Nossos Vídeos

quarta-feira, 29 de junho de 2022

Gael - Cozinha Mestiça é opção para comemorar o Dia da Pizza

As saborosas 'Pizzas da Padoca', em referência à Padoca Filosófica, também estão no cardápio do restaurante e são boas pedidas para a data


No décimo dia do mês de julho, é comemorado o Dia da Pizza, prato que tem, na cidade de São Paulo, uma de suas referências. O Gael – Cozinha Mestiça, conhecido pela diversidade gastronômica em seu menu, incluiu as “Pizzas da Padoca” dando ainda mais variedade ao seu público. A ação faz parte da parceria realizada com a Padoca Filosófica, já que ambas ficam no mesmo conglomerado de casas, e cada uma pode ofertar o menu da outra.

Preparados com farinha italiana e fermentação de longa duração, possuem 25 cm de diâmetro. Dentre os dez sabores da queridinha dos paulistanos estão: Castelões (R$ 52,00) - calabresa artesanal cozida, mussarela e parmesão –; Gratinada (R$ 52,00) - gorgonzola, mussarela, parmesão e requeijão da Padoca – e Zucchini (R$ 49,00) - Abobrinha, mussarela, parmesão, requeijão da Padoca e manjericão. Para aqueles que não incluem nada de origem animal em sua alimentação, a indicação é a Vegana (R$ 52,00), com abobrinha, cogumelo, cebola assada e ricota de castanha.

Portanto, de segunda à sábado, das 18h às 23h, não importa se o cliente estiver sentado no Gael – Cozinha Mestiça ou na Padoca, o pedido poderá ser o mesmo: pizza.

Sobre Gael - Cozinha Mestiça


O Gael – Cozinha Mestiça abriu suas portas em Pinheiros, no fim de 2019, para oferecer à região acolhimento e charme, seja no menu ou no ambiente. É o novo restaurante que traz a cozinha de casa, revisitada, com outros temperos e apresentações, mas sem pretensões. Assim como seu nome, de etimologia desconhecida, não segue apenas uma escola culinária ou referência gastronômica, mas sim apresenta uma curadoria de opções, realizada de forma coletiva, para se comer e beber bem. Traz aquele bolinho de arroz inesquecível da tia paulista, a bruschetta de tomate do avô italiano, a polenta com ragu de linguiça da casa da amiga caipira, a sopa de feijão e couve da fazenda.

Para abrigar sua proposta plural, o Gael só poderia estar em uma verdadeira vila de Pinheiros. Por trás do portão verde de estilo antigo, que carrega o número 322 na Ferreira de Araújo, está um corredor estreito que leva às três casas que compõe os quatro ambientes do restaurante. Mantendo a arquitetura tradicional do bairro, mostra em cada um deles diversidade de temperamentos, com o jardim arborizado com sua imensa pitangueira no centro, à Sala da Vovó, como é apelidado um deles, ou o lounge em frente ao bar, feito em cimento branco com almofadas coloridas. Para almoçar sozinho, comer entre amigos, beber em família, aproveitar um fim de tarde de bons drinks e petiscos. Como diz seu manifesto no cardápio: ‘o importante é ser saboroso’.

Serviço - Gael
Endereço: Rua Ferreira de Araújo, 322 - Pinheiros
Horário de Funcionamento:
- Segunda a quinta: 12h às 15h30 e 18h às 23h;
- Sexta a Domingo: 12h às 23h;
Telefone: (11) 91015-6005
Instagram: @gaelcozinhamestica


***

Precisa de uma ajudinha para medir a massa da sua pizza?
Esse medidor pode te ajudar!
É um tapete de silicone antiaderente para Pizza, bolo e massas





domingo, 26 de junho de 2022

Maior festival japonês de rua do mundo estará de volta em julho na capital paulista

O Tanabata Matsuri terá a sua 43ª edição no bairro da Liberdade, em São Paulo, com expectativa de receber mais de 200 mil pessoas no final de semana

 
Nos dias 9 e 10 de julho, São Paulo sediará a 43ª edição do maior festival japonês de rua do mundo: o Tanabata Matsuri. Realizado pela ACAL –Associação Cultural e Assistencial da Liberdade- desde a década de 70, o evento acontecerá no tradicional bairro da Liberdade com programação cultural das 10h30 às 18h repleta de apresentações musicais, dança, arte, além de gastronomia e outros atrativos típicos.

Conhecido no Brasil como Festival das Estrelas, o Tanabata Matsuri é uma tradição oriental do século XI e que, na capital paulista, atrai visitantes de todo o país para fazerem seus pedidos através de fitas coloridas de desejos que simbolizam uma história de amor milenar.

Diz a lenda japonesa, criada há mais de quatro mil anos, que Orihime, filha de um poderoso deus do reino celestial, certo dia, diante de seu tear, viu passar um rapaz conduzindo um boi e por ele se apaixonou. O pai consentiu o casamento dos dois jovens.







Porém, em matrimônio e totalmente dominados pela paixão, ambos se descuidaram de seus afazeres normais e o pai, indignado, ordenou que eles vivessem separados, um de cada lado da Via Láctea, permitindo que o casal se reencontrasse apenas uma vez ao ano, no sétimo dia do sétimo mês, se cumprissem a ordem do pai: atender aos pedidos vindos da Terra.

Segundo a mitologia japonesa, Orihime é representada pela estrela Vega e o rapaz pela estrela Altair, que fica do lado oposto na galáxia –duas estrelas que realmente só se encontram uma vez por ano-.

Este fenômeno astronômico deu origem à lenda, acreditando-se também que as demais estrelas e corpos celestes do céu, como cometas e estrelas cadentes, formem nessa época uma ponte na Via Láctea, chamada de Ama-no-Gawa, “Rio Celestial”, possibilitando que os apaixonados possam atravessar a galáxia para se reencontrarem.

O festival teve início há mais de 1.150 anos na Corte Imperial e a data tornou-se feriado nacional em 1603. No Japão, o evento acontece em várias cidades, sendo que o de Miyagui é o mais tradicional, com festividades realizadas em agosto para aproveitar as férias de verão das escolas.

Já no Brasil, o Festival das Estrelas –Tanabata Matsuri- é realizado desde 1979 pela ACAL, sempre no mês de julho e na Praça da Liberdade-Japão, em São Paulo. Em 2020, por conta da pandemia, foi promovida a versão digital do evento, com apresentações online e drive-thru para as pessoas fazerem seus pedidos de dentro dos carros. Em 2021 não teve a festividade.

Para julho deste ano, seguindo os mesmos moldes das edições passadas, as ruas do bairro da Liberdade e a Praça da Liberdade-Japão serão decoradas com dezenas de bambus gigantes –com aproximadamente 13 metros de altura- e centenas deles em tamanho menor, com cerca de 2 metros, os quais recebem a ornamentação dos enfeites coloridos de papel, simbolizando as estrelas. Neles é que são pendurados os pedidos, chamados de tanzakus -pequenos pedaços coloridos de papel onde as pessoas colocam os desejos a serem entregues aos deuses-.


Os tanzakus são confeccionados em seis cores, cada uma simbolizando um pedido: branco – paz; amarelo – dinheiro; verde – esperança; vermelho – paixão; rosa – amor, e azul – proteção dos céus. Ao final da celebração, os bilhetes passam por uma cerimônia xintoísta e são queimados com o propósito de que os desejos cheguem aos céus para que as estrelas Altair e Vega, segundo a lenda, possam realizar os pedidos.

Durante o Tanabata Matsuri, as ruas da Liberdade também viram palco de shows, danças folclóricas com a participação de cerca de centenas de dançarinos voluntários de diversas associações, oficina de origami, além de apresentações com os tradicionais tambores Taikô.

Toda a programação cultural é gratuita e concentrada em torno da Praça da Liberdade-Japão.


Tanabata Matsuri – Festival das Estrelas

Dias 9 e 10 de julho de 2022
Horário: das 10h30 às 18h
Programação gratuita

Endereço: Praça da Liberdade-Japão, São Paulo - SP
Acesso a portadores de necessidades especiais
Facebook: @acalliberdadeoficial
Instagram: @acalliberdade
YouTube: Acal Liberdade


A ACAL

A Associação Cultural e Assistencial da Liberdade – ACAL, com a denominação japonesa de “Bunka Fukushi Kyôkai”, é internacionalmente reconhecida e ponto de referência para a comunidade do bairro na cidade de São Paulo, no Brasil e Japão. Pelo primeiro ano, depois de 43 edições, realizará o Tanabata Matsuri sem a presença física de Hirofumi Ikesaki -empresário que foi presidente da ACAL por décadas e atuou ininterruptamente até seu falecimento, em 1 de maio de 2022. Ele será honrosamente lembrado, homenageado e eternizado por tantas benfeitorias à região e à comunidade, além da dedicação ímpar à cultura e tradições.

Até o ano de 2020, a ACAL promoveu, anualmente, grandes e tradicionais eventos culturais, visando proporcionar entretenimento e lazer à população de São Paulo e aos turistas brasileiros e estrangeiros que, além de visitarem o bairro diariamente, comparecem aos eventos e participam da cultura oriental. Em 2021, as ações foram suspensas em decorrência da pandemia da Covid-9.

A ACAL foi instituída com a finalidade de proporcionar a integração dos interesses dos comerciantes e moradores, o aprimoramento cultural, socioambiental e ecológico, a prestação de serviços assistenciais, bem como o melhoramento das condições de vida de sua comunidade. Mais informações pelo site www.acalliberdade.org.br.


***

APRENDA A FAZER ORIGAME



segunda-feira, 20 de junho de 2022

Para educar uma criança não é necessário bater nela, afirma psicóloga




Bater ou não bater nos filhos, eis a questão. Pais, mestres e especialistas vivem neste dilema sem fim. Além de inúmeras discussões na internet sobre a temática.

Mas a psicóloga Patrícia Bezerra, que é mãe de duas adolescentes, é taxativa: “bater é agredir e para educar não é necessário bater”.

Segundo a especialista, que faz uma analogia com a neurociência, há algumas reações que estão encrustadas em nós e que trazemos desde os primórdios da era das Cavernas, ou seja, são as reações tipicamente primitivas, onde reagimos e nem entendemos muito do porquê tivemos aquela reação. E segundo, e o mais importante, é olhar isso sob o aspecto cultural.

“Somos motivados por Memes (ou Memética) ao longo de toda a nossa vida e acabamos por perpetuar formar de pensar e agir, baseados em 'crenças' que, na maioria das vezes são limitadores, autorregulatórios e até opressores. Resumindo, bater nunca é uma boa opção. É assim que se perpetua o famoso: "um tapinha não dói"; que as mulheres conhecem muito bem, e essa crença nasceu desde a infância. Sempre é bom lembrar”, enfatiza Patrícia.

A especialista em saúde mental reforça que toda criança é afetada negativamente com casa com muitos gritos. Inclusive, levará esse trauma por toda fase de sua vida. Essa criança vai, em grãos diferentes do sentimento que essa agressão lhe causou, refletir esse mesmo padrão. Isso é um Fato. Toda a ação que gere um trauma, ele vai ser externalizado de alguma forma pelo adulto em algum momento de sua vida. Seja, espelhando as mesmas atitudes ou se tornando uma pessoa com muitos medos, com baixa estima ou até, desenvolvendo certas fobias limitantes e/ou reações violentas.

Estudos apontam os prejuízos: Pela primeira vez, em 2021, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) incluiu o tema da saúde mental entre crianças e jovens no Tratado de Pediatria, principal publicação direcionada aos médicos que cuidam de pessoas até 18 anos em todo o país. No mesmo ano, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), em parceria com o instituto Gallup, publicou o relatório ‘Situação Mundial da Infância 2021.

“Promovendo, protegendo e cuidando da saúde mental das crianças, também elegendo a temática como prioridade de atuação. Segundo as últimas estimativas disponíveis pela pesquisa da Unicef, pelo menos uma a cada sete crianças e jovens de dez a 19 anos convive com algum transtorno mental diagnosticado em todo mundo. Além disso, também mundialmente, cerca de 46 adolescentes morrem por suicídio a cada ano, uma das cinco principais causas de morte nessa faixa etária.

A psicóloga afirma ainda que uma educação positiva não gera superproteção, inclusive, porque por princípio ela é adepta a deixar a criança entender a gravidade das coisas e das suas atitudes pela consciência que o exemplo e a conversa franca trás. A confusão aqui é correlacionar Educação Positiva, com falta de limites.

“Uma coisa nada tem a ver com a outra. Você pode educar com sem usar violência, mas isso não quer dizer que você será passivo diante a algo errado, a uma atitude ruim de seu filho. Claro que não. Até porque se isso for feito não é Educação Positiva, é ser omisso, ausente, isso sim gera ‘pessoas frágeis’ que não entendem o que é o seu limite e o direto do outro”.

Questionada sobre as reações tão diversas sobre o tema de bater ou não para educar, Patricia analisa que a raiva vem da reação primitiva do ser humano. Ou seja, vem o instinto de agir/corrigir aquela criança que você julga merecer um corretivo.

“Claro que aqui se pode até ter essa vontade, porque também se nota uma displicência dos pais em conduzir a criança a entender que certa reação ou atitude não dever acontecer. Então, voltamos a questão de todos nós em todos os momentos da nossa vida necessitamos de limites, de entender até onde vai a minha liberdade e onde começa da outra pessoa. Cruamente, é nisso que se resume parte da revolta em dados momentos. E no final de tudo, o grande aprendizado é o aprender com amor e ensinar a respeitar o outro”, finaliza a psicóloga Patricia Bezerra.


***


Baixa renda pode trocar geladeira usada por uma nova - Saiba como



CIC Oeste e Enel trocam geladeiras antigas por novas


O Centro de Integração da Cidadania (CIC) Oeste, da Secretaria da Justiça e Cidadania, iniciou uma parceria com a empresa de geração e distribuição de eletricidade e gás, Enel Distribuição São Paulo, para a troca gratuita de geladeiras antigas por novas para famílias de baixa renda.

Essa iniciativa faz parte do projeto Enel Compartilha Eficiência, que visa a melhoria na qualidade de vida de famílias de baixo poder aquisitivo, buscando a redução do consumo de energia e conscientização ambiental, além de oferecer orientação referente ao descarte correto dos aparelhos antigos e a reciclagem de materiais.

A parceria entre o CIC Oeste e a Enel SP se iniciou por meio de edital com cadastro de lideranças comunitárias, no qual a diretora da unidade se inscreveu e após alguns processos recebe pedidos de indicações de pessoas para serem contempladas por este projeto que já trocou as geladeiras de 420 famílias.

Atualmente o CIC Oeste pode indicar pessoas que morem nessas regiões: Itaquera, Vila Albertina, Lauzane Paulista, Penha, Embu e Jaçanã. As famílias interessadas devem entrar em contato com as lideranças comunitárias ou com as ONGs da região para realizar o cadastro no programa.


CIC

O Centro de Integração da Cidadania (CIC) é um programa da Secretaria da Justiça e Cidadania que tem como missão promover o exercício da cidadania por meio da participação popular e garantir formas alternativas de Justiça, tendo como objetivos o acesso à Justiça; a prestação de serviços gratuitos; a articulação e o fortalecimento de redes e ações comunitárias; e a educação para cidadania e direitos humanos.

O CIC possui 18 unidades na Capital, na Grande São Paulo, no litoral e no interior do estado, geralmente em regiões de grande vulnerabilidade social. Na capital são 8 unidades: CIC do Imigrante (Barra Funda), Leste (Itaim Paulista), Oeste (Jaraguá), Sul (Jardim São Luís), Norte (Jaçanã), Casa da Cidadania (Jabaquara), Feitiço da Vila (Valo Velho) e Grajaú. Na Grande São Paulo são 4 unidades: Guarulhos, Pirapora do Bom Jesus, Francisco Morato e Ferraz de Vasconcelos. No interior, o CIC possui unidades em Campinas, Juquiá, Jundiaí, Laranjal Paulista e Cajamar. Há, ainda, uma unidade no litoral, em São Vicente.

terça-feira, 14 de junho de 2022

18/06 - Dia do Orgulho Autista: pais de crianças com TEA precisam de apoio psicológico





Sentimentos como medo do preconceito, de bullying na escola, da falta de inclusão e, até mesmo, se a criança se relacionará romanticamente no futuro são preocupações que permeiam o pensamento dos pais


O Dia do Orgulho Autista, celebrado em 18 de junho, tem o objetivo dar visibilidade ao TEA (Transtorno do Espectro Autista). A falta de informação da sociedade, aliada aos desafios enfrentados pelos pais, pode impactar diretamente na saúde mental da família.

Sentimentos como medo do preconceito, de bullying na escola, da falta de inclusão e, até mesmo, se a criança se relacionará romanticamente no futuro são preocupações que permeiam o pensamento dos pais e cuidadores, de acordo com o psicólogo Breno Silva, de Psicologia Viva, maior player de saúde mental da América Latina e integrante de Conexa. “Nesse contexto, o acompanhamento psicológico é imprescindível para que os pais recebam o suporte emocional necessário para enfrentar os desafios e as preocupações que surgirão”, diz Silva, que já atuou como mediador escolar para crianças com TEA.

O TEA abrange diferentes condições relacionadas ao desenvolvimento neurológico, como alterações das habilidades psicomotoras e comportamentais, e alteração no desenvolvimento típico da infância, impactando na interação social e na fala.

Sobre Conexa

Player de saúde digital, Conexa cuida de cerca de 20 milhões de pacientes com a parceria de 70 mil profissionais de saúde, em mais de 30 especialidades. Fundada no Rio de Janeiro, em 2016, como uma clínica de saúde voltada à atenção primária, reformulou seu modelo de negócio em 2017 e se tornou uma plataforma de telemedicina, com a missão de revolucionar o acesso à saúde de qualidade, tornando a jornada e a experiência do paciente mais fácil, segura e humanizada.

Em 2020, adquiriu a iMedicina, desenvolvedora de software de médicos, prontuário eletrônico e líder em atração e fidelização de pacientes. Em março de 2021, uniu-se à Psicologia Viva, maior empresa de saúde mental da América Latina.

A companhia faz parte da Saúde Digital Brasil (SDB) e tem como clientes, hospitais, operadoras de saúde, laboratórios, além de grandes instituições do varejo e do setor financeiro, como Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Magazine Luiza, Seguros Unimed, Intermédica, entre outras. Saiba mais em https://www.conexasaude.com.br/


terça-feira, 7 de junho de 2022

Com inovação tecnológica, Brasil pode garantir segurança alimentar e sustentabilidade, diz ministro

Em evento em Campinas, Marcos Montes disse que o Brasil pode dar as respostas que o mundo precisa para garantir a produção de alimentos necessária para a população mundial.




O Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Marcos Montes, disse nesta terça-feira (7) que a inovação tecnológica é fundamental para garantir a segurança alimentar e a sustentabilidade na produção agropecuária. Em palestra durante o evento One Agro, em Campinas (SP), ele disse que o Brasil pode dar as respostas que o mundo precisa para garantir a produção de alimentos necessária para a população mundial.

Segundo ele, o Mapa trabalha atualmente com três eixos principais: segurança alimentar, sustentabilidade e inovação. “Esses três eixos fazem com que tenhamos certeza de que vamos dar essa resposta ao mundo. A inovação tecnológica é o fio que liga a segurança alimentar e a sustentabilidade. Se não houvesse esse avanço que tivemos, provavelmente não teríamos essa certeza de que vamos avançar”, disse Montes.

No evento, o ministro também disse que o Plano Safra 2022/2023 deverá ser bastante robusto. “Não é só mais Plano Safra do Brasil, é um Plano Safra Mundial, porque o mundo todo precisa desse plano consistente e robusto”. As diretrizes do atual Plano Safra estão sendo elaboradas pelo Mapa, em conjunto com o Ministério da Economia e o Banco Central. O documento define o montante de recursos que serão destinados com juros equalizados para apoiar a produção agropecuária nacional.