Nossos Vídeos

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Belo Horizonte receberá uma escultura urbana feita por um artista indígena



Pela primeira vez na história, Belo Horizonte receberá uma escultura urbana feita por um artista indígena


De 22 de setembro a 22 de outubro, a obra Entidades de Jaider Esbell estará presente no Viaduto Santa Tereza como parte do Cura - Circuito Urbano de Arte


Além das pinturas das quatro empenas desta edição, o Cura conta também com duas intervenções inéditas em outros pontos do Centro de BH. O primeiro deles é o Viaduto Santa Tereza.

Inaugurado em 1929, o Viaduto Santa Tereza é um dos ícones arquitetônicos de BH e, nos últimos anos, se tornou cenário de uma cena cultural pulsante, onde múltiplas iniciativas dão vida ao espaço, atraindo pessoas de toda a cidade e também de fora dela. Sob sua estrutura, já recebeu peças teatrais, intervenções e os Duelos de MC’s, produzidos pelo coletivo Família de Rua, que já revelou grandes astros do rap nacional.

Pela 1ª vez em sua história, os arcos do viaduto serão transformados por uma grande instalação criada pelo artista contemporâneo de Roraima, Jaider Esbell (@jaider_esbell). A obra, um inflável de cerca de 40 metros promete surpreender!

“O processo coletivo de construção do CURA 2020 nos deu a oportunidade de receber a potência de artistas de todo o país, artistas que nos abraçaram e aceitaram fazer parte da família. O Jaider Esbell é um deles e, pra nós, é uma honra tê-lo nesta edição” diz Priscila Amoni, uma das idealizadoras e curadoras do festival.

A obra, duas serpentes inflaveis que se encontram no meio do viaduto, tem como simbologia a cura. No xamanismo indígena, ela é considerada um “animal de poder” e está presente como força de cura, regeneração e transformação, com capacidade de “comer as doenças” mais graves que acometem o ser humano.


Sobre Jaider

Jaider é artivista indígena da etnia Makuxi (RR) com prêmios na literatura, nas artes visuais e no cinema. Desde 2010, encontra também na escrita caminhos para suas manifestações artísticas. Trabalhos individuais e coletivos, tanto no Brasil quanto no exterior, marcam a trajetória do artista que vive em Boa Vista (RR), capital onde criou e mantém a primeira galeria de arte exclusivamente para obras de arte indígena contemporânea.



Sobre o Cura 2020

A 5ª edição do Cura – Circuito de Arte Urbana acontece entre os dias 22 de setembro e 04 de outubro em Belo Horizonte. Desta vez, serão pintadas 04 empenas no hipercentro da cidade, que também receberá outras intervenções artísticas. Por conta da pandemia, o restante da programação acontece exclusivamente online. E ela está intensa.

Neste ano, o festival convidou duas artistas para compor a comissão curadora: Arissana Pataxó, de Coroa Vermelha - Cabrália, e Domitila de Paulo, de BH. Elas, juntamente com as criadoras do festival - Janaína Macruz, Juliana Flores e Priscila Amoni – são os nomes por trás de tudo. O festival defende a resistência através da arte e cuidado com as pessoas, afetos e natureza e decide por uma curadoria que se aprofunda em um Brasil que não é somente urbano, trazendo artistas de diversas regiões e por isso com perspectivas estéticas diversas no seu lineup de obras públicas e também na Galeria CURA. É urgente ouvir as vozes que apontam outros caminhos.


Na Rua

Diego Mouro (São Bernardo do Campo/ SP) – o selecionado da convocatória promovida pelo festival - Lídia Viber (Belo Horizonte/MG), Robinho Santana (Diadema/SP) e Daiara Tukano (São Paulo/SP) são os artistas responsáveis pelas artes nas empenas dos edifícios Almeida, Cartacho, Itamaraty e Levy respectivamente. Todas visíveis da rua Sapucaí, bairro Floresta, consolidando o Mirante CURA na rua Sapucaí com 14 murais gigantes.

Bandeiras produzidas pelos artistas Denilson Baniwa (Bercelos/AM), Randolpho Lamonier (Contagem/MG), Célia Xakriabá (São João das Missões/MG), Ventura Profana (Salvador/BA) e Cólera e Alegria (diversos/Brasil) serão instaladas no antigo prédio da Faculdade de Engenharia da UFMG. A obra também será vista do Mirante CURA.

Já os arcos do icônico Viaduto Santa Tereza recebem uma escultura inflável de Jaider Esbell (Normandia/RR).


Online – www.youtube.com/CURACircuitoUrbanodeArte

Toda a programação virtual do Cura 2020 é gratuita e acessível. Uma programação diversa, que discute a atualidade e traz nomes em destaque no cenário nacional, entre eles Preta Rara, rapper e arte-educadora, importante nome do feminismo negro brasileiro e Ailton Krenak, uma das maiores lideranças do movimento indígena brasileiro.


28/09 - segunda-feira, 19h30

Bate Papo - Imaginar caminhos: ocupando o mercado de arte contemporânea

Convidados: Thiago Alvim e Comum, artistas e idealizadores do JUNTA; Cristiana Tejo, curadora e uma das idealizadoras do Projeto Quarantine; Micaela Cyrino, artista visual e integrante da Nacional Trovoa.

Mediação: Fabiola Rodrigues, MUNA - Mulheres Negras nas Artes


29/09 - terça-feira, às 19h30

Bate Papo - Transformando, ocupando e criando novas narrativas: os olhares de artistas, curadores e pesquisadores contra o colonialismo sobre suas produções

Convidadas: Nathalia Grilo Cipriano, pesquisadora de cultura e cosmovisões negro-africanas, editora da revista digital diCheiro; Ventura Profana, escritora, cantora, performer e artista visual; Sandra Benites, antropóloga, arte-educadora e curadora-adjunta do MASP – Museu de Arte de São Paulo.

Mediação: Luciara Ribeiro, educadora, pesquisadora e curadora independente.


30/09 - quarta-feira, às 19h30


Aulão – O hip-hop resiste

Com Preta Rara, rapper, historiadora, turbanista, e influenciadora digital.


01/10 - quinta-feira, às 19h30


Bate Papo - Arte e Vida, Arte é Vida

Covidados: Maurinho Mukumbe, ferreiro; Ibã Hunikuin (Isaías Sales), txana, mestre dos cantos na tradição do povo huni kuin e pintor. Integra o coletivo MAHKU – Movimento dos Artistas Huni Kuin; Bordadeiras do Curtume (Vale do Jequitinhonha).

Mediação: Célia Xakriaba, professora e ativista indígena


02/10 - sexta-feira, às 19h30

Aulão - A Vida não é útil

Com Ailton Krenak, líder indígena, ambientalista e escritor brasileiro. É considerado uma das maiores lideranças do movimento indígena brasileiro, possuindo reconhecimento internacional.


Galeria de Arte Virtual


A Galeria de Arte CURA vai funcionar no site www.cura.art durante o período do festival com mais de 30 artistas de todo o Brasil, que terão suas obras expostas e disponíveis para compra. Entre eles artistas que já participaram de outras edições do CURA ou participam desta edição como Thiago Mazza e Davi DMS (Cura 2017), Criola (Cura 2018), Luna Bastos (Cura 2019) e Diego Moura (Cura 2020) e artistas contemporâneos entre eles Heloísa Hariadne (São Paulo/SP); Mulambö (Saquarema/RJ), Alex Oliveira (Jequié/BA) e Luana Vitra (Belo Horizonte/MG).


Sobre o Cura

O Circuito Urbano de Artes completa sua quinta edição e, com esta, serão 18 obras de arte em fachadas e empenas, sendo 14 na região do hipercentro da capital mineira e quatro na região da Lagoinha, formando, assim, a maior coleção de arte mural em grande escala já feita por um único festival brasileiro.

O CURA também presenteou BH com o primeiro, e até então único, Mirante de Arte Urbana do mundo. Todas as pinturas realizadas no hipercentro podem ser contempladas da Rua Sapucaí.

www.facebook.com/curafestival
www.instagram.com/cura.art
https://cura.art


PATROCÍNIO MASTER

Cemig (Lei Federal) | Beck's (Lei Estadual) | Uber (Lei Federal)

Patrocínio
Instituto Unimed (Lei Municipal)

Apoio
Patrus (Lei Federal)
Casa & Tinta
Suvinil
P7 Criativo

Realização
Pública Agência de Arte


***

VISITAR O SITE DO CURSO



terça-feira, 22 de setembro de 2020

Enóloga ensina amantes do Vinho unindo a bebida ao universo do Ser Humano.


Enóloga utiliza método diferenciado na forma de ensinar amantes do Vinho unindo esta bebida saudável ao universo do Ser Humano.



Paola Pedron apresenta proposta de Mentoria baseada no VINHO e o S.O.M. que podemos conduzir a vida.


Diferente do que muito já se conhece quando o assunto é mentoria e processo de coaching, Paola Pedron, vem com uma proposta inovadora. Unindo o seu conhecimento sobre Vinhos e a busca que as pessoas hoje têm pelo despertar de si mesmas. A proposta de Paola é colocar seus mentorandos em contato com o vinho, levando-os a identificarem bons vinhos de vinhos manipulados, chamados por ela de "vinhos Bomba", através de um olhar crítico (?assertivo).

Uma verdade que deve ser dita é que o vinho é uma bebida alcoólica e o consumo exagerado tem seus riscos, mas consumido com moderação, pode trazer muitos benefícios à saúde, entre eles: auxilia o sistema imunológico, previne o envelhecimento, dizem até que uma taça de vinho por dia ajuda a emagrecer e ainda possui ação anticancerígena.

Nascida em Verona, Brasileiríssima, desde os 2 anos no Brasil, sua Pátria de alma e fato, Paola Pedron, com seus mais de 30 anos de vivência no mercado (? desenvolvendo metodologias de ensino enológico), é defensora de uma vinificação séria e comprometida desse super alimento. O Vinho já a salvou de uma depressão e de um AVC (Acidente Vascular Cerebral) , entre outras situações. Paola associa os benefícios do vinho à EFT (Técnica de libertação emocional), para auxiliar mentorandos a se libertarem de estados físicos e mentais negativos.

A metodologia proposta aborda o ser humano como sendo um indivíduo único e integrado em busca de seu equilíbrio.

Suas aulas com foco em desenvolvimento operacional, racional e emocional, conduzem o aluno a um questionamento profundo e a compreensão dos mecanismos que geram: ansiedade, medo, procrastinação, levando-os a agir de forma positiva e responsiva, ressignificando seus posicionamentos perante o meio em que vivem.

Segundo pesquisas, o consumo de vinhos no período da pandemia aumentou 39% em relação ao mesmo período ao ano passado. E com esse aumento mais pessoas começaram a consumir vinhos e muitas ficam em dúvida de que vinho comprar. Paola deseja desmistificar em suas aulas conceituais e gusto-olfativas como reconhecer as correções feitas em laboratório dos vinhos comercializados, entre outras coisas.


***



segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Operação Focus investiga origem das queimadas no Pantanal

Técnicos do Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul, da Perícia Técnica da Secretaria de Justiça e Segurança Pública do estado, agentes da polícia civil e soldados do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar visitam 35 fazendas das regiões de Nabileque e Nhecolância para identificar origem dos focos de queimada nas propriedades e punir os responsáveis em casos propositais. 

Os agentes envolvidos na operação fazem levantamento da área queimada e verificam os indícios da origem do fogo, se estão condizentes com as imagens de satélite. Dados do Instituto de Pesquisas Espaciais revelam que 2020 é o pior ano da história do bioma em número de focos de incêndio. São 22 mil focos de calor neste ano, sendo mais de 5 mil apenas em setembro. 


***


domingo, 20 de setembro de 2020

Artigo: Benefícios dos alimentos lácteos


O leite é um dos alimentos mais consumidos em todo mundo, classificado entre os 5 produtos mais comercializados, tanto em volume quanto em valor (Global Dairy Platform, 2017).
Aproximadamente 116,5 kg de leite são consumidos por cada habitante, uma quantidade que aumenta 1,2% ao ano. No Brasil, a indústria de laticínios é o segundo segmento mais importante da indústria alimentícia.

Além da importância econômica para a população mundial, o leite também é uma fonte de nutrientes ressaltada por estudos na literatura científica. Um alimento complexo que contém altas concentrações de macro e micronutrientes, o leite é classificado como uma fonte de proteína de alta qualidade e fornece contribuição significativa de cálcio, magnésio, selênio, riboflavina, vitamina B12 e ácido pantotênico.

Considerada uma das principais fontes de cálcio, recomendações dietéticas indicam o consumo de pelo menos 3 porções de laticínios por dia, incluindo o leite original. Para exemplificar o teor deste nutriente, destaca-se que em 1 copo de 200 ml de leite é possível obter 250 mg de cálcio, o que representa aproximadamente 25% do valor total diário recomendado para um adulto saudável.

Leite e os efeitos para saúde humana
Um dos principais benefícios atribuídos ao consumo regular de leite e derivados é em relação ao metabolismo ósseo. Há evidências de que a ingestão adequada de cálcio e proteína na dieta é essencial para atingir o pico de massa óssea durante o crescimento, em crianças e adolescentes, e para prevenir a perda óssea em idosos no processo de envelhecimento.

Os efeitos benéficos do consumo de produtos lácteos e sua eficácia na massa mineral óssea durante o crescimento em crianças são suportados por meta-análises de numerosos estudos clínicos. O maior ensaio clínico randomizado (RCT), realizado por Du e colaboradores (2004) com produtos lácteos, encontrou ganhos significativamente maiores em altura, peso corporal e conteúdo mineral ósseo em meninas com 10 anos em idade escolar, que receberam leite em dias letivos por período de 2 anos.

Outros benefícios podem ser explorados em relação ao consumo regular de leite e derivados. As proteínas lácteas podem ajudar no aumento da saciedade e estimular os mecanismos reguladores da ingestão de alimentos conhecidos por sinalizar as vias de fome e saciedade. Assim, é possível compreender que seu consumo, junto a um planejamento dietético equilibrado e um estilo de vida saudável, pode favorecer a regulação do peso corporal.

Consumo de leite e a qualidade do sono
Alimentos proteicos como produtos lácteos, são as principais fontes do aminoácido indutor do sono, o triptofano. Segundo um estudo recente, publicado em abril de 2020 (Muscogiuri e colaboradores), que mostrou recomendações nutricionais em período de quarentena, o consumo de lácteos no fim do dia pode ajudar a induzir o sono e contribuir com a regulação da saciedade. Esse mecanismo se dá por conta do teor de triptofano, envolvido na síntese de serotonina e melatonina, ambos favorecendo o equilíbrio e a qualidade do sono.

O recente estudo ainda destacou que os peptídeos bioativos presentes nos alimentos lácteos podem aumentar a atividade das células natural killer e reduzir o risco de infecções respiratórias, de acordo com as avaliações dos autores.

Além de todas essas vantagens nutricionais, ressalta-se que o leite é um dos produtos mais versáteis da agroindústria de alimentos. Pode ser consumido na sua forma original, e também transformado em diversos tipos de derivados, incluindo suas versões zero lactose que são indicadas para o cardápio de pessoas com intolerância ao açúcar presente na bebida.

Roberta Lara é graduada em Nutrição pela Universidade Sagrado Coração (USC - Bauru), com residência em Nutrição Clínica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP). Especializou-se e realizou seu mestrado e doutorado em Investigação Biomédica, na Área de Concentração em Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto na USP. É Pesquisadora Colaboradora do Laboratório de Genômica Nutricional (LABGEN) da UNICAMP – unidade de Limeira. É membro do Núcleo de Nutrição e Saúde Cardiovascular do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e do Comitê Científico Consultor Institucional Life Sciences Institute (ILSI).


REFERÊNCIAS

1. Muscogiuri, G. et al. Nutritional recommendations for CoVID-19 quarantine. European Journal of Clinical Nutrition (2020) 74:850–851.
2. Du X, Zhu K, Trube A, Zhang Q, Ma G, Hu X, Fraser DR, Greenfield H. School-milk intervention trial enhances growth and bone mineral accretion in Chinese girls aged 10–12 years in Beijing. Br J Nutr. 2004;92(1):159–168.
3. Rozemberg, S. et al. Effects of Dairy Products Consumption on Health: Benefits and Beliefs—A Commentary from the Belgian Bone Club and the European Society for Clinical and Economic Aspects of Osteoporosis, Osteoarthritis and Musculoskeletal Diseases. Calcif Tissue Int (2016) 98:1–17.
4. Siqueira, K. O Mercado Consumidor de Leite e Derivados. Embrapa, 2019.
5. GDP – Global Dairy Platform. Annual Review 2016. Rosemont, IL, [2017]. Disponível em:< https://www.globaldairyplatform.com/wp-content/uploads/2018/04/2016-annual-review-final.pdf>. Acesso em: 23 ago. 2020.


***


72 deputados e senadores vão disputar prefeituras em 2020




As eleições municipais deste ano deverão contar com a participação de 70 deputados federais e dois senadores. O senador Jean Paul Prates (PT-RN) vai disputar a prefeitura de Natal, e Vanderlan Cardoso (PSD-GO) vai concorrer à prefeitura de Goiânia. O número de 72 parlamentares disputando prefeituras é quase o mesmo registrado nas últimas eleições municipais. Em 2016 houve somente uma candidatura a mais de parlamentar. A partir da última semana, os candidatos estão proibidos de fazer transferências voluntárias de recursos da União aos estados e municípios, e dos estados aos municípios. A única exceção é se a liberação da verba já estivesse prevista anteriormente ou se o dinheiro for para atender emergências. Os parlamentares também precisam ficar atentos às regras de propaganda eleitoral - eles não podem se aproveitar do cargo para promover a própria candidatura. 


***

sábado, 19 de setembro de 2020

Foxbit lança desafio O Grande Investidor

Iniciativa vai contar com a participação de 4 perfis diferentes de investidores


A Foxbit, uma das maiores e mais antigas exchange de criptomoedas do mundo, lança nesta segunda-feira (21/09) o desafio “O Grande Investidor”, que vai contar com a participação de quatro perfis diferentes de investidores e tem como objetivo fazer o público acompanhar, entender e aprender as diferentes estratégias e táticas para se obter rendimentos com criptomoedas, em um período de seis meses.

No início do desafio será criada uma conta na plataforma da Foxbit com a quantia de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para cada participante. Os competidores deverão adotar as melhores estratégias de trading dentro da plataforma da Foxbit, não podendo realizar saques ou novos depósitos. Os participantes do desafio possuem diferentes perfis de investidores e são nomes conhecidos do mercado. Conheça:


Bo Williams: tem 24 anos de experiência no mercado financeiro. É analista financeiro (CNPI/T -1215), trader e criador do poderoso trade system PhiCube. É ainda sócio fundador das empresas educacionais Plenamente Trader e Trade ao Vivo, e ex-sócio das corretoras Clear e XP Investimentos.


Marcelo Alemi: Publicitário, influenciador digital do mundo das finanças e criador do Monkey Stocks.


João Canhada: Administrador, 6 anos de experiência no mercado de criptomoedas, co-fundador da Foxbit e CEO da corretora. Hoje está à frente da Foxbit Invest que é a primeira e maior mesa OTC do Brasil, negociando inclusive ativos não listados na plataforma da Foxbit, focado em grandes volumes.


Público: isso mesmo, o público será o quarto participante e terá sua carteira operada pelo time de Marketing da Foxbit, seguindo as estratégias aplicadas de acordo com a votação semanal que os participantes da ação farão.

“A ideia do desafio é ensinar para o público diferentes tipos de investimentos e decisões que podem ser feitos no mercado de criptomoedas. Queremos que eles entendam e aprendam a lidar com um mercado que vem crescendo a cada ano e sendo atrativo para muitos investidores, até mesmo para os sem experiências. Além é claro de toda a competição e diversão que será proposta durantes esses seis meses de desafio” revela João Canhada, CEO da Foxbit e idealizador do desafio.

Semanalmente, a Foxbit divulgará em suas redes sociais e nas redes sociais dos participantes o resultado das estratégias e promoverá lives, visando fomentar o mercado de criptoativos no Brasil. Ao final da ação, será considerado “O Grande Investidor” aquele que conseguir alcançar a melhor performance na plataforma, com o melhor resultado. E todos os participantes destinarão o valor do resultado obtido da ação, para uma instituição sem fins lucrativos, à sua escolha. Caso o Grande Investidor seja a Conta do Público, será aberta uma votação para que os mesmos façam a escolha de qual instituição desejam destinar o valor da ação. Todos os traders devem ser realizados apenas na plataforma ou aplicativo da Foxbit.

Além disso, o Cointimes em parceria com a Foxbit, ficará responsável pelas lives semanais com cada investidor, tendo como moderador seu CEO Isac Honorato, mostrando toda a evolução do desafio. O link para a inscrição pode ser acessado na página do desafio aqui e terá início na segunda-feira (21/09), com duração de seis meses.

Sobre a Foxbit

A Foxbit é uma das maiores e mais antigas exchange de criptomoedas do mundo, atuando no Brasil com negociação em bitcoin, ether, litecoin, TrueUSD e XRP. Desde 2014, busca inspirar pessoas a conquistar liberdade financeira para que possam realizar seus sonhos.


***

O exercício da telemedicina antes e depois da pandemia


*Kelly Sanches

Com a necessidade do isolamento social decorrente da pandemia de Covid-19, a telemedicina, prática que fomenta o exercício da medicina à distância, utilizando-se de meios tecnológicos para tanto, ganhou notoriedade. Contudo, poucos sabem que ela tem autorização para ser exercida no Brasil pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) desde 2002, por meio da resolução 1.643. Já em 2009, foi incluída como medida de exceção no Código de Ética Médico, no parágrafo único do art. 37, tendo em vista que esta normativa de conduta veda o exercício da medicina sem o exame físico do paciente.

Contudo, mesmo sob diversos questionamentos ao longo dos anos, a pandemia tornou importante a utilização da telemedicina, a fim de manter o isolamento social, essencial para a contenção da disseminação do vírus. Afinal, a praticidade das teleconsultas permite que nem os pacientes nem os médicos tenham necessidade de deslocamentos, evitando longas esperas em consultórios, prevenindo assim o contato de todos com o vírus da Covid-19.

A Portaria 467/2020 foi publicada em 20 de março de 2020 pelo Ministério da Saúde e a lei 13.989/2020 sancionada em 15 de abril de 2020, a qual determinou, em seu art. 3º, a definição do instituto da telemedicina como sendo o “exercício da medicina mediado por tecnologias para fins de assistência, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde”.

O que é essencial saber sobre a prática da telemedicina?

Você reparou que a lei não utiliza expressões que denotam distância ou remoto, mas tão somente o exercício da medicina por meio de tecnologias? Isso possibilita uma ampliação de modalidades e não limita o meio tecnológico a ser utilizado, possibilitando o uso de qualquer conhecimento em tecnologia disponível.

A legislação determina ainda que:

O médico tem o dever de informar os pacientes quanto às limitações da atividade de maneira remota, uma vez que não é possível a realização de exames físicos durante o atendimento, por exemplo;
Sejam seguidos os padrões normativos e éticos usuais do atendimento presencial, inclusive ao que diz respeito à contraprestação financeira, eximindo o Poder Público de seu custeio, salvo se tratando de serviço prestado ao Sistema Único de Saúde –SUS;
Como a lei 13.989/2020 possui vigência limitada, apenas durante a crise ocasionada pelo coronavírus, o art. 6º determina que o Conselho Federal de Medicina será competente para regulamentar a telemedicina. Ressaltando-se que este artigo foi acrescentado no último dia 20/08/2020, tendo em vista a derrubada do veto presidencial ao § único do artigo 2º da lei, o qual dispõe sobre a validade das receitas médicas apresentadas de forma digital.

Portanto, quando cessar a crise ocasionada pelo coronavírus, esta regulamentação deixará de ter vigência e a atividade de telemedicina voltará ao status anterior de carência de regulamentação, o que na prática, impossibilitará o seu exercício.

Telemedicina após a pandemia: realidade ou utopia?

A prática da telemedicina, em especial as teleconsultas, com o objetivo de evitar deslocamentos e contato físico, se mostra uma realidade em ascensão. Foi incluída nas coberturas obrigatórias dos planos de saúde por meio da Nota Técnica 7/2020 da ANS (Agência Nacional de Saúde), na qual conclui que o atendimento à distância por meio dos meios de telecomunicações não caracterizam um novo procedimento, mas apenas uma modalidade de atendimento não presencial, dispensando a sua inclusão no Rol de Procedimentos e Eventos de Saúde para cobertura obrigatória.

Embora a legislação determine que o uso da telemedicina ocorra apenas em caso emergencial, verifica-se a sua utilização em larga escala em consultas eletivas, o que inclusive tem tido boa aceitação por parte dos pacientes, em especial em consultas nas quais o profissional baseia seu prognóstico com base em resultados de exames laboratoriais e imagens. Dessa forma, basta o envio ao médico para que haja um diagnóstico e prescrição de tratamento inicial adequado.

Kelly Sanches é advogada no escritório Rücker Curi Advocacia e Consultoria Jurídica. Especialista em Direito Processual Civil e Direito Ambiental.


***


sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Edital destina R$40 mi para projetos para pessoas com deficiência

Edital destina R$40 mi para projetos que tragam inovação e melhorem a qualidade de vida de pessoas com deficiência


Projetos devem ser apresentados por meio de inscrição on-line; prazo para envio dos projetos foi prorrogado para até o dia 6 de outubro

Um edital aberto pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Ministério da Saúde, irá financiar projetos de pesquisa e inovação que contribuam para o desenvolvimento de tecnologias essenciais para inclusão e melhoria da qualidade de vida para pessoas com deficiência, idosos ou pessoas com mobilidade reduzida. Atualmente, cerca de 45 milhões de brasileiros convivem com alguma deficiência. As propostas devem ser apresentadas até as 17h do dia 6 de outubro, por meio do link http://www.finep.gov.br/chamadas-publicas/chamadapublica/649

Serão destinados cerca de 40 milhões para produtos, equipamentos, dispositivos, recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços que promovam a funcionalidade relacionada à atividade e à participação de pessoas com algum tipo de deficiência no seu cotidiano. “Umas das linhas temáticas construídas nessa parceria propõe o fomento a projetos para atualização das tecnologias assistivas no SUS. Nosso objetivo é melhorar o que já é ofertado ou incorporar novas tecnologias e procedimentos que tragam melhor qualidade de vida para essas pessoas”, afirmou o secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde, Hélio Angotti Neto.

O edital propõe cinco linhas temáticas para fomento: auxílios para o desempenho autônomo diário e laboral da pessoa com deficiência e das pessoas idosas; auxílios para ampliação da habilidade visual, auditiva e que promovam desenvolvimento intelectual para pessoas com deficiência; órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção; habilitação e reabilitação; soluções inovadoras para atualização das tecnologias assistivas do SUS.

Além do Ministério da Saúde, integram o projeto o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMDFH). A divulgação do resultado final está prevista para dezembro.

Saiba mais, acesse http://www.finep.gov.br.http://www.finep.gov.br.

***

Setembro Amarelo: Endometriose pode deixar mulheres mais vulneráveis à depressão e tentativa de suicídio

Diagnóstico tardio e falta de apoio de pessoas próximas podem agravar problemas relacionados à saúde mental das portadoras da endometriose



Desde 2016, o blog A Endometriose e Eu, comandado por Caroline Salazar, aborda a importância da campanha Setembro Amarelo entre suas seguidoras. O movimento, que visa a conscientização e prevenção ao suicídio, chama a atenção da endoativista. “Infelizmente no Brasil não há pesquisas que apontam o número de suicídio entre mulheres com endometriose, mas eu me preocupo muito em escutar e acolhê-las, pois muitas delas cometem o suicídio por falta de apoio, de escuta e de carinho”, explica Caroline Salazar, capitã da EndoMarcha Time Brasil, autora do blog A Endometriose e Eu e idealizadora do recém-lançado projeto EndoConectadas.

Ao longo dos 10 anos de blog, Caroline percebe que estes números podem ser altos no Brasil, assim como já foi comprovado em estudo realizado no Reino Unido. Em 2016, a organização Endometriosis UK realizou uma pesquisa e comprovou que 25% das mulheres ouvidas pela instituição tiveram pensamento suicida. Dentre os fatores que contribuem para a depressão e vulnerabilidade mental e emocional das mulheres com endometriose estão o diagnóstico tardio da doença e falhas no tratamento e controle da dor, que podem ser incapacitantes. “Isso sem contar os mitos e rótulos acerca da endometriose, que deixam a endomulher em posição ainda mais delicada”, aponta a endoativista.

No blog, é possível acompanhar uma série de posts sobre a relação entre endometriose e depressão, dicas de como apoiar uma endomulher (e o que evitar dizer a ela, por exemplo), além de frases de portadoras que podem ser encaradas como um alerta para um possível suicídio. O instagram do blog, @aendoeeu realizará lives sobre o assunto nos dias 23 e 30 de setembro. Já o projeto EndoConectadas trará conteúdo especial para abordar o tema entre as assinantes.

Sobre Caroline Salazar

Caroline Salazar é jornalista, autora do blog a Endometriose e Eu e ativista pela conscientização da endometriose. A partir da criação do blog, em 2010, Caroline se tornou referência no assunto entre pacientes, familiares de pacientes e especialistas sobre a doença em todo o mundo. O blog A Endometriose e Eu traz entrevistas e artigos exclusivos, com pesquisadores nacionais e internacionais sobre a doença.

Em 2014, Caroline Salazar capitaneou a primeira edição da EndoMarcha Brasil – a Marcha Mundial de Conscientização Sobre a Endometriose. O Brasil, desde então, lidera a marcha com o maior número de cidades participantes. Em 2019 foram 20 cidades participantes. A Marcha de 2020 foi adiada em decorrência da pandemia da Covid-19.

Caroline, a partir do blog, foi a pioneira no Brasil a abordar assuntos como a dispareunia (dor durante a relação sexual) e seu tratamento, além de disseminar no país o uso do termo Março Amarelo. Também colaborou com a criação do texto do PL 3047/19, apresentado pela deputada federal Daniela do Waguinho (RJ) e que prevê a instituição do dia 13 de março como o Dia Nacional de Luta Contra a Endometriose e a Semana Nacional de Luta Contra a Endometriose. Em agosto de 2020, lançou o primeiro clube de assinatura sobre endometriose, o EndoConectadas, para auxiliar mulheres portadoras da doença em busca de tratamento.


***

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

A Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) detalhou a atuação do Ministério da Saúde junto aos povos tradicionais do país


O Ministério da Saúde organizou, nesta sexta-feira (11/09), reunião on-line com representantes de organismos internacionais e governos estrangeiros, para apresentar as ações federais de combate à Covid-19 junto aos povos indígenas do Brasil. O encontro contou com a participação de representantes de entidades internacionais, como a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Organização das Nações Unidas (ONU), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) e a Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), além de representantes de embaixadas de países estrangeiros, como Estados Unidos, Noruega e Canadá.

Na ocasião, o secretário Especial de Saúde Indígena (SESAI), Robson Santos da Silva, apresentou dados e ações de enfrentamento à Covid-19. Segundo o secretário, a SESAI disponibilizou orçamento adicional de R$ 125 milhões para atender uma população composta por 775.898 mil indígenas, distribuídos em 5.852 aldeias, de 305 etnias e que falam até 274 línguas. Apresentou, também, boletim epidemiológico recente, do último dia 08 de setembro, que registrou 24.650 casos confirmados, 18.958 curados e 401 óbitos em territórios indígenas.

As ações de prevenção e atenção primária são feitas por 14 mil profissionais em campo, dos quais quase 60% indígenas. Todos passam por exame de Covid-19 antes de entrar nas aldeias, para evitar a contaminação dos indígenas. “São eles que enfrentam todas as dificuldades de acesso para atuar em área indígena prestando serviços rotineiros de atenção básica de saúde - como vacinação, acompanhamento nutricional, entre outros”, disse Robson Silva. O secretário mencionou, também, que, desde o início da pandemia, a SESAI já enviou, aos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs), quase 3 milhões de insumos, entre os quais máscaras N95, luvas, aventais, toucas, óculos de proteção, frascos de álcool em gel 70% e testes rápidos.

Entre as ações de enfrentamento ao coronavírus, o SESAI destacou, entre outras iniciativas, a criação das unidades de atenção primária indígenas exclusivas para a Covid-19; a disponibilização de recursos adicionais aos DSEIs para compra de insumos, equipamentos, testes e EPIs; a divulgação local de campanhas sobre prevenção ao coronavírus, culturalmente apropriadas para cada região; e a contratação de horas voo e UTI aérea para transporte rápido de pacientes graves até unidades especializadas.

A SESAI também tem apoiado a distribuição federal de cestas básicas a povos indígenas, com o objetivo de garantir a segurança alimentar e a permanência nas aldeias, evitando deslocamentos até as cidades próximas para adquirir alimentos. 

ORIENTAÇÃO

Mesmo antes de a OMS decretar a Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII), a SESAI produziu documentos técnicos para guiar indígenas, gestores e colaboradores a adotar medidas de tratamento e prevenção contra a infecção pelo coronavírus. Emitiu-se, ainda, Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo Coronavírus em Povos Indígenas para os 34 DSEIs que, com base nele, elaboraram Planos de Contingência Distrital para Infecção Humana pelo coronavírus.

A coletânea de documentos pode ser acessada no portal saudeindigena.saude.gov.br.


***

CONHEÇA O PODER DAS PLANTAS COM
O GUIA DE PLANTAS MEDICINAIS


quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Pesquisa aponta que 74% dos brasileiros não pagaram todas as contas na pandemia

Estudo da Acordo Certo ainda mostrou que 70% dos entrevistados afirmam que tiveram a renda familiar diminuída no período


Uma pesquisa realizada pela Acordo Certo, fintech de soluções voltadas para o bem-estar financeiro dos consumidores, com 1.487 pessoas entre os dias 11 e 14 de agosto, revelou que 82% das pessoas priorizaram algumas contas em detrimento de outras no primeiro semestre do ano, sendo que, destas, 74% ainda não haviam regularizado todas. Estes números são reflexo dos impactos negativos da pandemia da Covid-19 na vida financeira dos brasileiros. Cerca de 70% declararam que tiveram a renda familiar diminuída.

Quase metade dos entrevistados não teve alteração na situação de trabalho. Ainda assim, três em cada dez relatam que deixaram de trabalhar após a pandemia. Negociação de dívidas foram as contas que os consumidores mais deixaram de pagar, seguidas por cartão de crédito e conta de luz que aparecem na sequência.

Mais da metade dos entrevistados precisou pedir dinheiro emprestado para pagamento de dívidas. Cerca de 53% pediu a algum amigo ou parente. Para conseguir quitá-las, o parcelamento e a diminuição dos juros são as soluções mais citadas. 71% negociaram dívidas pela Acordo Certo, destes 35% afirmam terem contraído as dívidas por conta dos efeitos da pandemia.

Entre as pessoas que solicitaram saque emergencial do FGTS ou auxílio emergencial, o principal uso foi para pagamento de contas atrasadas e compra de alimentos. Os benefícios também foram usados para pagamentos de contas mensais e também para pagar amigos ou parentes.

Apesar de tudo isso, as pessoas ainda estão buscando negociar as dívidas e fazer acordos para aliviar a situação. Na Acordo Certo, de janeiro a julho foram realizadas mais de 1,5 milhão de renegociações, mostrando que as pessoas continuam preocupadas em quitar essas dívidas e limpar o nome.

“Ninguém gosta de ficar inadimplente, mas é natural que com o orçamento apertado, algumas contas mais urgentes e compra de comida sejam priorizadas. Outra pesquisa que fizemos em maio, já indicava que as pessoas achavam que não conseguiriam pagar todas as dívidas no curto prazo. Quando as finanças estiverem menos fragilizadas, as pessoas precisarão de soluções que as ajude a retomar ao equilíbrio”, pontua Thales Becker, CMO da Acordo Certo.

Sobre a Acordo Certo:

A Acordo Certo é uma fintech de soluções voltadas para o bem-estar financeiro dos consumidores, possibilitando a renegociação de dívidas de forma 100% online, com uma abordagem humana, acolhedora e empática. Fundada em 2013, possui mais de 30 empresas parceiras, entre elas varejistas, bancos, financeiras, empresas de telefonia e grupos educacionais, como Santander, Itaú, Porto Seguro Cartões, Claro entre outros. Conta com uma base com mais de 10 milhões de usuários cadastrados e mais de 3 milhões de acordos fechados pela plataforma. Com um time de mais de 0 Acorders (apelido carinhoso dado aos colaboradores), a empresa já passou por programas de aceleração como Escale Up da Edeavor, Quintessa, boostLAB do BTG Pactual, além de conquistar o selo GovTech da Brazil LAB e figurar na lista 100 Startups to Watch de 2020.



***

terça-feira, 15 de setembro de 2020

TRAILER OFICIAL DE LONG WAY UP estreia na APPLE TV 18/09


Apple TV + revela trailer oficial de "Long Way Up", série épica com Ewan McGregor e Charley Boorman de Harley-Davidson LiveWire®



Nova série estreia globalmente na Apple TV + com seus três primeiros episódios nesta sexta-feira, dia 18 de setembro

O trailer de “Long Way Up”, a nova série épica e original da Apple, com as estrelas Ewan McGregor e Charley Boorman já está disponível. Os três primeiros episódios da série , que conta com 11 partes, estrearão globalmente na Apple TV + nesta sexta-feira, dia 18 de setembro. Novos episódios serão lançados semanalmente, sempre às sextas-feiras.

Assista ao trailer acessando o link a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=611fw81BN98

“Long Way Up” reúne McGregor e Boorman para a aventura definitiva em viagens e amizade depois de mais de uma década desde sua última aventura de moto ao redor do mundo. Em sua expedição mais desafiadora até hoje, os dois cobrem aproximadamente 21 mil quilômetros ao longo de 100 dias do Ushuaia, na ponta da América do Sul, até Los Angeles. Para contribuir com a sustentabilidade do planeta, a dupla viaja em motocicletas Harley-Davidson LiveWire® elétricas modificadas.

Usando tecnologia de ponta, eles viajam por 16 cruzamentos de fronteira e 13 países junto com seus colaboradores de longa data, os diretores David Alexanian e Russ Malkin, que os seguem nos dois primeiros caminhões elétricos Rivian já feitos.

“Long Way Up” foi criado e produzido por Ewan McGregor, Charley Boorman, David Alexanian e Russ Malkin.

Apple TV + está disponível no aplicativo Apple TV no iPhone, iPad, Apple TV, iPod touch, Mac, smart TVs Samsung e LG selecionadas, dispositivos Amazon Fire TV e Roku, bem como em tv.apple.com, por R$ 9,90 por mês com um teste gratuito de sete dias. O aplicativo Apple TV estará disponível nas smart TVs Sony e VIZIO ainda este ano. Por tempo limitado, os clientes que adquirirem um novo iPhone, iPad, Apple TV, Mac ou iPod touch podem desfrutar gratuitamente de um ano de Apple TV +. Esta oferta especial é válida por três meses após a primeira ativação do dispositivo elegível.*

Sobre a LiveWire®

A Harley-Davidson LiveWire® 2020 é uma motocicleta totalmente nova; um novo modelo emocionante e impressionante, projetado para oferecer ao motociclista uma experiência de motociclismo de alto desempenho com um novo nível de tecnologia e a aparência premium de um produto Harley-Davidson. Saiba mais sobre a Harley-Davidson® LiveWire®: https://www.harley-davidson.com/br/pt/products/bikes/future-vehicles/livewire.html

As motocicletas da Harley-Davidson do Brasil estão disponíveis para um exclusivo Test Ride em toda a rede de concessionárias autorizadas da marca no País, de acordo com a disponibilidade dos modelos na rede e seguindo as recomendações dos governos estaduais e municipais em relação aos cuidados com a saúde. Para registrar seu interesse, acesse o site https://testrides.harley-davidson.com/pt_BR e inscreva-se. Encontre a loja Harley-Davidson mais próxima em https://www.harley-davidson.com/br/pt/tools/find-a-dealer.html. Confira as ofertas do mês em https://www.harley-davidson.com/br/pt/tools/offers.html.



SOBRE A HARLEY-DAVIDSON

Harley-Davidson, Inc. é a empresa controladora da Harley-Davidson Motor Company e da Harley-Davidson Financial Services. Nossa visão: Construindo nossa lenda e liderando nossa indústria por meio da inovação, evolução e emoção. Nossa missão: Mais do que construir máquinas, defendemos a busca atemporal por aventura. Liberdade para a alma. Desde 1903, a Harley-Davidson tem definido a cultura da motocicleta com uma gama em expansão de motocicletas de ponta, distintas e personalizáveis, além de experiências de pilotagem e acessórios, equipamentos e roupas de pilotagem excepcionais. Harley-Davidson Financial Services fornece financiamento, seguros e outros programas para ajudar a colocar os motociclistas da Harley-Davidson na estrada. A Harley-Davidson do Brasil produz e comercializa motocicletas das famílias Sportster®, Softail®, Touring e CVO™. Saiba mais sobre como a Harley-Davidson está construindo a próxima geração de motociclistas em https://www.harley-davidson.com.br


***



segunda-feira, 14 de setembro de 2020

CROSP reivindica compromisso com a saúde bucal aos candidatos à prefeitura nas eleições municipais de 2020

freepik.com


O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) divulgou, nesta terça-feira (18/08), carta pública com uma série de reivindicações da classe aos candidatos a prefeito nas eleições municipais de 2020. Levando em consideração a pandemia de covid-19, o documento, elaborado pela Comissão de Políticas Públicas e pela Câmara Técnica de Saúde Coletiva da autarquia, reforça a importância da atenção à saúde bucal no Sistema Único de Saúde (SUS).

A carta pleiteia, entre outros pontos, a expansão da rede de saúde bucal; o apoio às adequações estruturais para reforço da biossegurança do exercício odontológico; a qualificação dos sistemas de fluoretação da água de abastecimento; e o envolvimento dos cirurgiões-dentistas nas políticas do município.

“É fundamental que quem venha a ser eleito assuma um compromisso com o SUS e, em especial, com a odontologia que vem sendo deixada um pouco de lado nos últimos anos. Diante do cenário atual, precisamos de um investimento grande na biossegurança dos profissionais da área”, salienta Luiz Felipe Scabar, presidente da Câmara Técnica de Saúde Coletiva do CROSP.

Paulo Frazão, coordenador da Comissão de Políticas Públicas da autarquia, corrobora. “O país atravessa uma grave crise política, econômica e sanitária cujos desdobramentos podem levar a uma crise social de difícil controle, caso não haja uma resposta adequada às demandas apresentadas. Precisamos, portanto, de candidatos determinados a adotarem as medidas necessárias para superar esse momento”.

Para conferir o material na íntegra, clique aqui.

Sobre o CRO-SP

O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) é uma autarquia federal dotada de personalidade jurídica e de direito público com a finalidade de fiscalizar e supervisionar a ética profissional em todo o Estado de São Paulo, cabendo-lhe zelar pelo perfeito desempenho ético da Odontologia e pelo prestígio e bom conceito da profissão e dos que a exercem legalmente. Hoje, o CROSP conta com mais de 145 mil profissionais inscritos. Além dos cirurgiões-dentistas, o CROSP detém competência também para fiscalizar o exercício profissional e a conduta ética dos Técnicos em Prótese Dentária, Técnicos em Saúde Bucal, Auxiliares em Saúde Bucal e Auxiliares em Prótese Dentária. Mais informações: www.crosp.org.br

***





Ministério da Saúde discute a incorporação de medicamento para AME tipos II e III

Ministério da Saúde discute a incorporação de medicamento para AME tipos II e III

Secretaria-executiva da Conitec aguarda devolutiva da empresa sobre nova proposta de compartilhamento de risco O Ministério da Saúde tem investido cada vez mais na assistência a doenças raras, entre elas a Atrofia Muscular Espinhal (AME). Pacientes com a AME tipo I já contam com o medicamento nusinersena (Spinraza) no Sistema Único de Saúde (SUS) desde dezembro de 2019 e, agora, a pasta tem discutido a incorporação deste tratamento para os tipos II e III da doença. 

Nesta sexta-feira (11/09), representantes da pasta se reuniram com a empresa produtora da tecnologia, a Biogen, para tratar das pendências para abertura do processo de avaliação da tecnologia para incorporação. Na ocasião, a empresa apresentou as evidências econômicas, aspecto que não havia sido incluído na documentação anterior.

Além disso, o laboratório convidou para o encontro o médico Dr. Edmar Zanotelli, neurologista e especialista em AME, que agregou evidências sobre o medicamento. O Ministério aguarda, ainda, uma devolutiva da empresa sobre a proposta de compartilhamento de risco. Uma nova reunião foi agendada para a próxima sexta-feira, dia 18.

Sobre o modelo para o compartilhamento de risco, o secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde, Hélio Angotti Neto, afirmou que o Ministério da Saúde apresentou parâmetros para formalização de um novo acordo, baseado no desempenho do medicamento e no número pacientes tratados por ano. “Nos reunimos com a empresa no dia 28 de agosto e solicitamos algumas inclusões nos estudos e uma nova proposta de compartilhamento de risco”, disse.

De acordo com o secretário, o MS está acompanhando e tem agido para qualificar a proposta da empresa Biogen para abertura de demanda para incorporação do medicamento para os tipos II e III da AME. “Precisamos de cooperação de ambas as partes para criar uma proposta de compartilhamento de risco sólida, sustentável e viável que mova o plenário da Conitec para uma decisão adequada. Esse assunto tem mobilizado muitas famílias no Brasil e tem um aspecto de direitos humanos. Essas famílias têm pressa e buscam soluções”, afirmou.

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) atua por demanda e tem como pré-requisito legal o envio, pelo demandante, de estudos relacionados aos temas. A Conitec realiza a avaliação das tecnologias em saúde a serem incorporadas no SUS levando em consideração aspectos como eficácia, acurácia, efetividade e a segurança da tecnologia, além da avaliação econômica comparativa dos benefícios e dos custos em relação às tecnologias já existentes e o seu impacto orçamentário.

Hélio Angotti disse ainda que a pasta segue com o Monitoramento do Horizonte Tecnológico (MTH) para o tratamento de diferentes doenças. “Enquanto avaliamos um medicamento, monitoramos o horizonte tecnológico para saber o que vem no futuro e quais são as novas possibilidades de tratamento. Por isso estamos monitorando medicação de outros laboratórios e a terapia gênica”, explicou.

A AME é uma doença genética que interfere na capacidade do corpo em produzir uma proteína essencial para a sobrevivência dos neurônios motores. Sem ela, estes neurônios morrem e os pacientes perdem progressivamente o controle e força musculares, ficando incapacitados de se moverem, engolirem ou mesmo respirarem, podendo, inclusive, falecerem. A doença é degenerativa e não possui cura. Possui 4 subtipos, variando pela idade de início dos sintomas. Por ser rara, a incidência é de 1 caso para cada 6 a 11 mil nascidos vivos.

***

Foxbit é eleita uma das empresas de criptomoedas mais éticas dentro do setor financeiro do Brasil

A Foxbit, uma das maiores e mais segura exchange de criptomoedas do Brasil, foi eleita uma das empresas de criptomoedas mais éticas dentro do setor financeiro do Brasil. A eleição foi feita segundo pesquisa elaborada pela Virtuous Company, consultoria de governança corporativa e gestão organizacional e contou com a avaliação de mais de 111 empresas. No relatório do estudo, a Foxbit ficou na frente de nomes como NuBank, Neon, C6 Bank, Mastercard, Paypal, B3, Itaú entre outras empresas mais tradicionais do setor.

“É muito importante para nós da Foxbit sermos reconhecidos entre as melhores fintechs brasileiras e como a exchange mais ética do Brasil. Aqui damos voz e liberdade para todos e buscamos sempre trazer um ambiente organizado e confortável para as pessoas exercerem o seu melhor sempre. E não é à toa que um de nossos valores mais importantes é: Criptos são negociadas, ética não. Esse é um assunto sério para nós e que passamos para o nosso time no dia a dia e para os nossos clientes” revela João Canhada, CEO da Foxbit.

O relatório indicador de Cultura Ética da Virtuous é baseado num modelo conceitual do Ethical Systems® e é composto por dez dimensões. Os cinco itens preliminares (qualificadores) são: Confiança Organizacional: item que avalia o ambiente organizacional do ponto de vista de confiança, segurança e exalta como as pessoas estão se sentindo confortáveis em trabalhar em uma instituição confiável e que também mostra confiança nas pessoas; Liderança ética: item que avalia a justiça, que ilustra a preocupação com as pessoas e que garante a integridade das pessoas e times; Orientação para o bem comum: esse ponto avalia que a empresa não tem uma cultura egoísta e que dá liberdade para os colaboradores, tratando-os como membros importantes e transformadores da empresa; Empatia: essa característica analisou como os colaboradores adotam a postura de se colocar no lugar dos outros e Liberdade para falar: “as pessoas têm voz”. Eles se manifestam, podem falar sem medo, perguntam, questionam e contribuem para decisões. Também corrigem comportamentos antiéticos. Tem segurança psicológica para trabalhar.

O Ranking Virtuous Company de Cultura Ética® 2020 pode ser acessado neste link.

Sobre a Foxbit

A Foxbit é uma das maiores e mais antigas exchange de criptomoedas do mundo, atuando no Brasil com negociação em bitcoin, ether, litecoin, TrueUSD e XRP. Desde 2014, busca inspirar pessoas a conquistar liberdade financeira para que possam realizar seus sonhos.


***


Bairro da Penha ganha exposição pelos seus 353 anos

Realizada pelo Shopping Penha, a mostra retrata a história da região em imagens


No mês de comemoração dos 353 anos do segundo bairro mais antigo de São Paulo, o Shopping Penha, em parceria com a ‘Página Venha que eu sou da Penha’, realiza a exposição “Retratos da Penha”. A mostra traz histórias de personagens inesquecíveis da região, sua arquitetura histórica e tombada, e claro, uma pluralidade de culturas e religiões características do bairro.

A exposição que toma conta da praça central de eventos do empreendimento possui em sua curadoria dezenas de imagens históricas dos monumentos que hoje são referência quando falamos da Penha. A construção da Basílica, revolução Paulista, as casas de pau-a-pique e a imagem original do Santuário de Nossa Senhora da Penha são apenas algumas das imagens que enchem os olhos dos visitantes.

“Nosso bairro é composto por diversas paissagens que fizeram parte da história dos moradores, dos paulistas e até mesmo dos brasileiros. Estamos presentes até em momentos como a longa viagem de D. Pedro I para declarar a Independência do Brasil. Por isso, a exposição chega para trazer um pouco dessa história para quem não conhece ou mesmo faz parte dela,” afirma Renata Barros, gerente de marketing do empreendimento.

Com a curadoria de Felipe Rodrigo Leite, administrador da Página parceria, a mostra acontece de segunda a domingo, das 12h às 20h, e fica no empreendimento até o dia 30 de setembro. Para a realização, o Shopping Penha continua seguindo rigorosamente as medidas de segurança, higienização e controle de fluxo orientadas pelas autoridades.


Serviço – Exposição Retratos da Penha
Data: Até 30/09
Horário: 12h às 20h
Local: Praça de Eventos
Endereço: Rua Dr. João Ribeiro, 304 – Penha – São Paulo - SP
Informações: (11) 2095-8237 – www.shoppingpenha.com.br


***

TEMOS UM PRESENTE PARA VOCÊ.
Está desempregado e quer descobrir novas formas de sobreviver durante a crise?






domingo, 13 de setembro de 2020

Novo meio de pagamentos do Banco Central, Pix deve estar disponível a partir de novembro


Serviço será gratuito para pessoa física e pode colocar um ponto final aos sistemas de Doc e Ted oferecido pelos bancos


Marcelo Godke

Previsto para ter início em novembro, o PIX – novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central (BC) – deve revolucionar esse nicho do mercado e pode acabar, de forma definitiva, com os sistemas de DOC e TED, oferecidos atualmente pelos bancos. A novidade deve colocar vários players desse disputado mercado competindo por clientes, dessa vez em uma inédita igualdade de forças.

Enquanto os bancos cobram taxas de até R$20 por um DOC ou um TED, o PIX irá ser gratuito para quem envia o dinheiro. É esse justamente o objetivo anunciado pelo Banco Central: baratear e democratizar o custo das operações de transferências e pagamentos.

Com o PIX, as movimentações poderão ser feitas 24 horas por dia, sete dias por semana, com compensação instantânea do dinheiro – em TEDs e DOCs, as transferências podem ser feitas apenas em dias úteis, em horários restritos. Será possível transferir dinheiro para um destinatário gratuitamente, não importa qual o banco ou outra instituição em que ele tem conta. Dados do BC informam que já foram solicitados 980 pedidos de adesão de empresas interessadas, sendo que apenas uma pequena parte são de instituições financeiras.

“Com a disseminação do uso do PIX, a tendência é a redução da utilização de dinheiro vivo e esse fato pode, inclusive, reduzir, ou pelo menos ajudar a controlar a prática de lavagem de dinheiro”, explica o especialista em Direito Empresarial e Societário, e professor do Insper e da Faap, Marcelo Godke.

O advogado acredita que o PIX irá colocar o Brasil na modernidade financeira. “Vários outros países já adotam sistemas similares. O custo de fazer o dinheiro transitar vai cair, teremos mais agilidade e menos risco, já que a liquidação das transferências acontece basicamente em tempo real”, informa Godke.

Com relação ao novo cenário e a concorrência, o especialista acredita que, por uma questão de mercado, quem resolver ficar fora do novo sistema estará condenado ao fracasso em um futuro próximo. “Pela regulamentação em vigor, todos os grandes bancos terão de participar do PIX. Mas, por conta da internet e da tecnologia, eles perderão o controle sobre o fluxo financeiro das pessoas e das empresas. O PIX é só a tecnologia que vai levar a isso”, finaliza.

Conheça alguns detalhes sobre o funcionamento do PIX

Quanto vai custar? Transferências entre pessoas físicas serão gratuitas. Lojistas terão que pagar para receber os pagamentos e transferências entre pessoas jurídicas também serão tarifadas. Porém, o BC diz que as taxas devem ser bem menores do que as praticadas atualmente.

Cadastro: a partir de 05 de outubro, será possível realizar o registro de pessoas físicas e jurídicas. O cadastro é obrigatório apenas para instituições financeiras com mais de 500 mil clientes.

Chaves Pix: São as formas de identificar os usuários. Não será mais necessário informar agência, conta e CPF. Os consumidores poderão realizar transferências ou pagamentos de contas e produtos de três maneiras principais: Chaves Pix, QR Code e NFC.

Fim dos cartões? No momento, a ameaça maior é para o cartão de débito. Mas o BC tem planos de ofertar compras a prazo com o sistema, o que transformaria o Pix em um rival do cartão de crédito.

Marcelo Godke – bacharel em Direito pela Universidade Católica de Santos, especialista em Direito dos Contratos pelo Ceu Law School. Professor do Insper e da Faap, mestre em Direito pela Columbia University School of Law e sócio do Godke Advogados. Doutorando pela Universiteit Tilburg (Holanda) e Doutorando em Direito pela USP (Brasil).


****


sábado, 12 de setembro de 2020

Startup nasce para "blindar" empresas contra Covid





Com equipe de profissionais em áreas como gestão, produção de eventos, infectologia, segurança do trabalho e vigilância sanitária, Gabbas oferece soluções para "blindar" empresas contra o Covid


A expectativa dos mercados para o retorno seguro das atividades estimulou o surgimento de uma startup pioneira em “blindar” empresas e espaços contra a disseminação do novo coronavírus. A Gabbas, que oferece consultoria, assessoria técnica e implementação de processos, nasceu há pouco mais de três meses e já tem diversos projetos em andamento, de empresas e instituições ligadas ao comércio, serviços, setor financeiro e especialmente ao mercado de eventos. A expectativa é de crescimento exponencial até meados de 2021.

“Ainda há muitas dúvidas quanto ao que pode ou não pode, deve ou não deve ser feito para garantir o retorno seguro de atividades. Há protocolos específicos para cada segmento, além das particularidades de cada empresa, cada espaço. Estamos falando de uma série de providências específicas e obrigatórias para cada situação, como comunicação adequada, monitoramento, medidas para o correto distanciamento social, higiene e proteção individual, sanitização correta dos ambientes entre outras, que vão aumentar a segurança e a confiança tanto de colaboradores quanto de clientes e potenciais participantes de um evento”, afirma a sócia-diretora da Gabbas, Patrícia Gabas.

A startup nasceu da união de profissionais com mais de 20 anos de atuação em gestão de projetos e produções executivas. “Identificamos a oportunidade de agregar nossa expertise à aplicação de soluções que atendam às novas necessidades de segurança e saúde nos mercados. Observamos que os protocolos pré-estabelecidos pela OMS, Ministério da Saúde e Municípios são dinâmicos, ora publicados como ‘Orientações de Caráter Provisório’, sofrendo alterações constantes, baseadas em requalificações de critérios e fases, durante a evolução da doença viral. Entendemos que é preciso manter-se atualizado e alerta, acompanhando ativamente todas as mudanças impostas, de acordo com cada classificação de riscos”, informa a executiva.

Como funciona

Mediante um diagnóstico prévio, com atenção em detalhes específicos de cada segmento, uma equipe de profissionais das áreas de gestão, infectologia, segurança do trabalho, vigilância sanitária e/ou nutrição atua junta na indicação e implementação dos protocolos mais adequados, prepara e instala as peças de comunicação exigidas e reformula espaços quando necessário. A startup oferece ainda consultoria integrada a métodos e processos, além de certificação COVID-Free, em parceria com certificadora internacional. Há também serviços de pré e pós-monitoramento, para garantir a implementação das medidas propostas, além de educação continuada para manutenção das boas práticas.

“Encontramos muita informação, mas pouca comunicação efetiva sobre como as empresas devem se comportar na retomada. Com a autotutela e ausência de um fiscalizador imparcial, escritórios e estabelecimentos tendem a relaxar no cumprimento das ações para as boas práticas. Diversos locais deixaram de fazer a higienização constante de superfícies ou de equipamentos, não fazem a medição de temperatura do público e não disponibilizam mais itens essenciais, como álcool em gel, por exemplo. Com esse relaxamento, há risco de processos e indenizações em escalas absurdas, além de referências pelo mundo de países que haviam retomado suas atividades econômicas e estão voltando a fechar espaços, devido ao aumento no número de contaminados”, lembra o sócio-diretor da Gabbas, Thomé Castro.

Mercado de Eventos: atenção redobrada

A retomada gradual da indústria de Eventos, com o retorno dos eventos com público sentado em São Paulo e dos eventos de negócios no Rio de Janeiro, já estimulou a movimentação de agências e empresas fornecedoras para o preparo de projetos híbridos e presenciais, seguindo as normas impostas pelos estados. No entanto, além da aplicação de protocolos já aprovados, são necessárias providências específicas para que o setor possa aumentar o nível de segurança.

“Estamos falando em espaços em que, mesmo seguindo regras de capacidade reduzida, reúnem pessoas. Pensando em primeiro lugar no público, mas para que as empresas também estejam respaldadas, todas as exigências sanitárias e de adequação de espaços precisam ser cumpridas de forma rigorosa. Também é preciso que colaboradores e público sejam preparados para se adequar à nova realidade e essa etapa envolve desde treinamento com equipes até medidas de comunicação eficientes”, lembra Patrícia Gabas.

E os cuidados não terminam quando o evento acaba. “As empresas organizadoras têm ainda a obrigatoriedade de manutenção de um banco de dados de todos os participantes por, pelo menos, um mês após o evento. As informações serão utilizadas como prevenção e monitoramento, caso haja alguma possibilidade de contaminação coletiva”, lembra.

A executiva acredita que mesmo com a eficácia comprovada da vacina, as empresas terão que manter as normas exigidas atualmente por prazo indeterminado. “A ciência está ainda estudando esse vírus e como ele se comporta, por isto acreditamos que, mesmo com o advento da vacina, novas exigências, aprimoradas, devem surgir. Por ora, devemos nos preparar, da melhor forma possível. O momento, agora, é de planejamento e preparação para a futura estabilização”, finaliza.

***





sexta-feira, 11 de setembro de 2020

Você sabe o que é o transtorno alimentar restritivo evitativo - TARE?

Freepik.com

No processo alimentar, é comum, desde a infância, termos preferências na hora de comer, sejam elas baseadas no gosto e na aparência do alimento ou até mesmo em questões relacionadas à religião ou à filosofia de vida. As restrições, porém, devem virar um sinal de alerta quando passam de um simples processo de escolha para algo mais severo e capaz de trazer malefícios à saúde.

É que, segundo a psicóloga do Hospital Edmundo Vasconcelos, Marina Arnoni Balieiro, quando a rotina alimentar ganha um perfil extremamente limitado, ela pode ser classificada como transtorno alimentar restritivo evitativo (TARE), um distúrbio que implica consequências nutricionais, comportamentais e sociais.

“É preciso salientar que esse distúrbio alimentar não está ligado à deturpação de imagem ou à preocupação com o peso. No caso do TARE, a pessoa tem uma alimentação extremamente restritiva que a leva a só comer alimentos de cores específicas, por exemplo, e a sofrer pelas interferências do transtorno em suas relações sociais e pelas complicações provocadas pelas deficiências nutricionais”, conta.

As consequências à saúde podem prejudicar o desenvolvimento físico, cognitivo e psíquico. Para amenizar essas complicações, Marina destaca a importância de um tratamento específico, cujo intuito é introduzir novas opções de alimentos na rotina, e consequentemente, melhorar a saúde física e mental do paciente.

“O tratamento é feito por uma equipe multidisciplinar, que pode envolver psicólogos, nutricionistas, médicos e até mesmo fonoaudiólogos. Como o distúrbio envolve aspectos físicos e comportamentais, é preciso dessa rede para melhorar a qualidade de vida do paciente”, explica.

Apesar de não ser algo definitivo para o desenvolvimento do TARE, a psicóloga destaca a importância da boa relação com a comida desde a infância para evitar quadros de restrição. “É esperado que, durante a etapa de descoberta alimentar, a criança passe por diferentes fases em sua relação com a comida e, para isso, a forma como o alimento é apresentado é de extrema importância. É interessante que haja contato real com o que se come, sem distrações nas refeições, o que torna a experiência da alimentação mais prazerosa”, conclui.

HOSPITAL EDMUNDO VASCONCELOS

Localizado ao lado do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, o Hospital Edmundo Vasconcelos atua em mais de 50 especialidades e conta com cerca de 1.000 médicos. Realiza aproximadamente 12 mil procedimentos cirúrgicos, 13 mil internações, 230 mil consultas ambulatoriais, 145 mil atendimentos de Pronto-Socorro e 1,45 milhão de exames por ano. Dentre os selos e certificações obtidos pela instituição, destaca-se a Acreditação Hospitalar Nível 3 - Excelência em Gestão, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) e o primeiro lugar no Prêmio Melhores Empresas para Trabalhar na categoria Saúde - Hospitais, conquistado por três anos consecutivos, 2017, 2018 e 2019.

Rua Borges Lagoa, 1.450 - Vila Clementino, Zona Sul de São Paulo.

Tel. (11) 5080-4000


quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Olhos vermelhos, coçando e inchados? É conjuntivite ou blefarite?

Doenças são mais comuns durante o tempo seco e apresentam os mesmos sintomas


Inchaço, coceira, vermelhidão e secreção na região dos olhos. Estes são sintomas da conjuntivite, certo? Nem sempre! Apesar dos sintomas em comum pode ser também caso de blefarite. O oftalmologista doutor André Borba, especialista em oculoplástica pela Universidade da Califórnia, explica a diferença.

“A conjuntivite é uma infecção da membrana ocular, chamada de conjuntivo. Já a blefarite se dá pelo excesso de oleosidade nas pálpebras, que na maioria das vezes, é uma resposta à dermatite seborreica, também conhecida como caspa. Além disso, a baixa umidade do ar e o tempo seco são propícios para este tipo de infecção”, explica.

A principal distinção é o tempo de duração das duas condições. Enquanto a conjuntivite dura de 15 a 30 dias, a blefarite é crônica, e se torna recorrente na vida da pessoa afetada. “A blefarite pode realmente prejudicar a vida do paciente. A inflamação atrapalha muito o dia a dia porque a pálpebra fica inchada e altera significativamente a visão, isso sem falar no desconforto da coceira”, complementa.

O tratamento para as duas também é bem diferente. A conjuntivite pode ser sanada ao utilizar soro fisiológico gelado e compressas sobre as pálpebras, assim como limpar os olhos com frequência. Mas o caso da blefarite é mais grave, e muitas vezes envolve o uso de pomadas tópicas ou até mesmo antibióticos e anti-inflamatórios.

Fora os medicamentos, quem sofre com a blefarite deve lavar os olhos todos os dias, assim como escovamos os dentes. Manter uma dieta rica em vitamina C, A, E, assim como o ômega 3, também é importante. “Como a doença não tem cura, é melhor começar o tratamento o quanto antes, principalmente porque ele requer dedicação por parte do paciente”, alerta o médico.

Então, como podemos diferenciá-las em um primeiro momento? A resposta final é que infelizmente não conseguimos. Até ter o olho examinado por um especialista com o equipamento adequado, não há como fazer um diagnóstico caseiro. Segundo o doutor Borba, muitas vezes o diagnóstico da blefarite é atrasado pois o paciente acredita estar com conjuntivite e faz o tratamento errado em casa. “Por isso, minha recomendação é, sempre, consultar um oftalmologista em caso de qualquer alteração na região dos olhos”, finaliza o especialista.

***


FlowBrows: conheça a técnica queridinha das famosas




Ex-BBB Thelma, Deborah Secco, Isabella Drumond, Simone e Simaria já realizaram o procedimento


Quem nunca ouviu a expressão “sorrir com os olhos”? A verdade é que ela se tornou mais verdadeira do que nunca nos últimos tempos. Com o uso constante da máscara, a sobrancelha se torna a grande responsável por definir o olhar e pode fazer toda a diferença na simetria do rosto. Por isso a chamada micropigmentação tem chamado a atenção de homens e mulheres.

Responsável por desenvolver a nova técnica queridinha das celebridades, a empresária Natália Martins investe nos procedimentos realistas, chegando no formato ideal de sobrancelhas para cada pessoa por meio de uma análise da estrutura óssea facial. O procedimento exclusivo criado por ela, chamado FlowBrows, é feito manualmente fio a fio e promete um resultado extremamente natural, respeitando a cor e a textura das sobrancelhas. A realidade é que cada vez mais pessoas buscam fugir das sobrancelhas quadradas e muito marcadas, por isso a ideia é deixar o procedimento o mais imperceptível possível.

“Fiz meu primeiro curso de sobrancelhas sem nunca ter pego em uma pinça e hoje acho que este é o maior diferencial da técnica. Com um olhar amplo, analisando todo o formato e estrutura do rosto, fugimos do tradicional e oferecemos o natural. Isso contribuiu para que eu entendesse que não existe um padrão de beleza e que precisava criar algo que valorizasse a beleza natural de cada pessoa”, comenta Martins.

O procedimento que ganhou espaço nos Estados Unidos e tem data marcada para inaugurar no Oriente Médio, já foi realizado em famosas como Deborah Secco, Isabelle Drummond, Simone, Simaria, Thelma Assis, campeã do BBB20, Duda Reis, Ellen Milgrau e Simone Sampaio. “O método semipermanente dura em média de 6 meses a um ano e consiste na implantação de um pigmento orgânico na primeira camada da pele com uma lâmina extrafina, criando um desenho que proporciona leveza e movimento às sobrancelhas”, explica a especialista.

Vale ressaltar que o FlowBrows não é uma ‘maquiagem definitiva’. Mesmo utilizando agulha, pigmento e marcação cutânea, o procedimento não é permanente e deve ser retocado de acordo com o desgaste da pele. “Este é um processo extremamente artístico. Buscamos moldar o rosto e tornar o olhar uma verdadeira obra de arte, pois é trabalhado em um estado Flow, onde mente e corpo ficam em perfeita harmonia”, finaliza a empresária.

***


quarta-feira, 9 de setembro de 2020

Retomada às empresas deve alcançar 6,2 milhões de brasileiros

Foto: Freepik.com


Entre julho e agosto, 2 milhões de trabalhadores já deixaram o home office. Saiba as principais medidas de segurança para garantir a saúde de colaboradores e seus familiares


Dos 8,2 milhões de trabalhadores brasileiros que estavam em home office no final de julho, 2 milhões já retornaram aos seus postos em agosto, segundo dados da Pnad Covid. A pesquisa foi criada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para detectar os impactos no mercado de trabalho.

“Analisando os dados vemos que a retomada é uma realidade crescente, pois grande parte das pessoas que estava afastada pelo distanciamento está voltando aos seus postos em escritórios, fábricas e lojas em diversas cidades”, afirma Sergio Cafalli, Diretor Executivo da Dasa Empresas, nova estrutura comercial do Grupo Dasa que oferece soluções integradas de saúde. Seguindo orientações da OMS e do Ministério da Saúde, no entanto, há uma série de normas que precisam ser observadas para a saída do isolamento social e volta às atividades com segurança para os trabalhadores e seus familiares. A testagem uma das estratégias mais indicadas para combater a Covid.

A Dasa, líder em medicina diagnóstica no Brasil e na América Latina e 5ª maior do setor no mundo teve grande procura por consultoria e desenvolveu por meio da Dasa Empresas, a Solução Covid Empresarial que oferece 6 programas que apoiam as empresas. Além dos testes diagnósticos da Covid-19, com triagem por teleconsulta, um dos pilares desse trabalho é o plano de comunicação, que busca engajar os colaboradores no cumprimento das recomendações. A Dasa Empresas já atende mais de 500 empresas, com aproximadamente 850 mil vidas e a contratação de mais de 207 mil testes, entre Sorologia e RT-PCR, em todo o País.

Para a retomada, todas as etapas precisam ser pensadas: desde a chegada do colaborador à empresa e o alocamento em seus postos com distanciamento indicado, até o uso de espaços comuns, como refeitórios. Com o protocolo de testagem é possível identificar contaminantes, mapear setores com exposição, ter visibilidade dos resultados sobre a prevalência da doença. “A partir daí, as empresas conseguem definir e acompanhar protocolos de afastamento para indivíduos sintomáticos pré e pós-retorno. Portanto, é uma inteligência de solução que vai muito além de simplesmente aplicar testes ou mensurar a temperatura dos colaboradores da empresa”, completa

Solução Covid Empresarial

Criada pela Dasa Empresas a solução oferece uma consultoria e inteligência para áreas de RH possibilitando retorno seguro dos colaboradores às atividades presenciais, envolvendo ainda familiares e prestadores de serviços. O objetivo é ser um parceiro das empresas atuando na operação de retomada e contribuir para a saúde dos colaboradores.

A Solução Covid Empresarial visa ser uma forma modular e consultiva, que vai além dos testes diagnósticos da Covid-19, com triagem por teleconsultas, por exemplo. O Grupo Dasa reúne a Dasa (medicina diagnóstica), a Ímpar (rede de hospitais) e a GSC (integradora de saúde). Esta última realiza a Coordenação de Cuidado a colaboradores que testaram positivo para Covid e têm protocolos personalizados de acordo com o quadro clínico do paciente, que vai de repouso e isolamento domiciliar com acompanhamento de grupo multiprofissional da GSC a encaminhamento para hospitais em caso de pacientes críticos.


***


google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0