FIQUE POR DENTRO

sexta-feira, 24 de maio de 2024

13º Aniversário da ACAAPESP é Celebrado com Honrarias e Lançamentos na Assembleia Legislativa de São Paulo




    A Associação dos Consultores, Assessores e Articuladores Políticos do Estado de São Paulo (ACAAPESP) comemorou ontem (23/5) seu 13º aniversário em grande estilo, com uma cerimônia repleta de homenagens e novidades, realizada na Assembleia Legislativa de São Paulo. O evento contou com a presença de diversas personalidades do cenário político e social, destacando a importância crescente da assessoria política no Brasil.

    A solenidade foi presidida pelo jornalista e fundador da ACAAPESP, Sérgio Osicran, e pelo atual presidente, Alan Montoro. Entre os ilustres convidados, marcaram presença Thiaguinho, Presidente da Câmara de Itapevi, o Vice-Prefeito de Vargem Grande Paulista, Capitão Evandro Teixeira, o Dr. Leonardo Avalanche, Presidente Nacional do PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro), o Ex-Deputado Marcio Camargo, conhecido pela criação da lei que instituiu o Dia do Assessor Político, Dr. Carlos Foganholi, Presidente do Instituto Foganholi, Brasil Faria de Sá Junior e Dr. Renato Del Mora, Presidente da Associação dos Escrivães, entre outros.

    Durante o evento, Sérgio Osicran destacou a trajetória da ACAAPESP ao longo dos anos, ressaltando suas conquistas e a importância do trabalho dos assessores e articuladores políticos para o fortalecimento da democracia. "A assessoria política é um pilar fundamental na construção de uma sociedade mais justa e transparente. Celebrar esses 13 anos é reconhecer o valor e a dedicação de todos os profissionais que atuam nessa área", afirmou Osicran.

    Uma das grandes novidades anunciadas durante a cerimônia foi o lançamento da carteira funcional de Assessor Político, um documento que em breve será reconhecido pelo governo federal. "Esta iniciativa visa legitimar e valorizar ainda mais a profissão, proporcionando aos assessores políticos o devido reconhecimento e suporte para o exercício de suas funções", disse o Presidente Alan Montoro.

    Além disso, a ACAAPESP revelou a criação de um curso de formação em Assessoria e Articulação Política, que será oferecido em sua sede. Este curso tem como objetivo capacitar novos profissionais para atuar de maneira eficiente e ética no campo da assessoria política, contribuindo para a melhoria contínua das práticas políticas no país.

    O evento também foi marcado por emocionantes homenagens aos profissionais que se destacaram ao longo dos anos, fortalecendo a rede de assessores políticos em São Paulo e no Brasil. Diversas lideranças comunitárias e membros da imprensa e da cultura receberam diplomas comemorativos e foram aplaudidos por suas contribuições significativas ao campo da política e assessoria. No ato, também foram entregues as primeiras carteiras funcionais aos membros atuantes da ACAAPESP.

    Nosso jornal Port@Leste, através da jornalista Claudia Souza, agradece a homenagem recebida pela ACAAPESP e parabeniza toda a diretoria e seus membros pelo seu 13º aniversário. 

    A celebração do 13º aniversário da ACAAPESP não apenas relembrou as conquistas passadas, mas também apontou para um futuro promissor, com iniciativas que buscam consolidar a importância da assessoria política e ampliar seu impacto positivo na sociedade. A noite terminou com um grito em coral de guerra de "VITÓRIA!" entoado pelo Presidente da ACAAPESP Alan Montoro e logo após, parte do grupo dirigiu-se à sede da associação onde os convidados puderam trocar experiências e fortalecer laços em lives ao vivo madrugada a dentro,  reafirmando o compromisso coletivo com uma política mais acessível e participativa.

 

Sobre a ACAAPESP: 

A Associação dos Consultores, Assessores e Articuladores Políticos do Estado de São Paulo (ACAAPESP) é uma entidade dedicada a promover o desenvolvimento e a valorização dos profissionais de assessoria e articulação política, contribuindo para a transparência e eficácia das práticas políticas no Brasil. Fundada por Sérgio Osicran, a ACAAPESP oferece cursos, eventos e uma rede de apoio para seus associados, buscando sempre o aprimoramento e reconhecimento da profissão.

Mais informações: www.acaapesp.org.br


quinta-feira, 16 de maio de 2024

A Insensibilidade da Globo: Comparação Inapropriada de Eliane Cantanhêde

Eliane Cantanhêde erra feio em comparação. Pegou muito mal...



Por: Claudia Souza

    A recente comparação feita pela jornalista Eliane Cantanhêde da Rede Globo, entre a trágica enchente no Rio Grande do Sul e a perda de suas joias revela uma desconexão perturbadora entre a realidade vivida por milhares de pessoas e a percepção distorcida de quem habita uma bolha privilegiada. Este incidente não é apenas uma falha de sensibilidade, mas também uma demonstração de como a assessoria de imprensa do governo Lula pode ser incapaz de compreender e respeitar as verdadeiras consequências das tragédias que assolam o povo brasileiro.

    No Rio Grande do Sul, enchentes devastadoras destruíram mais de 400 municípios, ceifaram vidas de crianças e famílias inteiras, e deixaram um rastro de destruição material que afetará a região por anos. O sofrimento é palpável e real, refletido nas histórias de famílias desabrigadas, na perda de entes queridos e na destruição de lares e meios de subsistência.  As enchentes no Rio Grande do Sul, que começaram no final de abril de 2024, afetaram 417 municípios, resultando em mais de 100 mortes confirmadas e aproximadamente 1,5 milhão de pessoas afetadas diretamente. Dentre estas, 66.761 pessoas estão em abrigos e 163.720 estão desalojadas​ (Correio Braziliense)​​ (Brasil Escola)​, (até a presente data, as buscas ainda continuam).

    A tentativa de demonstrar empatia através de uma experiência pessoal de perda de joias revela uma falha fundamental em entender a magnitude da tragédia. A comparação de uma perda material, por mais dolorosa que possa ser para o indivíduo, com a devastação de vidas humanas e comunidades inteiras é uma trivialização inaceitável do sofrimento alheio. Essa analogia inadequada é um reflexo claro de uma bolha ideológica que distorce a percepção da realidade, minimizando as experiências e dores dos menos privilegiados.

    A reação pública à declaração de Cantanhêde não é surpreendente. Sua comparação foi amplamente vista como uma demonstração de desconexão e falta de empatia, expondo uma visão distorcida que ignora a gravidade das tragédias enfrentadas por milhões de brasileiros. É um lembrete amargo de como algumas vozes influentes no jornalismo podem falhar em representar e compreender verdadeiramente a sociedade que pretendem informar. Essa falha não parece ser apenas pessoal, mas também profissional. Como jornalista, Cantanhêde tem a responsabilidade de abordar as notícias com uma sensibilidade e compreensão que reflitam a gravidade dos eventos. Suas palavras deveriam ser uma ponte para a realidade, não um reflexo distorcido de uma experiência pessoal desconectada. A comparação feita não apenas falha em transmitir a seriedade da situação no Rio Grande do Sul, mas também desrespeita as vítimas e suas famílias, cuja dor e perda são incalculáveis.

    A situação exige uma reflexão profunda sobre o papel da mídia e dos jornalistas na construção de narrativas que realmente representem a realidade do país. É imperativo que os profissionais de comunicação saiam de suas bolhas ideológicas e privilegiadas para entender e transmitir a verdadeira dimensão das tragédias que reportam. A falsa empatia e a compreensão equivocada das dificuldades enfrentadas pela população são essenciais para um jornalismo responsável e sensível e faltaram nos últimos dias nas demonstrações de William Bonner e Eliane Cantanhêde em suas últimas abordagens, demonstrando a vulgaridade e futilidade de personagens antes acostumados com o glamour da telinha subversiva que mantinha o público cativo, apenas por falta de opção. 

    A emissora e seus jornalistas estão desesperados para acabar com a liberdade de expressão popular e a liberdade de imprensa, massacrando o público e jornalistas independentes com rótulos de "disseminadores de Fake News" e narrativas de que somente eles é que estão com a verdade. Lamentavelmente só nessa semana, foram desmascarados com produções de fake news através de suas apresentadoras Daniela Lima e Natuza Nery,  ambas desmascaradas em rede nacional.

    A comparação feita por Eliane Cantanhêde serve como um triste lembrete da distância que ainda existe entre as experiências das elites e as realidades das massas. É uma chamada à ação para todos os jornalistas e comunicadores: é necessário descer de suas torres de marfim e conectar-se verdadeiramente com as histórias e sofrimentos do povo brasileiro. Somente assim, poderemos começar a construir uma sociedade mais empática, justa e consciente das verdadeiras consequências das tragédias que enfrentamos.



quarta-feira, 15 de maio de 2024

Desenrola para pequenos negócios: tire suas dúvidas sobre a renegociação de dívidas


MEI, ME e EPP podem renegociar débitos em atraso há mais de 90 dias; não há limite de valor e nem tempo máximo de atraso


Iniciado nesta semana, o programa Desenrola Pequenos Negócios, voltado à renegociação de dívidas de microempreendedores individuais (MEIs), microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP), é uma oportunidade importante de regularizar a situação financeira da empresa para alçar voos maiores. Para auxiliar os empreendedores do país, o Sebrae produziu um breve “perguntas e respostas”. Confira:

O que é o Desenrola Pequenos Negócios?

Um dos pilares do programa Acredita Brasil, a iniciativa permite que MEIs (microempreendedores), ME (microempresas) e EPP (empresas de pequeno porte) -- que são os negócios com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões -- possam renegociar suas dívidas em atraso com instituições financeiras. O programa do governo federal tem como objetivo fortalecer o ambiente de negócios e impulsionar o crescimento econômico do país, contribuindo com a regularização de negócios endividados e que enfrentam dificuldades estruturais para restabelecer as suas finanças, o que vai gerar mais renda e inclusão.

Como posso participar?

As suas dívidas devem estar em atraso há mais de 90 dias, contados a partir do dia 23 de abril de 2024. Empresas com débitos antigos, independentemente dos valores, podem participar! Basta procurar a instituição financeira e verificar quais são as condições específicas para a sua empresa. Os descontos poderão atingir até 90% da dívida. Portanto, é importante verificar a proposta com o banco e analisar suas vantagens para poder regularizar o cadastro, reequilibrar as finanças e dar o próximo passo na sustentabilidade e crescimento da empresa.

Como obter apoio e suporte para fazer o planejamento e buscar uma renegociação de fato vantajosa?
O Sebrae pode te ajudar! É fundamental planejar para realizar uma boa renegociação na instituição financeira. Na plataforma www.sebrae.com.br/creditoconsciente, você poderá baixar gratuitamente a calculadora de Planejamento Financeiro Empresarial. De forma simples, essa ferramenta vai fazer com que você analise a situação financeira do seu negócio e projete os valores das parcelas da renegociação com o objetivo de descobrir se elas estarão compatíveis com o movimento financeiro da sua empresa. Além de identificar a capacidade de pagamento das parcelas futuras, proporcionará uma gestão dos principais dados financeiros do seu negócio: custos, receitas, fluxo de caixa, capital de giro e muito mais. O Sebrae te ajuda a planejar com mais segurança e consciência para que você possa tomar as melhores decisões para o seu negócio.

Meu banco não está cadastrado no programa. E agora?

O Desenrola também é positivo para as instituições financeiras, pois receberão estímulos do governo para participar. Mas, caso seu banco ainda assim não aderir, você pode pedir portabilidade e renegociar com outras instituições.

Como buscar renegociações mais vantajosas?

Na calculadora disponível no Portal Sebrae Crédito Consciente [www.sebrae.com.br/creditoconsciente], é possível avaliar se a oferta do banco é interessante diante das suas condições de custo e faturamento. Basta projetar o valor das parcelas, lançar as informações financeiras gerais de sua empresa e analisar se na projeção futura o seu negócio terá condições de suportar o valor das novas parcelas propostas pelo banco. Se não for, a portabilidade também vale nesse caso. Só não se esqueça de fazer um bom planejamento financeiro para aproveitar essa oportunidade de forma duradoura.

Tem diferença negociar no banco, no Serasa ou no Desenrola?

O Desenrola tende a ofertar condições especiais, com possibilidades de descontos e outras vantagens, já as instituições financeiras recebem estímulos do governo federal para participar. Os descontos poderão variar de 40 a 90% do valor do endividamento. Portanto, procure o seu banco e veja qual é a condição proposta para o seu negócio.



A Mente Reptiliana dos Ministros do Supremo Tribunal Federal: Uma Análise Crítica (Por: Claudia Souza)





A expressão "mente reptiliana" é frequentemente utilizada de forma metafórica para descrever comportamentos considerados frios, calculistas e, em certa medida, autoritários. No contexto das decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil, essa metáfora pode ser evocada para criticar determinadas práticas judiciais, especialmente no que diz respeito às decisões monocráticas e à aparente falta de devido processo legal.

Decisões monocráticas são aquelas tomadas individualmente por um único ministro, sem a necessidade de consulta ou concordância dos demais membros do tribunal. Embora tais decisões possam ser justificadas em casos de urgência ou em situações excepcionais, seu uso excessivo levanta sérias preocupações.

Uma das principais críticas às decisões monocráticas é a concentração de poder nas mãos de um único ministro. O STF, como guardião da Constituição, deveria operar com base no colegiado, onde a diversidade de opiniões e a troca de argumentos enriquecem e legitimam as decisões. Quando um único ministro decide, essa riqueza se perde, e a percepção de justiça é comprometida.

A prática constante de decisões monocráticas pode ser vista como uma ameaça à democracia. Em um sistema democrático, as decisões que afetam a sociedade devem ser tomadas de maneira transparente e participativa. Quando ministros decidem sozinhos, sem debate público ou consulta aos colegas, há um enfraquecimento da accountability, um dos pilares da democracia.

Outro ponto crítico é a suposta falta de devido processo legal em algumas das decisões do STF. O devido processo é um princípio fundamental do direito, assegurando que todas as partes envolvidas em um litígio tenham a oportunidade de apresentar seus argumentos e provas antes de qualquer decisão ser tomada.

Existem alegações de que, em certos casos, decisões do STF têm sido proferidas sem a devida análise de todas as evidências e argumentos apresentados pelas partes envolvidas. Isso pode ocorrer, por exemplo, em decisões liminares, onde a urgência do caso pode justificar uma análise superficial, mas não deveria ser a regra.

Consequências para a Justiça:

A falta de um processo adequado compromete a justiça das decisões. Quando um tribunal de última instância toma decisões sem considerar todos os aspectos e sem permitir a ampla defesa, há um risco elevado de erros judiciais. Isso pode resultar em injustiças graves, afetando diretamente a vida das pessoas e a estabilidade jurídica do país.

Descrever as ações dos ministros do STF como "mente reptiliana" é, sem dúvida, uma crítica severa, mas que busca destacar comportamentos percebidos como insensíveis e autoritários. Tal crítica aponta para uma necessidade urgente de revisão das práticas do tribunal, com o objetivo de promover maior transparência, colegialidade e respeito ao devido processo legal.


Caminhos para a Reforma: 

Para combater essa percepção negativa, algumas reformas podem ser sugeridas:

Redução das Decisões Monocráticas: Limitar as decisões monocráticas a casos realmente excepcionais, incentivando o debate colegiado.

Transparência nos Processos: Aumentar a transparência das deliberações do STF, permitindo maior participação pública e acompanhamento das decisões.

Fortalecimento do Devido Processo: Assegurar que todas as decisões respeitem rigorosamente o devido processo legal, com análise completa dos argumentos e provas.

#LiberdadeDeImprensa #JornalismoImporta #DefendaALiberdadeDeImprensa #FaleATruth #NãoÀCensura



Salário Minimo em SP sofre reajuste acima da inflação no governo Tarcisio de Freitas


Pelo 2º ano seguido, piso em São Paulo sobe acima da inflação e supera em 16% o pagamento nacional; Reajuste em 2 anos ultrapassa 27%



A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou, nesta terça-feira (14), o projeto de lei 301/2024 proposto pelo governador Tarcísio de Freitas que fixa em R$ 1.640 o valor do salário mínimo paulista. O novo piso representa um valor acima da inflação pelo segundo ano seguido e aumento acumulado de até 27,7% em relação ao piso estadual de 2022.

A proposta de reajuste do valor do salário mínimo paulista foi enviada à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) pelo Governo de SP em 30 de maio, com valor 16,1% acima do salário mínimo do Governo Federal, estabelecido em R$ 1.412 desde o início deste ano. Aprovado pelos parlamentares, o PL segue para sanção do governador Tarcísio de Freitas.

"Nosso agradecimento aos deputados estaduais pelo empenho e agilidade em aprovar o novo salário mínimo paulista. Desde 2023, nossa gestão tem o compromisso de promover mais dignidade para a população, e o aumento na remuneração tem impacto direto nesse propósito. Este foi um passo fundamental para que o salário de R$ 1.640 se torne realidade", afirmou Tarcísio.

O piso estadual de R$ 1.640 é 5,8% mais alto que o valor estabelecido desde junho de 2023, de R$ 1.550. O reajuste proposto pelo Governo de São Paulo para 2024 também representa um aumento real em relação à inflação oficial acumulada dos últimos 12 meses, segundo o IBGE.

Em 2023, primeiro ano da atual gestão, o Palácio dos Bandeirantes propôs aumentos de 20,7% e 18,7% para as duas faixas existentes dos referenciais salariais, que eram de R$ 1.280 e R$ 1.306. A lei aprovada pela Alesp no ano passado também unificou o piso estadual para 70 categorias profissionais específicas que têm direito ao salário mínimo paulista.

Criado em 2007, o piso estadual permite que trabalhadores paulistas recebam remunerações acima do salário mínimo nacional. Os valores propostos pelo Governo do Estado levam em conta as condições de demanda de mão-de-obra e custo de vida em São Paulo, incorporando especificidades do mercado de trabalho local.

sexta-feira, 10 de maio de 2024

Polícia Civil de SP envia 20 toneladas de doações e novo efetivo ao Rio Grande do Sul


Mais oito policiais civis paulistas somam esforços com equipes da PM e Corpo de Bombeiros na região


A Polícia Civil de São Paulo enviou mais de 20 toneladas de doações para as vítimas das chuvas no Rio Grande do Sul. Os donativos foram arrecadados por meio de uma campanha do Grupo Especial de Reação (GER).

A corporação também destacou uma equipe de oito policiais para escoltar as doações e auxiliar nos resgates no estado gaúcho, somando esforços com a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros de SP, como explicou Ruy Mello, delegado assistente da Divisão de Operações Especiais.

“O Departamento de Operações Policiais Estratégicas serviu como posto de coleta de doações. O DOPE ainda enviou para o Rio Grande do Sul uma força-tarefa composta por sete policias do GER mais um policial do Serviço Aerotático da Polícia (SAT), que vão tranportar as 20 toneladas de mantimentos e vestimentas que foram doados e vão permanecer lá por tempo indefinido”, afirmou.

Foram recolhidos agasalhos, roupas de cama, produtos de limpeza e higiene pessoal, além de alimentos não perecíveis.

Deatur recebe doações

A Divisão Especializada de Atendimento ao Turista (Deatur), da Polícia Civil, também está recebendo doações em pontos de arrecadações montados nos aeroportos de Congonhas, Guarulhos e Viracopos, além do Porto de Santos. Já são mais de 30 toneladas de arrecadações enviadas ao Rio Grande do Sul.

Além das doações arrecadadas pela Polícia Civil, o Governo de São Paulo está recebendo donativos por meio de campanhas de diversos órgãos, como Fundo Social, Defesa Civil, CPTM, Metrô, Sabesp e Poupatempo.

quarta-feira, 8 de maio de 2024

Após 11 dias o Navio de Guerra "Atlântico" deve chegar ao Rio Grande do Sul em socorro às vítimas das inundações



    Marinha do Brasil Intensifica Operações de Resgate após Fortes Chuvas no Rio Grande do Sul

    Após as intensas chuvas que afetaram o estado do Rio Grande do Sul, a Marinha do Brasil (MB) mobilizou uma ampla operação de resgate e assistência à população. Com o objetivo de auxiliar as autoridades locais e socorrer as vítimas das enchentes, a MB disponibilizou uma variedade de recursos, incluindo aeronaves, embarcações, viaturas e equipes de militares altamente treinados. Desde o dia 30 de abril, a MB tem estado ativamente envolvida nas operações de resgate, em colaboração com as autoridades estaduais e municipais. As ações se intensificaram nos últimos dias, com a mobilização de uma série de meios e pessoal especializado.

    No domingo (5 de maio), cerca de 40 pessoas foram resgatadas pelas equipes da MB, incluindo dois bebês e uma mulher grávida de gêmeos, além de animais domésticos. No total, mais de 100 pessoas em situação de risco foram retiradas das áreas afetadas pelas enchentes. As aeronaves têm desempenhado um papel fundamental nas operações, permitindo o acesso a áreas de difícil alcance e resgatando pessoas ilhadas. 

    Helicópteros de diferentes esquadrões de helicópteros de emprego geral têm sido empregados para esse fim, incluindo o 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Sul (EsqdHU-51), o 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (EsqdHU-1), o 2º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (EsdqHU-2) e o 1° Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Oeste (EsqdHU-61).  Além das operações de busca e resgate, a MB também está envolvida no transporte de alimentos, água e combustível para as áreas afetadas. No último final de semana, toneladas de mantimentos foram transportadas para a região de Lajeado, junto com querosene de aviação para abastecer aeronaves envolvidas nas operações de resgate.

    Para intensificar ainda mais os esforços de socorro, a MB ativou um Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais em Apoio à Defesa Civil, que será enviado para Canoas-RS. Este grupamento inclui um Hospital de Campanha com capacidade para até 40 leitos, além de profissionais de saúde da Unidade Médica Expedicionária da Marinha (UMEM). O contingente, composto por 300 militares, 50 viaturas e 31 embarcações, irá atuar na desobstrução de vias, resgate de pessoas isoladas e distribuição de suprimentos essenciais. O Hospital de Campanha e parte dos militares estão sendo transportados pela aeronave KC-390 da FAB, enquanto o restante do pessoal e equipamentos seguirá pelo mar a bordo do Navio Aeródromo Multipropósito “Atlântico” que deverá chegar somente no sábado (11 de maio).

    A MB continuará a intensificar suas operações de resgate com o envio de mais recursos para o estado. O Navio-Aeródromo Multipropósito “Atlântico”, maior navio de guerra da América Latina, partiu hoje (8/5) da Base Naval do Rio de Janeiro com destino à cidade de Rio Grande (RS). Este navio, juntamente com outras embarcações e aeronaves mobilizadas, aumentará significativamente a capacidade de apoio às populações afetadas pelas enchentes. A MB reitera seu compromisso em proteger e assistir a população em situações de emergência, demonstrando sua prontidão operacional e capacidade expedicionária para enfrentar desafios dessa natureza. As operações de resgate e assistência continuarão sendo coordenadas em estreita colaboração com as autoridades locais e outros órgãos envolvidos na resposta a desastres naturais.