por especialistas de cada um dos setores. O comitê Comida de Rua trabalha na análise constante da legislação, de modo a atender as demandas desses profissionais de forma apropriada, garantindo a satisfação da população.

Outro comitê tem como objetivo o Combate ao Desperdício, onde são propostas ações voltadas a evitar o desperdício de alimentos, ampliar o reaproveitamento e combater a insegurança alimentar.

Já a área de Imagem e Patrimônio Gastronômico de São Paulo atua para preservar, fomentar e valorizar a cultura gastronômica paulistana. E o comitê de Qualificação e Inclusão Profissional contribui para o fortalecimento da qualificação profissional nos equipamentos públicos de gastronomia da cidade de São Paulo.

Combate ao Desperdício de Alimentos

A cidade de São Paulo conta, desde 15 de outubro, com o Programa Municipal de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos. Lançada no Mercado Kinjo Yamato, pela secretária de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso, a campanha tem como objetivo arrecadar alimentos em boas condições para o consumo, mas que seriam descartados por não terem valor comercial. As doações serão destinadas ao Banco de Alimentos da Prefeitura de São Paulo, que repassará para pessoas em situação de insegurança alimentar.

“Além de realizar a campanha nos equipamentos públicos, o objetivo da Prefeitura de São Paulo é conscientizar as pessoas para não desperdiçar os alimentos e também reaproveita-los, promovendo a melhoria da nutrição da população e diminuindo a produção de resíduos orgânicos”, explica a secretária.


Expansão da Campanha

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico realizou durante um ano no Mercado Kinjo Yamato, na zona central da cidade, o projeto-piloto de Combate ao Desperdício, que foi expandido em 2018 para o Mercado Central Pari e o Mercado de Pinheiros. Nesse período foram arrecadadas mais de 53 toneladas de alimentos que iriam para o lixo.

A Prefeitura de São Paulo tem como objetivo expandir a campanha para os outros 12 mercados municipais, 18 sacolões e 880 feiras livre, além de equipamentos públicos que manipulem alimentos.

Para incentivar os permissionários a aderir à campanha, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico criou o selo do Combate ao Desperdício, que será distribuído aos vendedores que participarem da ação. Assim, eles poderão assegurar ao cliente que é um estabelecimento socialmente responsável.
A ação é desenvolvida pela Coordenadoria de Segurança Alimentar e Nutricional (Cosan), da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, e integra o Plano Municipal de Segurança Alimentar (Plamsan). Um dos objetivos da Cosan é promover campanhas de sensibilização da sociedade para a propagação de posturas de promoção a Segurança Alimentar e Nutricional.