Nossos Vídeos

terça-feira, 28 de setembro de 2021

Afeganistão, mulheres e o povo hazaras, uma crise humanitária mundial




*Por Richard Geraldo


A Comissão de Direito e Relações Internacionais da Ordem dos Advogados do Brasil Subseção Santos considera que o retorno ao poder do Talibã no Afeganistão é uma notícia dramática sob múltiplos pontos de vista.

O declínio dos direitos e liberdades do povo afegão já é um fato e a vontade de promover a democracia desmoronou tão rapidamente quanto a comunidade internacional decidiu abandonar sua missão no país. Estamos particularmente preocupados com a situação que as mulheres terão de enfrentar, que voltarão a ser vítimas de uma visão fundamentalista, retrógrada e autocrática da vida em sociedade.

Em relação a esse cenário, afirmo que a Comissão de Direito e Relações Internacionais da OAB Santos é totalmente desafiada pelo drama humanitário que se desenrola no Afeganistão. A comunidade internacional deve abandonar imediatamente sua atual posição de não beligerância em relação ao regime do Talibã e exigir respeito inabalável pelos direitos humanos.

Acreditamos que as necessidades urgentes do povo afegão e especialmente da população feminina precisam ser atendidas. A intervenção da NATO tinha fornecido duas décadas de progresso na igualdade e da defesa dos direitos das mulheres. O fato de as mulheres serem novamente forçadas a abandonar a escola e a vida pública, bem como a sofrer todo tipo de violência física e social, é uma tragédia que a comunidade internacional deve enfrentar imediatamente.

Os hazaras são um povo que sofre profunda discriminação étnica dentro do seu próprio país, pois a maioria fundamentalista sunita, viam os hazaras como infiéis que mereciam morrer. Eles não tinham a aparência que devia ter um afegão e não faziam suas devoções como devia fazer um muçulmano. Dizia um ditado afegão: "Aos tadjiques o Tadjiquistão, aos usbeques o Usbequistão, e aos hazaras o goristão (cemitério)."Os hazaras são vítimas de vários ataques terroristas, cometidos por grupos armados, em particular Daëch e o Taliban. Facilmente reconhecíveis por seu rosto asiático, eles costumam ser sequestrados durante suas viagens entre as principais cidades.

Celebramos a evacuação de todos os que fugiram do regime talibã, mas acreditamos que o desafio nesta área também é grande.

E para que, sendo Santos uma Cidade de Acolhimento e Refúgio, nos empenharemos, em colaboração com todas as administrações, para que a advocacia, os profissionais do Direito e da Justiça e, em geral, todos os cidadãos afegãos que não queiram viver sob o jugo do Talibã, possam continuar suas vidas em países onde seus direitos e liberdades são respeitados.

*Richard Geraldo Dias de Oliveira é presidente da Comissão de Direito e Relações Internacionais da OAB Santos


segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Defensoria Pública responde à ONU sobre povos indígenas e lei antiterrorismo

Michele Bachelet - (Foto G1)

Nota técnica apresenta atuação da DPU em pontos de preocupação da alta comissária da ONU

Brasília – Diante da manifestação de preocupação da alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, sobre ameaças aos povos indígenas e à liberdade de expressão, sobretudo de ativistas, a Defensoria Púbica da União (DPU) divulgou nota técnica com apresentação das suas atuações nestes temas. O documento é assinado pelo subdefensor público-geral federal, Jair Soares Júnior, e pelo defensor nacional de direitos humanos, André Porciúncula.

A declaração de Bachelet apontando desafios para o exercício dos direitos humanos foi dada em 13 de setembro de 2021, durante a 48ª Sessão do Conselho dos Direitos Humanos da ONU. A alta comissária apelou em seu discurso para que as autoridades brasileiras revertessem políticas que afetam negativamente os povos indígenas e criticou o projeto para alteração na Lei Antiterrorismo (Lei 13.260/2016) que está sendo analisado pelo Congresso. Segundo ela, o texto poderia resultar em abusos e perseguições de ambientalistas e defensores dos direitos humanos no país.

Como resposta a essas preocupações, o texto da nota técnica reitera a dedicação da DPU tanto no caso dos alarmantes ataques contra os povos Yanomami e Munduruku por mineradores ilegais na Amazônia quanto em relação ao projeto sobre a Lei Antiterrorismo, que inclui disposições tidas como excessivamente amplas e vagas e que poderiam constranger a liberdade de expressão e levar à perseguição de ativistas.

Segundo o documento da DPU, a instituição não só presta atendimento jurídico gratuito e em relação à proteção dos direitos humanos dos povos indígenas, como também salvaguarda os direitos e recomendações internacionais relativas a esta população no território nacional. A Defensoria atua por meio do Grupo de Trabalho especializado em Comunidades Indígenas - integrado por 21 membros e pontos focais – e ainda pelos 26 defensores regionais de direitos humanos designados para atuar em Estados que necessitam de atenção especial nessa temática.

Conforme ressalta o texto, recentemente “a DPU atuou em Amicus Curiae junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a medida cautelar de arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF) 709. Os membros da Defensoria Pública da União pediram a imediata adequação do Plano de Enfrentamento e Monitoramento da Covid-19 para os Povos Indígenas, apresentado pela União, e a adoção das medidas indicadas por eles, dentre elas que as medidas necessárias para a retirada dos invasores nas Terras Indígenas Yanomami, Karipuna, Uru-EuWau-Wau, Kayapó, Araribóia, Munduruku e Trincheira Bacajá, valendo-se para tanto de todos os meios necessários para tanto”.

Além disso, a Instituição atua na defesa do território dos Munduruku contra garimpo, tendo inclusive participado de reunião em novembro de 2020 com 50 representantes do Movimento Munduruku Iperêg Ayû, dentre os quais 13 caciques, além de representantes de cinco associações indígenas. Ainda quanto aos povos indígenas, em 17 de junho de 2021 a DPU emitiu a Nota Técnica nº 5 por meio de seu GT Comunidades Indígenas, no qual manifestou “rejeição à Câmara dos Deputados quanto às inconstitucionalidades, inconvencionalidades e vícios formais, do Projeto de Lei 490/2007 sobre demarcação de terras indígenas”.

Lei Antiterrorismo

Sobre a preocupação com a tramitação de alteração na Lei Antiterrorismo, a nota esclarece que, diante das manifestações de organizações internacionais por esclarecimentos e reconsideração no sentido de salvaguardar liberdades fundamentais como o direito à greve, à manifestação e à liberdade de expressão, a DPU emitiu, em 6 de setembro, nota pública em que ratificou a necessidade de observância dos valores democráticos pelo Estado brasileiro.

Na ocasião, a instituição reafirmou seu compromisso com a defesa da liberdade de informação como direito, não apenas individual, mas difuso à liberdade de opinião e de pensamento (artigo 5°, IV, CF), a liberdade de expressão de atividade intelectual, artística, científica e de comunicação (art. 5°, IX, CF), a liberdade de informação jornalística ou de imprensa (artigo 220, CF) e o direito difuso de acessar e receber informações e dados de órgãos públicos (art. 5º, XIV, CF).

Por fim, a nota técnica ratifica que a Defensoria Pública da União se compromete com a garantia e promoção dos direitos de grupos vulneráveis, bem como com os valores que compõem um Estado Democrático de Direito. As defensoras e os defensores públicos federais reconhecem, ainda, a necessidade de um amplo debate na sociedade brasileira sobre a proteção de direitos dos povos indígenas, da liberdade de expressão e da proteção de defensoras e defensores de direitos humanos.

Assim, na posição de instituição que integra o sistema de justiça e a estrutura do governo, mantendo a sua independência e a sua própria autonomia funcional e administrativa, a DPU se coloca como uma instituição nacional de defesa dos direitos humanos.

domingo, 5 de setembro de 2021

Bomar Pescados alerta para os cuidados na hora de comprar pescados congelados

Foto: Freepik


Na hora de adquirir pescados, sejam frescos ou congelados, é necessário redobrar a atenção para a procedência e conservação do produto. O pescado é caracterizado como um alimento saudável, mas ao mesmo tempo muito sensível, razão pela qual é necessário ter cuidado na hora de escolher. De acordo com Gentil Linhares Filho, diretor comercial da Bomar Pescados, pequenas observações podem prevenir um acidente alimentar. “Verificar detalhes como, embalagem, local da armazenagem, temperatura e aparência são orientações importantes quando se depara com pescados congelados”, explica.

Primeiro, verifique se o produto está armazenado na temperatura de conservação informada pelo fabricante na embalagem. Cheque ainda se ela está bem fechada e conservada a uma temperatura de, pelo menos, -18º C. “É preciso ter atenção para a procedência: mercadoria clandestina, sem os devidos informativos de fabricação e validade são fortes indícios de perigo”, acrescenta Gentil Filho.

Os produtos dentro da embalagem não podem estar amolecidos ou com acúmulo de líquidos, pois isso é sinal de que passaram por um processo de descongelamento. A presença de gelo ou muita água indica que o local onde esse pescado estava foi desligado ou teve sua temperatura diminuída temporariamente. Gentil Filho esclarece ainda que é preciso ficar alerta se, ao comprar o produto ainda congelado, notar uma demora para o descongelamento. “Muitas vezes, o cliente compra o produto congelado, sai e demora para chegar em casa. E quando chega, volta a colocar esse pescado no congelador novamente. Esse comportamento pode acarretar prejuízos no pescado”, afirma.

Outra dica importante é prestar atenção na aparência. Se a cauda ou a cabeça estiverem escuros, é um sinal de que o alimento não está bem conservado. Em relação a cor, o normal é ser rosado ou cinza, dependendo da espécie do pescado. “Qualquer indicativo que fique fora da aparência normal de um pescado saudável pode ser um risco à saúde", finaliza Gentil Filho.

Sobre a Bomar:

Genuinamente cearense, a Bomar já consolidou-se como uma das principais empresas de pescado e cultivo de camarão e tilápia no Brasil. Empenhando-se constantemente em proporcionar mais do que um momento de culinária, mas uma experiência verdadeiramente gourmet que surpreenda o paladar em qualquer momento do dia.

sexta-feira, 3 de setembro de 2021

Doação de Sangue na Zona Leste convida moradores a ajudar hemocentros paulistas

Ação acontece no Shopping Penha no dia 8 de setembro

Os estoques de bancos de sangue nos hemocentros paulistas tiveram uma queda inesperada e preocupante devido à pandemia. De olho nesse cenário, o Shopping Penha, em parceria com o projeto AMORSEDOA, OAB Penha, H. Hemo e Letra Certa, promovem uma ação de Doação de Sangue no dia 8 de setembro das 10h às 16h no piso térreo do empreendimento.

“Doar sangue salva vidas. Queremos incentivar nossos visitantes a abraçar essa causa tão importante que com a pandemia fez os hemocentros entrarem em estado de atenção. Iniciativas como essa fortalecem ainda mais nosso compromisso perante à sociedade”, afirma Débora Blanco, gerente geral do Shopping Penha.

Os interessados, devem se inscrever antecipadamente pelo link https://www.sympla.com.br/doacao-de-sangue-no-shopping-penha----dia-0809__1325205. É necessário ser maior de 18 anos ou apresentar autorização de um responsável. Na hora da doação é preciso apresentar documento com foto e estar bem alimentado.

Principais impedimentos temporários para doação:
  • Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas.
  • Gravidez.
  • 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.
  • Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.
  • Tatuagem, maquiagem definitiva e micropigmentação (sobrancelhas, lábios, etc.) nos últimos 12 meses.
  • Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses.
  • Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia, etc.): aguardar 6 meses.
  • Extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias.
  • Cirurgia odontológica com anestesia geral: por 4 semanas.
  • Acupuntura: se realizada com material descartável: 24 horas; se realizada com laser ou sementes: apto; se realizada com material sem condições de avaliação: aguardar 12 meses.
  • Vacina contra gripe: por 48 horas.
  • Herpes labial ou genital: apto após desaparecimento total das lesões.
  • Herpes Zoster: apto após 6 meses da cura (vírus Varicella Zoster).
Brasil: estados como Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são locais onde há alta prevalência de malária. Quem esteve nesses estados deve aguardar 12 meses para doar, após o retorno.


Coronavírus:


. Candidatos que apresentaram infecção pelo COVID-19 são considerados inaptos por um período de 30 dias, após recuperação clínica completa (assintomáticos).

. Candidatos que tiveram contato direto (domiciliar ou profissional) com casos suspeitos ou confirmados de contaminação por coronavírus devem aguardar 14 dias após o último dia de contato para realizar a doação de sangue.

. Profissionais da saúde (médicos, enfermeiros entre outros) que trabalham diretamente com pacientes portadores de Covid-19 devem aguardar 14 dias após o último dia de contato para realizar a doação de sangue.

. Candidatos que foram vacinados contra Covid-19 só podem doar:

- 48 horas após cada dose (vacina Coronavac, da Sinovac/Butantan);

- 7 dias após cada dose (vacina da Oxford/AstraZeneca/Fiocruz);

- 7 dias após cada dose (vacina da Pfizer/BioNtec/Fosun Pharma);

- 7 dias após cada dose (vacina da Janssen-Cilag);

- 7 dias após cada dose (vacina Sputinik V, da Gamaleya National Center);

- 48 horas após cada dose (vacina Covaxin, da Bharat Biotech); e

- 7 dias após cada dose (vacina da Moderna/Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas).

- Hepatite após os 11 anos de idade. *

- Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas.

- Uso de drogas ilícitas injetáveis.

- Malária

- Mal de Parkinson



Serviço

Doação de Sangue

Quando: 8 de setembro

Horário: 9h às 16h

Inscrições:



Shopping Penha

Endereço: Rua Dr. João Ribeiro, nº 304 - Penha‎ - São Paulo, SP

Mais informações: (11) 2095-8237 – www.shoppingpenha.com.br



domingo, 15 de agosto de 2021

Vagas em tecnologia: oferta cresce 18% em 2021

Busca pelos profissionais aumenta no último ano, empresas seguem com vagas disponíveis e oferecem posições exclusivas para mulheres em tecnologia

Como consequência da adaptação das empresas para soluções tecnológicas que permitissem a implementação de teletrabalho e digitalização de serviços, a necessidade de profissionais de tecnologia ficou evidente no último ano. Um balanço feito pela Catho

marketplace de tecnologia que conecta empresas e candidatos, revela um crescimento de 17,9% no número de vagas em tecnologia no primeiro semestre de 2021. Além disso, os desenvolvedores foram alguns dos profissionais mais buscados no período, registrando um aumento de 4,98% quando comparado ao mesmo período do ano anterior.


Com este mercado ainda em ritmo de crescimento, empresas de tecnologia e startups estão com diversas vagas abertas, algumas delas afirmativas para mulheres no setor. Entre as posições, estão Desenvolvedores Full Stack, Back-end e Front-end, bem como DevOps.


Confira as oportunidades a seguir.

Veek

A MobTech Veekprimeira operadora móvel com plano gratuito no mundo, busca cinco profissionais para se juntarem à equipe de desenvolvedores da startup. Para nível júnior, as posições disponíveis são para Desenvolvedor Javascript back-end, Desenvolvedor Javascript front-end e Desenvolvedor Javascript Full Stack. Há oportunidades também para cargo pleno para atuar como Desenvolvedor Javascript back-end e para front-end. Interessados devem se candidatar pelo link https://jobs.kenoby.com/veek

Ahgora

A GPTW AhgoraHR Tech catarinense, conta com sete oportunidades para desenvolvedores, incluindo duas vagas afirmativas para mulheres em tecnologia: Desenvolvedora Full Stack e Product Designer (UX/UI). As demais posições são: Data Engineer, Data Scientist, Desenvolvedor Full Stack, DevOps, e Product Owner. As candidaturas devem ser realizadas pelo site https://vempraahgora.gupy.io/

Rispar

Risparprimeira fintech brasileira que oferece crédito em reais tendo bitcoin como garantia, tem vagas abertas para desenvolvedores: Desenvolvedor(a) Front-end, Desenvolvedor(a) Sr / Tech Lead. Os interessados em concorrer a alguma das vagas podem enviar o currículo para o email vagas@rispar.com.br

CleanCloud

A CleanCloud, empresa brasileira especializada em segurança em nuvem, está com vagas abertas com foco em tecnologia, entre elas Tech Lead, DevOps, Desenvolvedor(a) Full Stack e Front-end. Os interessados devem se candidatar pelo link: https://cleancloud.io/trabalhe-conosco/

Tembici

Tembicilíder em tecnologia para micromobilidade, responsável pelo principal sistema de compartilhamento de bikes da América Latina, está com três vagas aberta para desenvolvedores, são elas: analista de devops, arquiteto(a) de segurança sênior e engenheiro de qualidades de software, todas em São Paulo. Os interessados em fazer parte de uma empresa que cresce ano após ano e revoluciona a mobilidade urbana, basta acessar https://tembici.gupy.io/ para se candidatar aos processos seletivos.

a55

A a55fintech que viabiliza crédito para empresas de tecnologia e receita recorrente presente no Brasil e no México, está com vagas em aberto, especialmente para a área de tecnologia. No total, a a55 conta com mais de 14 mil clientes cadastrados em sua plataforma, impulsionou mais de 200 negócios nos dois países e já originou mais de R$ 200 milhões em crédito. Entre os cargos estão: Desenvolvedor(a) Python Pleno, desenvolvedor(a) Python Senior, Product Owner, entre outros. Todas as oportunidades são para trabalhar no modelo remoto. Os interessados podem se candidatar no site de talentos da empresa. 

Pravaler

Pravalermaior plataforma de soluções financeiras para educação do país, tem quatro vagas abertas para a área de tecnologia, exclusivamente para mulheres. Os cargos são de Analista de Dados e Analytics Pleno, Engenheira de Software Front-end, Engenheira de Dados Sr. e Gerente de Engenharia de Software. Das vagas de liderança que estão abertas na fintech em diversas áreas, 20% são afirmativas para mulheres. Para se candidatar basta acessar o site.

AgroVantagens

AgroVantagens 

é um programa de fidelidade do agronegócio responsável pela primeira moeda do segmento - o AgroBonus. Com as atividades iniciadas em agosto para mais de 35 mil usuários e valor de transação inicial de R$ 400 milhões, a empresa está com três vagas abertas para Desenvolvedores C# Fullstack, sendo estas posições para trabalho em regime remoto em tempo integral. É necessário possuir conhecimentos técnicos na linguagem C# bem como nas tecnologias .NET Framework, ASP. NET MVC, Entity Framework, Web services REST, .NET Core, SQL, HTML5 e Javascript. Inglês técnico e conhecimento em metodologias ágeis são diferenciais.

Desenvolvedor C# Fullstack em nível Sênior. Requisitos mínimos: formação acadêmica completa em Ciências da Computação, Sistemas de Informação ou outros cursos relacionados, experiência no desenvolvimento de Webservices, interfaces web (frontend e backend) e de novas funcionalidades utilizando as tecnologias citadas anteriormente. Necessário possuir capacidade analítica para propor soluções para problemas técnicos e facilidade de trabalho em equipe.

As outras duas oportunidades são para o nível Pleno. Exigências mínimas: formação acadêmica completa ou em andamento em Ciências da Computação, Sistemas de Informação ou outros cursos relacionados, desejável experiência no desenvolvimento de Webservices, interfaces web (frontend e backend) e facilidade de trabalho em equipe.

Entre as atividades será necessário prestar suporte aos analistas de negócio e gerar documentações inerentes ao desenvolvimento. Os currículos podem ser enviados por meio do formulário disponível no website oficial do AgroVantagens até 30/09.

Como a neurociência pode te transformar no profissional do futuro



Quatro estratégias de Mind Skills para potencializar seu aprendizado e te levar a resultados efetivos



O mundo está mudando de forma cada vez mais veloz e uma das maiores preocupações dos profissionais, seja os que estão chegando no mercado, ou os que já estão posicionados é: estarei pronto para todas estas transformações?

Quais são as competências necessárias para sermos profissionais bem-sucedidos no mercado de trabalho do futuro? O WEF (Fórum Econômico Mundial) está constantemente atualizando a lista que considera serem as competências necessárias para ser bem-sucedido no mercado de trabalho do futuro e elas vão muito além do conhecimento técnico.

As cinco principais apontadas no relatório de outubro de 2020 indicam que, para se destacar profissionalmente até 2025 é necessário ter pensamento analítico e inovação, aprendizagem ativa e estratégias de aprendizado, resolução de problemas, pensamento crítico e criatividade.

Há tempos o aprendizado deixou de ser algo com tempo definido para acontecer e se tornou uma jornada de vida que ganhou até um termo próprio, lifelong learning. Não podemos parar de nos desenvolver pois, além de ser a chave para nossa sobrevivência neste mundo em transformação contínua, todos nós temos potenciais latentes que podem ser manifestados, desenvolvidos e aprimorados.

Como disse o ex-presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy: ‘’A mudança é a lei da vida. E aqueles que apenas olham para o passado ou para o presente irão com certeza perder o futuro’’.

Neste sentido a neurociência aplicada ao comportamento tem sido uma grande aliada que, além de ajudar a identificar as maneiras mais eficientes de aprender, também cria condições para maximizar nossa capacidade de aprendizado e certamente este é um diferencial estratégico.

Gaya Machado, especialista em Neurociências e Comportamento e criadora do Método Mind Skills, explica que as novas descobertas da neurociência aplicada ao comportamento nos permitem moldar nosso desenvolvimento de forma mais consciente e eficaz.

“Todo processo de aprendizado envolve o cérebro e passa por vias neurais e quando estes conhecimentos, aliados a outras ciências que estudam o comportamento humano nos permite compreender porque as estratégias tradicionais de ensino não funcionam para todos e traçar estratégias que possam contemplar os diferentes perfis de aprendizes para potencializar melhor retenção na memória de longo prazo, mais criatividade e, consequentemente, resultados muito mais rápidos e efetivos a curto, médio e longo prazo”, diz.

A neurociência comprova que todos os nossos comportamentos mudam nosso cérebro e a chave para estas mudanças é a neuroplasticidade cerebral - a capacidade que o sistema nervoso tem de passar por mudanças ao longo da vida. E também a neurogênese, que é a capacidade do corpo de produzir e maturar novos neurônios.

Diversas pesquisas comprovam que somos programados para aprender e reaprender e não depende da idade, ou seja, ao longo de toda nossa vida nosso cérebro continua criando novas conexões e aprendendo. Se você entende que precisa continuar se desenvolvendo, mas quer fazer isso com base no que há de mais moderno que a ciência já comprovou que pode nos levar mais além, Gaya Machado preparou um guia com quatro estratégias de Mind Skills para potencializar seu aprendizado e te levar a resultados efetivos:
 

Encontre seu estilo de aprendizagem


A ciência já comprovou que não existe um modelo único de aprendizagem, que sirva para todos, por isso, cada um de nós precisa encontrar a forma que faz mais sentido dentro no nosso perfil para aprender.

Alguns são mais visuais, outros mais auditivos. Para alguns fazer anotações enquanto assistem uma aula é o melhor caminho. Teste, veja o que funciona melhor para você e, certamente você vai entender porque você aprendeu algumas coisas tão rápido enquanto outras te pareceram mais áridas.

Uma frase popularmente atribuída a Albert Einstein diz que “todo mundo é um gênio, mas, se você julgar um peixe por sua capacidade de subir em uma árvore, ele vai gastar toda a sua vida acreditando que é estúpido.”

Procure associar uma emoção forte ao que você quer aprender


Pense nas principais lembranças que você tem. Certamente elas envolvem grandes emoções, sejam elas positivas ou negativas. A configuração original do nosso corpo interpreta as emoções como algo que é digno de ser lembrado!

As emoções estão diretamente ligadas com a produção de neurotransmissores que ajudam a gravar as informações em nossa memória de longo prazo. Por isso, aquilo que nos causa uma emoção forte, certamente fica em nossa memória.

Segundo Facundo Manes, doutor em Ciências e consultor em neurologia e neuropsicologia da unidade de cognição e ciências do cérebro e do conselho de pesquisa médica em Cambridge, as áreas emocionais prevalecem na hora de tomar decisão. As coisas que nos emocionam consolidam a memória.
Se conecte com o conteúdo e aumente os níveis de dificuldade

Nosso cérebro aprende especialmente de três maneiras: quando algo nos motiva, nos inspira e nos parece um exemplo.

E as pesquisas comprovam que o aumento da dificuldade durante a prática leva a mais aprendizado e a uma maior mudança estrutural no cérebro. É preciso ir aumentando os desafios!

O que você quer muito aprender? Pense se isso te motiva, inspira ou parece um exemplo e não esqueça de ir aumentando os níveis de dificuldade de tempos em tempos.
Repita, esqueça, revise e relembre

Todo aprendizado se transforma em memória, mas tudo começa com nossa memória de curto prazo. Tudo o que vemos e todo conhecimento que entramos em contato, primeiro passa por ela. Uma parte da memória de curto prazo, chamada de memória de trabalho, funciona como um quadro de avisos onde afixamos por alguns instantes as coisas que nos chamam a atenção. Isso para analisar se faz sentido armazená-las na memória de longo prazo.

A boa notícia é que temos uma capacidade ilimitada de armazenar memórias e, apesar de depois de aprender, parecer que nos esquecermos das coisas que aprendemos muito rapidamente. As mais recentes pesquisas da neurociência comprovam que o esquecimento faz parte do processo de gravar as informações na memória de longo prazo. Sim, a famosa curva de Ebbinghaus do esquecimento estava errada porque a memória não desaparece!

Segundo a Nova Teoria do Desuso proposta pelos Drs Robert Bjork e Elizabeth Bjork, toda memória tem uma força de armazenamento e uma força de recuperação. A força de armazenamento tem a ver com a qualidade do aprendizado e ela aumenta com o estudo. O uso e a força de recuperação indica a velocidade ou facilidade com o que aprendemos emerge à nossa mente.

Resumindo, esquecer faz parte do aprendizado. Ele permite que nosso cérebro faça uma filtragem das informações recebidas e, ao nos esforçarmos para acessá-las novamente ou recordando, fortalecemos aquela via neural da memória, e atualizamos aquele conhecimento.

Então, revise os conteúdos que quer aprender e, se possível, de forma espaçada, intercalando com boas noites de sono. É preciso dedicação para que o conhecimento fique guardado e vire algo que, de fato, nos pertença.



Sobre Gaya Machado


É Doutoranda em Psicologia, Mestre em Comunicação, Pós-Graduada em Neurociências e Comportamento e criadora do Método Mind Skills.

Professora de MBA; Coautora de 6 livros; Palestrante, Consultora e Treinadora Comportamental.



sexta-feira, 13 de agosto de 2021

Contrata SP da Prefeitura de São Paulo recebe inscrição até essa sexta (13) para processo seletivo voltado a mulheres em situação de violência doméstica e familiar



Contrata SP da Prefeitura de São Paulo recebe inscrição até essa sexta (13) para processo seletivo voltado a mulheres em situação de violência doméstica e familiar

A ação faz parte do Agosto Lilás que conta com programação gratuita em celebração aos 15 anos da Lei Maria da Penha

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo da Prefeitura de São Paulo recebe até essa sexta-feira, 13 de agosto, inscrições para o Contrata SP – Tem Saída, evento de empregabilidade voltado às candidatas que já integram o programa Tem Saída e interessadas em participar e, que estejam em situação de violência doméstica e familiar. As participantes terão a possibilidade de passar por processos seletivos em oportunidades nas áreas do comércio e serviços. As inscrições podem ser feitas pelo site www.bit.ly/contratasptemsaida e as pré-selecionadas serão agendadas entre os dias 19 e 20 de agosto para seleção na unidade central do Cate.

As atividades gratuitas nas áreas do empreendedorismo, trabalho e de qualificação profissional do Agosto Lilás ocorrem em celebração aos 15 anos da Lei Maria da Penha, completados em 7 de agosto. Na segunda-feira (16), as participantes do Programa Operação Trabalho – POT Combate ao Desperdício de Alimentos contarão com oficina do programa Elabora da Fundação Paulistana, ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo. Na ocasião, as beneficiárias, que atuam na orientação de feirantes e clientes na cidade, terão acesso à preparação para entrevista de emprego, formatação de currículo, dicas sobre o mercado de trabalho, entre outras.

Para o dia 17 de agosto, às 19h, uma live no Facebook da SMDET (@spsmdet) entre a coordenação do programa Tem Saída, a Defensoria Pública de São Paulo e empresas parceiras da iniciativa, discutem os impactos da violência doméstica no mercado de trabalho.


Empreendedorismo


A Prefeitura de São Paulo lançou um coworking público exclusivo para as empreendedoras da zona sul da capital. Localizado no Centro de Cidadania da Mulher – Santo Amaro, o Teia Santo Amaro, tem como objetivo impulsionar, apoiar e oferecer um espaço de trabalho para as donas de pequenos negócios da cidade.

O Teia Santo Amaro tem capacidade para 14 mulheres trabalharem simultaneamente. No local, as empreendedoras encontram um espaço, totalmente gratuito, com acesso a computadores, internet, mentorias, palestras, oficinas e estímulo à formação de rede de contatos.

Em decorrência da pandemia do coronavírus, o Teia está funcionando em horário reduzido e por meio de agendamento, respeitando todos os protocolos de segurança das organizações de saúde. Para agendar um horário acesse: www.linktr.ee/AdesampaTeia

O Teia Santo Amaro é uma parceria da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, por meio da Ade Sampa, com a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania, pasta responsável pela gestão do Centro de Cidadania da Mulher.

Além disso, o espaço conta com uma equipe capacitada para atender as mulheres vítimas de violência doméstica e/ou familiar que estão em busca de uma geração de renda. O serviço-referência presta acompanhamento da questão da violência de gênero e para a realização dos encaminhamentos necessários a cada problema. Dentre os serviços jurídicos associados ao atendimento, está o encaminhamento ao Programa Tem Saída, feito pela Defensoria Pública, por meio das vagas específicas disponíveis no Cate mais próximo.

O atendimento acontece no próprio Centro de Cidadania da Mulher, localizado na Praça Salim Farah Maluf, s/n, de segunda a sexta, das 8h às 17h. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (11) 5521-6626.


Microcrédito para empreendedoras

A SMDET criou um canal de atendimento exclusivo para as empreendedoras da capital que estão em busca de microcrédito para seu negócio. A linha Empreenda Mulher, do Banco do Povo, oferece até R$ 21 mil para as donas de pequenos negócios que precisam de apoio durante a pandemia.

Com taxas de juros de 0,35% a 0,55% ao mês, as empreendedoras têm prazo de pagamento de até 36 meses, para informais, e até 48 meses para MEIs, MEs, EPPs e produtoras rurais com CNPJ. A carência varia de 90 a 150 dias. Para serem elegíveis à linha Empreenda Mulher, as empreendedoras não podem ter qualquer restrição no Serasa ou Cadin e precisam fazer um curso online de aproximadamente 12 horas.

O atendimento para oferta desta linha é feito pela Ade Sampa, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, por meio do telefone WhatsApp (11) 99449-1311 A oferta de microcrédito é realizada em parceria com o Banco do Povo, do Governo do Estado de São Paulo.



Feira de Artesanato Mãos e Mentes

Para as artesãs de São Paulo que encontraram no artesanato uma forma de geração de renda e de superação, a Prefeitura irá realizar a Feira de Artesanato Mãos e Mentes Paulistanas – Agosto Lilás. O evento, que ocorre totalmente on-line, contará com a participação de 10 empreendedoras credenciadas pelo programa Mãos e Mentes Paulistanas.

Durante a feira, as participantes contarão sobre sua história de vida, como superaram a violência doméstica por meio do artesanato, além de expor os seus produtos para compra dos interessados.

A feira será realizada no dia 14 de agosto, sábado, a partir das 14h, por este endereço www.facebook.com/spsmdet. Para participar expondo os seus produtos basta estar inscrita no Mãos e Mentes Paulistanas e se cadastrar pelo link: www.bit.ly/inscricoesfeirammp9

sexta-feira, 6 de agosto de 2021

Candidíase recorrente: entenda o problema e como tratar



Eventos de repetição diminuem qualidade de vida das mulheres com a infecção


A infecção genital causada pelo fungo Candida albicans afeta, segundo a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), 75% das brasileiras e estima-se que cerca de 5% das mulheres são suscetíveis a Candidíase Vulvovaginal Recorrente (CVVR).

A doença aparece primeiro como um desconforto, que inclui corrimento, coceira, fissuras e ardência ao urinar. Porém, de acordo com dados da Febrasgo, ela se pode se tornar recorrente quando os episódios de infecção aconteçam ao menos quatro vezes no ano. A Candida albicans continua sendo a principal causa das infecções em pacientes com candidíase recorrente.

Apesar de parecer um problema simples, que causa apenas um desconforto nas pessoas que sofrem com a candidíase, a infecção recorrente diminui de forma intensa a qualidade de vida das mulheres. Com isso, pode afetar a saúde física e até emocional da pessoa, incluindo sintomas de depressão, ansiedade e baixa autoestima. Em mulheres com queda da imunidade, a candidíase pode levar a complicações internas, afetando órgãos como os rins e outros.

“As causas da infecção vaginal podem variar e, vale ressaltar, que nem todo corrimento esbranquiçado é provocado pela Candida albicans. Por isso, sempre que houver uma suspeita de candidíase de repetição, só um diagnóstico mais preciso poderá apontar as causas e o tratamento. A candidíase recorrente tem cura e a paciente deve procurar um médico para fazer o tratamento adequado”, comenta a dra. Flavia Addor, médica pesquisadora e diretora do Grupo MEDCIN.

A especialista também explica que existem muitos fatores que estão associados à candidíase de repetição, como diabetes, a utilização de alguns medicamentos como antibióticos, corticoides e citostáticos, baixa imunidade, gravidez, uso de anticoncepcional, roupas apertadas e ficar muito tempo com roupas de banho molhadas ou mesmo não secar corretamente a região genital. Existem também os fatores como estresse que desregulam o sistema imunológico e facilitam a proliferação de fungos no organismo.

Tratamento


Com diagnóstico correto e tratamento prescrito por um ginecologista, é simples resolver o problema e tratar a doença e, principalmente, eventos de repetição. “Existe muito tabu em relação ao problema e é possível evitar que a infecção apareça e cause transtorno na vida das pacientes. Por isso, algumas atitudes no dia a dia podem ajudar a evitar que os fungos que estão presentes naturalmente em nosso organismo se proliferem e causem a infecção. Manter a imunidade em equilíbrio, a flora vaginal saudável e prestar atenção aos hábitos de vida podem ajudar na prevenção e controle da infecção”, conclui a especialista.

Para tratar o mal, a Genomma Lab desenvolveu um creme vaginal à base de Clotrimazol, o Lomecan, medicamento isento de prescrição de Genomma Lab., que inibe o crescimento e a multiplicação de fungos. O tratamento leva apenas 3 dias, e , a partir do terceiro dia, já é possível sentir a melhora dos sintomas.

Lomecan é encontrado nas principais redes de farmácias e drogarias do Brasil, em bisnaga de 20g e acompanha três aplicadores íntimos.

Entretanto, se a sintomatologia persistir, um médico ginecologista deve ser consultado.

Informações do produto e sobre a doença podem ser adquiridas no link https://lomecan.com/br/#


Sobre Genomma Lab.


A Genomma Lab Internacional é uma multinacional de capital aberto, com operação na bolsa de valores do México e que está presente em 19 países com o propósito de empoderar as pessoas a terem excelente saúde e bem-estar. No Brasil há mais de 10 anos, a companhia detém 16 marcas nos segmentos de Personal Care (cuidados pessoais) com as marcas: Cicatricure, Asepxia, Tio Nacho e Teatrical e OTC (medicamentos isentos de prescrição) com as marcas: Proctan, Lakesia, Lomecan, Liris e Next.


quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Saiba por que implantes dentários ajudam na imunidade em tempos de pandemia da Covid-19

A ausência de dentes está ligada à ocorrência de várias doenças. O pesquisador e cirurgião-dentista Fábio Bezerra explica como a reabilitação oral pode turbinar as defesas do organismo


Com a pandemia do coronavírus, a preocupação com a saúde e a imunidade têm sido constantes e a máxima de que “a saúde começa pela boca” merece ser reforçada “Afinal, é onde se inicia todo o processo de mastigação e trituração dos alimentos, função essencial para o bom funcionamento do organismo”, explica o cirurgião-dentista Fábio Bezerra, PhD em Biotecnologia, mestre em Periodontia e diretor global de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da S.I.N. Implant System.

Segundo o especialista, o alerta é ainda mais importante para a população brasileira, que conta com 14 milhões de pessoas sem nenhum dente na boca. “É algo básico: as moléculas de alimento precisam ser quebradas para a absorção dos nutrientes, função que se inicia na cavidade bucal”, afirma.

“Na falta dos dentes e com a má mastigação, ocorre uma sobrecarga maior do aparelho digestivo, o que prejudica todo o sistema imunológico”, diz o Dr. Fábio Bezerra. “Sem falar que pessoas sem dentes costumam trocar o consumo de proteínas e alimentos mais consistentes pela ingestão de alimentos líquidos ou pastosos como sopas e purês, causando um déficit nutricional que pode também derrubar as defesas do organismo”, conclui.

No mais, o especialista acrescenta que todas as vezes em que há uma desordem na cavidade bucal, existe maior risco de infecção por bactérias presentes na boca, que podem impactar o funcionamento de outros órgãos e causar ou agravar diversas doenças, desde artrite até doenças pulmonares e cardiológicas. Este fato é especialmente importante durante a pandemia, pois a boca, assim como o nariz, são os principais focos de contaminação pelo coronavírus.

Assim, é imprescindível, além da higiene bucal adequada, que os pacientes que perderam os dentes procurem tratamento sem demora. “Os implantes dentários são, hoje, a melhor solução para promover a reabilitação oral e está provado que ajudam a prevenir problemas de saúde como um todo”, diz Bezerra.

O diretor global de P&D da S.I.N. Implant System ressalta que, para efeito de comparação, a reposição dos dentes através do uso de dentadura realiza algo em torno de 30% da capacidade de mastigação dos dentes naturais. E, segundo ele, o mesmo vale para as próteses fixas e móveis, também com desempenho inferior. “Já os implantes cumprem com excelência a função dos dentes”, conclui.

Em síntese, é justamente por desempenharem o mesmo papel dos dentes originais que os implantes são fundamentais para o equilíbrio do sistema imunológico. “E vale lembrar que os cuidados começam pela boca, mas devem vir acompanhados de exercícios físicos, exposição ao sol, boa alimentação e sono de qualidade, já que esse conjunto de atitudes contribui para turbinar a imunidade”, observa ele, além de reforçar o fato de que a higienização das mãos, o uso de máscaras e o distanciamento social, associados à vacinação, são os únicos métodos cientificamente comprovados para controle da pandemia.

A falta de dentes eleva também a ocorrência de quadros de depressão. Como consequência, transtornos de saúde mental deixam os pacientes também mais suscetíveis ao aparecimento de doenças. “O indivíduo sem um ou mais dentes, com dificuldade para mastigar, geralmente tem baixa autoestima e fica sem vontade de se dedicar a seus afazeres pessoais e profissionais”, afirma Bezerra. “Porém, após o tratamento com implantes e a recuperação da função mastigatória e estética bucal, existe um aumento na autoestima, melhora na qualidade de vida e consequente maior liberação de hormônios ligados à felicidade e isso também contribui para o fortalecimento do sistema imunológico”, diz.

Alerta: doenças bucais podem ser silenciosas


O Dr. Fábio Bezerra chama atenção para o fato de que os males da cavidade oral, muitas vezes, são assintomáticos. “A gengivite, que é uma inflamação acompanhada de sangramento na gengiva, por exemplo, não costuma causar tanta dor como as cáries”, diz ele. “Por isso, é preciso ficar atento a sinais como sangue e dentes se movimentando, mesmo diante da ausência de dor”, completa.

Ele acrescenta que as desordens bucais geram inflamações que atacam as células de defesa. “É necessário tratar os problemas para que o sistema imunológico restabeleça seu equilíbrio”, conclui o especialista.

Por outro lado, ele explica que existem muitas doenças que acometem outros órgãos, mas têm origem na cavidade bucal. “Existem pacientes que se queixam de sinusite e procuram um otorrino, mas não acham a causa porque justamente ela é dentária”, diz Bezerra. “Outras pessoas reportam dores de cabeça e na coluna, cujas causas também podem estar ligadas à falta dos dentes. ”

Por isso tudo, o especialista observa que é fundamental não negligenciar a prevenção, com a escovação regular após as refeições e o uso de fio dental. No mais, ele recomenda procurar regularmente o consultório do dentista, o que deve ser feito a cada seis meses, em média. “E a orientação é geral: vale para pacientes com ou sem implantes”, conclui.

Sobre a S.I.N. Implant System: referência mundial em produtos para implantes dentários, a S.I.N Implant System tem DNA brasileiro e está no mercado desde 2003. Hoje, seu parque fabril de última geração entrega mais de 5 milhões de produtos acabados todos os anos, com presença em mais de 25 países. Com uma trajetória de conquistas apoiada nos princípios da simplicidade, inovação e nanotecnologia, a S.I.N. Implant System oferece as melhores linhas de implantes dentários do mundo, além de componentes protéticos. A empresa tem como visão oferecer o que há de melhor e mais seguro na área de implantodontia, utilizando, para isso, tecnologia de ponta e equipamentos de última geração, que passam por rigoroso controle de processos. A excelência em qualidade de seus produtos é garantida e comprovada por meio de certificações nacionais e internacionais. O sonho de restaurar sorrisos, iniciado com a Sra. Neide e o Dr. Ariel Lenharo, continua vivo. Em tempo: Ariel Lenharo foi o primeiro doutor em implantodontia do Estado de São Paulo, tendo também realizado sua pós-graduação nos Estados Unidos, no Pankey Institute. A Sra. Neide e o Dr. Lenharo estiveram à frente da companhia até 2009, quando o controle acionário da S.I.N passou para o fundo de investimentos Southern Cross Group, equity firm líder e mais antigo dedicado ao mercado latino-americano, com mais de U$ 2,8 bilhões investidos em 38 empresas em todo o continente. Mais informações em www.sinimplantsystem.com

domingo, 1 de agosto de 2021

"Mulher de Família", novo single de Angelo & Angel



A letra da música é divertida e conta uma estória que em tempos de internet não é nada difícil de 

 A dupla sertaneja Angelo & Angel lança hoje, 30 , "Mulher de Família” em todas as plataformas digitais. O lyric da música também chega hoje ao canal da dupla no YouTube. 

Com o avanço da internet e redes sociais os flagrantes, spoilers e até mesmo uma traição conjugal ficaram muito mais fáceis de serem revelados e divulgados. Este é o tema da canção: um marido que descobriu a infidelidade  da esposa através de um vídeo que o amante publicou dos dois na internet e que agora mais do que saber, todo mundo viu o chifre que ele tomou 

"É uma situação que ninguém quer passar, mas na época que estamos vivendo não é impossível de acontecer, se é que já não rolou algo nesse sentido nas redes" comenta Angel.

E para finalizar Angelo convida:

"Galera se vocês já viveram algo parecido, corre lá no nosso Instagram e conte sua história para nós"


Assista - https://www.youtube.com/watch?v=lXAnj71eIiU



sábado, 31 de julho de 2021

Lei determina prioridade na vacinação de gestantes, lactantes e crianças e adolescentes com deficiência


Sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta sexta-feira (30), a medida também inclui pessoas até 17 anos com comorbidades ou privadas de liberdade

A partir desta sexta-feira (30), gestantes, puérperas e lactantes – e crianças e adolescentes com deficiência permanente, com comorbidade ou privados de liberdade – integram grupo prioritário no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19. É o que determina a Lei nº 14.190, sancionada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

Confira a publicação.

O documento também é assinado pelos ministros da saúde (MS), Marcelo Queiroga, e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Damares Alves. “Essa é mais uma conquista para a nossa população. Ninguém fica para trás neste país”, celebra a titular da Pasta dos direitos humanos.

Integrante do MMFDH, a secretária nacional de políticas para as mulheres, Cristiane Britto, ressalta que o órgão tem, entre as diretrizes, o intuito de defender os direitos do segmento feminino, além de amparar a todas no exercício da maternidade, desde a gestação até o cuidado com os filhos.

“A proteção das gestantes e lactantes é uma prioridade para o Governo Federal. Esta lei que prioriza a vacinação soma-se a outras iniciativas que vêm sendo realizadas ao longo da pandemia. A expectativa é que a legislação possa garantir agilidade na aplicação da vacina, diante de uma doença que ainda não está completamente esclarecida pela ciência”, afirma Britto.

Outras legislações

Durante a atual gestão, houve a atualização de legislações que tratam sobre a pauta da mulher. Uma delas foi a Lei nº 14.132, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em abril. Com a medida, os atos de perseguição agora estão incluídos no Código Penal. A norma também inclui como agravantes a violência contra mulheres, crianças, idosos e adolescentes, mediante uso de arma de fogo ou quando cometido por mais de uma pessoa.

Saiba mais.

Novas leis também determinaram o trabalho remoto para gestantes durante a pandemia, instituíram o formulário unificado de enfrentamento à violência contra a mulher, garantiram a validade dos pedidos de exames médicos durante toda a gestação ou puerpério e incluíram a prevenção à violência contra a mulher no currículo da Educação Básica.

domingo, 30 de maio de 2021

Transportes Metropolitanos têm oito postos de vacinação contra COVID-19



Atendimento voltado a pessoas dos grupos prioritários é feito de segunda a sexta, das 9h30 às 17h

As empresas ligadas à Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) seguem com oito postos de vacinação contra Covid-19 em estações de metrô, da CPTM e em um terminal de ônibus da EMTU. Pessoas de todos os grupos prioritários previstos no Plano Estadual de Imunização (PEI) podem receber a 1ª dose da vacina nestes postos.

Durante esta semana, o funcionamento será entre os dias 31 de maio e 4 de junho, das 9h30 às 17h. Diariamente as empresas ligadas à STM atualizam o funcionamento dos postos em suas redes sociais. Para ter acesso às informações sobre os públicos que integram os grupos prioritários e suas respectivas obrigatoriedades, acesse o site https://vacinaja.sp.gov.br/.

Para agilizar o atendimento no dia da vacinação, é indicado que seja feito um pré-cadastro no site Vacina Já (https://vacinaja.sp.gov.br/). É necessário informar nome completo, CPF, data de nascimento, endereço completo e telefone.

Vacinação de colaboradores do transporte público - Desde o dia 11 de maio, os trabalhadores da linha de frente da CPTM e do Metrô estão sendo imunizados contra a COVID-19. Nesta primeira fase, foram incluídos operadores, maquinistas e os que desempenham suas funções no Centro de Controle Operacional (CCO) de todas as idades. Para as categorias da linha de frente como segurança, limpeza (incluindo os terceirizados) e bilheteria a vacinação é para quem tem acima de 47 anos.

No dia 18 de maio, começou a vacinação contra a COVID-19 de motoristas e cobradores de ônibus intermunicipais da EMTU.

Alimento Solidário - Quem for tomar vacina em um desses postos pode aproveitar para doar alimentos não perecíveis para a campanha Alimento Solidário. Os Transportes Metropolitanos participam da campanha, promovida pelo Fundo Social do Governo do Estado, com pontos de coleta em mais de 180 estações e terminais da CPTM, Metrô e EMTU. As prefeituras também envolvidas no projeto vão distribuir os alimentos doados para famílias em situação de extrema vulnerabilidade. As caixas de arrecadação ficam próximas às catracas de acesso nas estações e terminais e qualquer pessoa pode ir até um destes pontos e entregar sua contribuição.


Serviço:


Postos de Vacinação contra Covid-19
Horário: das 9h30 às 17h

Locais:
CPTM
Linha 11-Coral: Estação Guaianases
Linha 12-Safira: Estações São Miguel Paulista, Jardim Helena-Vila Mara e Itaim Paulista

Metrô
Linha 3-Vermelha: Estações Corinthians-Itaquera e República

EMTU
Terminal de Ônibus São Mateus

Metrô
Linha 4-Amarela: Estações República e Butantã


Secretaria dos Transportes Metropolitanos - A STM cuida diariamente (em tempos normais) do transporte de cerca de 10 milhões de passageiros que usam os ônibus gerenciados pela EMTU, além dos trens do Metrô, da CPTM e das linhas 4-Amarela e 5-Lilás, concedidas à iniciativa privada. A Estrada de Ferro Campos do Jordão, no interior do Estado, também é responsabilidade da STM, assim como o Parque Capivari, igualmente em Campos do Jordão e concedido à iniciativa privad

terça-feira, 25 de maio de 2021

Fada Celeste inaugura loja própria na internet

 Estamos com novidades!

Além da nossa loja na Elo7 ( https://www.elo7.com.br/fadacelesteproducoes ) e na Shopee ( https://shopee.com.br/shop/371565688/ ), inauguramos o nosso espaço na internet no endereço https://www.lojafadaceleste.com.br/ aonde em breve vamos disponibilizar também arquivos digitais. 

Royal Face cresce e oferece mais de 150 novas vagas de emprego em seis estados

As vagas são para os Estados de Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo com salários de até R$5 mil

Mesmo com a Pandemia, a área da saúde e beleza está se reinventando vem se mostrando uma das mais promissoras para quem está em busca de uma profissão ou até mesmo especialização.

Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o segmento de Saúde Beleza e Bem-Estar sentiu pouco os impactos da pandemia e fechou 2020 com crescimento de 3,1% no faturamento, sendo o melhor desempenho do setor no período.

De acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados pelo Ministério da Economia, o Brasil abriu 184.140 novas vagas de emprego com carteira assinada em março de 2021. No sistema de franquias, ano passado foram gerados mais de 1,2 milhões de novos empregos.

Nesse cenário de ofertas, a Royal Face, rede de franquias brasileira de clínicas especializadas em estética facial e corporal, está em fase de expansão e por isso oferece mais 153 vagas nas áreas administrativas, de saúde e comercial paras unidades da rede, sejam elas inauguradas ou em fase de implantação.

As vagas são para os Estados de Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo, para os cargos de Recepcionista, Consultor, Farmacêutica, Biomédica, Enfermeira, Analista, Atendente Comercial entre outros. Os salários variam de R$1.500 a R$ 5mil.

A maioria das vagas da Royal Face exige experiência na área. A escolaridade varia de Ensino Médio para os cargos da área comercial e recepcionista, Ensino Superior para gestor e Pós-Graduação para biomédicos, farmacêuticos e enfermeiros.

Como medida de prevenção contra a covid-19, as etapas do processo seletivo e treinamento da Royal Face foram adaptadas para serem totalmente online. Os interessados podem buscar mais informações sobre as vagas, as cidades e se inscrever pelo site: https://jobs.solides.com/royalface.

Atualmente, a marca já possui 89 unidades inauguradas e 122 em fase implantação com operação em todas as regiões do Brasil. Essas novas unidades geraram cerca de 600 empregos diretos e mais de 2 mil indiretos para o País.

Fundada em Curitiba em 2015 pela dentista Doutora Andrezza Fusaro, a Royal Face é associada à Associação Brasileira de Franchising (ABF) e atua desde 2018 no sistema de franquias sendo gerida pelo Grupo Up Franquias com três modelos de negócios: Slim, Standard e Premium. O investimento inicial é a partir de R$ 159 mil, com um faturamento para o franqueado que pode chegar até R$ 2,6 milhões anuais, dependendo do modelo.

Sobre a Royal Face

Rede de franquias do segmento de Saúde, Beleza e Bem-Estar associada a ABF, lançada em novembro de 2018, especializada no segmento de tratamentos estéticos em harmonização facial e corporal a preços baixos. A Royal Face já realizou mais de 200 mil procedimentos, beneficiando mais de 160 mil clientes. A acessibilidade ao tratamento com o Carnê da Beleza foi o carro-chefe para o grande crescimento da Royal Face em três anos de operação. Atualmente, a marca está presente em 17 estados com 89 unidades inauguradas e 122 em fase de implantação com operações em todas as regiões do Brasil. Site: https://www.royalface.com.br




terça-feira, 6 de abril de 2021

No mundo, estima-se que uma em cada 160 crianças tem transtorno do espectro autista



No mundo, estima-se que uma em cada 160 crianças tem transtorno do espectro autista

O Dia Mundial de Conscientização do Autismo é lembrado anualmente em 2 de abril. A data foi criada pela ONU com o intuito de chamar a atenção da sociedade para o diagnóstico e o tratamento do transtorno

Por algum tempo, a falta de conhecimento, pesquisas e informações a respeito do autismo, foram consideradas grandes barreiras no tratamento do transtorno. Felizmente, hoje, com o avanço da medicina, é possível obter bons resultados. A intervenção precoce pode garantir qualidade de vida e até mesmo mudar o futuro de pessoas com transtorno do espectro autista.

O tratamento adequado, bem como o entendimento da situação, apoiado por uma boa relação da família, amigos, professores e conhecidos tem impacto significativo e podem ser cruciais para que os pacientes tenham uma vida adulta independente.

O autismo ou Transtorno do Espectro Autista (TEA), segundo os novos manuais do Código Internacional de Doenças (CID), se caracteriza por dois pilares, os déficits qualitativos e persistentes da comunicação e da interação social; e o que diz respeito aos padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses ou atividades.

De acordo com Roberta Caramico Pinto, neuropediatra e médica convidada da indústria farmacêutica Prati-Donaduzzi para falar sobre o transtorno, “exemplos dos déficits qualitativos da comunicação e da interação social, são alterações de comunicação verbal ou não verbal”.

Em relação aos padrões comportamentais restritos e repetitivos, existem quatro principais traços:

- Estereotipias: podem ser motoras ou verbais, portanto, pode ser um comportamento como andar nas pontas dos pés, repetir uma frase ou palavras;

- Adesão a rotinas e rituais: ser adepto a uma rotina inflexível, ou seja, qualquer experiência fora do costume gera desconforto;

- Interesses fixos e altamente restritos: interesse por um assunto ou objeto que se manifesta de uma forma muito profunda, deixando a pessoa monotemática;

- Questões sensoriais, hiper ou hiperatividade a estímulos sensoriais: alterações sensoriais que afetam o cotidiano, por exemplo, hipersensibilidade ao barulho ou a luz, causando reações extremas até de ordem fisiológica, como o vômito.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que, em todo o mundo, uma em cada 160 crianças tenha o transtorno.

Graus de autismo

O autismo pode ser dividido como leve, moderado e grave, porém, dentro de cada grupo existem outras divisões, como um grau bem leve ou um leve mais para moderado. “É daí que vem o nome espectro. Uma maneira de enxergar como uma régua, em que há vários pontos, e não só 1cm, 2cm, e assim por diante”, afirma a neuropediatra. Existem crianças que apresentam sintomas leves de autismo, e que são diagnosticadas em torno dos 2 ou 3 anos de idade.

Diagnóstico

Normalmente, o diagnóstico acontece quando a criança ingressa na escola e passa a ter contato direto com outras, é quando os primeiros sinais aparecem, ou seja, problemas na comunicação, dificuldades em se sociabilizar e alterações no comportamento.

O diagnóstico do TEA é baseado nos critérios clínicos determinados por especialistas e descritos no Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Atualmente, não existe um marcador biológico que possa acusar o TEA, ou seja, não há exames laboratoriais que identificam a doença, como o exame de sangue, de imagem ou genético. A forma mais precisa de chegar ao diagnóstico é por uma avaliação multidisciplinar realizada por profissionais com experiência na área.

“Não existe idade mínima para se fazer o diagnóstico de TEA. Podemos observar sinais de alarme antes mesmo de a criança completar o primeiro ano de vida. Estudos mostram que é possível realizar o diagnóstico de TEA de forma precisa em crianças com menos de dois anos de idade”, afirma a neurologista Flora Brasil Orlandi, também convidada pela Prati-Donaduzzi.

Tratamento

Estudos científicos mostram que o tratamento do TEA deve se basear em terapias de alta intensidade com equipe multiprofissional especializada e qualificada, especialmente nas técnicas baseadas na Análise de Comportamento Aplicada (ABA).

Além da terapia ABA, que geralmente é conduzida por psicólogos, dependendo da necessidade, pacientes que têm o transtorno tendem a necessitar de terapia com o apoio de fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicopedagogos, dentre outros profissionais, além do uso de fármacos. “É possível utilizar medicamentos para auxiliar no manejo de sinais e sintomas associados ao TEA, como agitação, agressividade, impulsividade, muitas vezes ajudando no aproveitamento dos pacientes na terapia”, ressalta Orlandi.

*Este conteúdo é elaborado pela indústria farmacêutica Prati-Donaduzzi, com o objetivo de levar mais informações sobre saúde à população. A empresa também oferece para médicos, de forma exclusiva, o acesso a conteúdos sobre diversas patologias, entre outros materiais no website: https://www.evolucaoparavida.com.br/.



SOBRE A PRATI-DONADUZZI

A Prati-Donaduzzi, indústria farmacêutica 100% nacional, é especializada no desenvolvimento e produção de medicamentos. Com sede em Toledo, Oeste do Paraná, produz, aproximadamente, 12 bilhões de doses terapêuticas por ano e gera mais de 4,5 mil empregos. A indústria possui um dos maiores portfólios de medicamentos genéricos do Brasil e desde 2019 vem atuando na área de Prescrição Médica.

segunda-feira, 29 de março de 2021

Secretaria de Segurança Pública lamenta mas não age em relação a aglomerações em Itaquera



Médico denuncia para a Rádio Jovem Pan, isenção das autoridades policiais no distrito de Itaquera - SP
A UPA de Itaquera que atende cerca de 70 pacientes com Covid-19 está tendo seu trabalho comprometido com aglomerações que geram barulho ensurdecedor na vizinhança.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, publicou uma nota em que repudia tais manifestações, mas parece que não está fazendo nada a esse respeito. 

É necessária uma atitude mais efetiva do poder público não acham?
Quando eles querem, designam centenas de militares para campanas a fim de proteger bandidos de alta periculosidade em suas transferências. Que tal se alguns militares fossem designados para coibirem tais eventos ao lado de uma UPA com 70 pacientes em estado grave?

É lamentável que pessoas insanas, isentas de qualquer senso de empatia com o próximo, sejam capazes de fazer tamanho barulho ao lado de uma UPA que está tratando pessoas infectadas com Covid-19. É lamentável que manifestações fora de hora, viagens de final de ano, carnaval e reuniões desnecessárias, sejam hoje o motivo principal pelo qual estamos trancafiados em casa, impossibilitados de retomarmos uma vida normal. Não é normal que em situação de risco extremo as pessoas cometam tamanho desrespeito com a dor alheia. O momento é de apoiarmos os que estão indo todos os dias aos seus trabalhos e que não podem se dar ao luxo de ficar em casa recebendo benefícios e salários; é de respeitarmos a dor dos que estão sofrendo nos hospitais e leitos, com o nosso carinho, silêncio e principalmente orações. Já imaginou, você sem conseguir respirar, sentindo dores pelo corpo e tendo que suportar um pancadão e cantores desafinados cantando bem alto nos seus ouvidos? Isso é uma tortura!

Tortura maior ainda para os médicos que estão se esforçando para salvar vidas e também para enfermeiros, que lidam com todo tipo de sujeiras corpóreas, tendo que trabalhar nessas condições a noite inteira. Pior de tudo, são as autoridades locais do distrito de Itaquera ignorarem o fato, e, ainda mais pior do que isso, são as leis brasileiras que inibem qualquer força maior utilizada por parte dos policiais em ação, que serão massacrados se tirarem os imbecis barulhentos e drogados aos tapas dos locais de aglomeração. Aqui no Brasil é assim, muito carinho e respeito para os infratores e desrespeito total para as vítimas. Quem tem culpa disso? Quem determina como devem ser adotadas as leis brasileiras. Num país onde os bandidos organizados, ligados ao narcotráfico estão em suas mansões com tornozeleira eletrônica no pescoço de seus cachorros, sentados em baús de dinheiro roubado do poder público, poderíamos esperar o que? Se puder, tenha uma boa semana.

 Por: Claudia Souza

sábado, 13 de fevereiro de 2021

Médico psiquiatra discute os efeitos do discurso fique em casa e o papel de órgãos públicos durante a pandemia


Diretor clínico da Holiste, Luiz Fernando Pedroso, afirma que medidas impostas pelo poder público dificultam o exercício pleno da medicina


O enfrentamento da pandemia representa um desafio inédito para a gestão, em especial, para instituições da área de saúde. Apesar de o cenário crítico ser comum aos negócios, de uma forma geral, o médico psiquiatra Luiz Fernando Pedroso, diretor clínico da Holiste, questiona entraves impostos por órgãos públicos e alerta para as consequências do discurso fique em casa durante a pandemia da Covid-19.

Segundo Pedroso, a atuação dos órgãos estatais diante de uma situação sanitária tão desafiadora foi questionável, pois, ao invés de estabelecerem parcerias com instituições privadas em prol do exercício da medicina e do funcionamento das unidades de saúde, sua atuação contribuiu para o estabelecimento de restrições e entraves. O psiquiatra afirma que, no início da pandemia, fornecedores de equipamentos de proteção individual e outros insumos hospitalares suspenderam importações e entregas diante do confisco de governo e prefeitura.

“Os governos estadual e municipal foram incapazes de procurar a parceria da iniciativa privada, para todo mundo se ajudar. Ao invés disso, ameaçaram intervir, confiscar e desapropriar. Isso é inadmissível! Estou falando como alguém que dirige um hospital, que trata pacientes graves e enfrentou todo tipo de dificuldade para manter um serviço de excelência em saúde mental, essencial nestes tempos de pandemia”, afirma.

O médico contesta, ainda, o papel da Vigilância Sanitária do município que, mesmo diante de todo o investimento da Holiste em segurança e qualidade na prestação de serviços, exigiu a apresentação de uma série de documentos irrelevantes que, segundo Pedroso, não passa de burocracia inoportuna e falta de sensibilidade quanto ao cenário crítico enfrentado no campo da saúde. O médico afirma que esse tipo de ação não visa o bem-estar da população, não traz benefícios práticos, apenas serve de blindagem para agentes públicos e políticos que querem dar uma “satisfação” à opinião pública.

A Holiste, além de adotar medidas sanitárias e de segurança para seu corpo técnico e pacientes (como uso de equipamentos de segurança individual - EPI’s, aplicação de testes rápidos, aferição de temperatura de todos, disponibilização de álcool em gel e suspensão das visitas familiares presenciais), criou um espaço de isolamento e triagem para pacientes que apresentassem os sintomas de coronavírus ou que estivessem iniciando a internação, evitando o acesso de pacientes com Covid-19 ao ambiente de internamento.

Outro aspecto discutido por Luiz Fernando é o discurso do “fique em casa” e seus efeitos a curto e médio prazo. A imposição absoluta das medidas de isolamento social fez, segundo ele, com que o pânico se instaurasse na sociedade e o medo gerado pelas circunstâncias de confinamento trouxe à tona um quadro de desesperança que impactou a saúde mental de toda a população. Além disso, o psiquiatra questiona como os danos econômicos foram menosprezados nessas medidas, levando milhões de pessoas à pobreza e desassistência (pessoas perderam o emprego e o seu plano de saúde).

Mesmo nesse cenário caótico, considerado por ele uma mistura de risco real do vírus e insegurança jurídica provocada pelo Estado, Luiz reforça que a decisão da Holiste foi a de manter as atividades da clínica, tanto para garantir empregos, quanto para não deixar centenas de pacientes com transtornos psiquiátricos e suas famílias, desassistidos. “Esse discurso foi absurdo e agora, a própria Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que nunca defendeu o lockdown. Os burocratas querem se eximir da responsabilidade pela pobreza que se alastrou em todo mundo, consequência de seus atos”, pontua Pedroso.

“A Holiste é fruto do empreendedorismo, de luta contra o Estado, de afirmação de ideias. Não posso deixar que a regulamentação de órgãos públicos nos impeça de trabalhar, pois neste tempo de pandemia, salvamos empregos e preservamos a saúde do paciente. Eles deveriam nos procurar não para exigir burocracias, mas para saber como enfrentamos a crise, como preservamos nossa segurança e de nossos pacientes, como poderíamos ajudar o poder público na troca de experiências e como ele poderia nos servir, nos ajudar, e não atrapalhar o processo”, completa o diretor clínico da instituição.

Sobre a Holiste

A Holiste é uma clínica de excelência em saúde mental, que atua há 20 anos no mercado baiano. Na sede principal, localizada em Salvador, funcionam os serviços ambulatorial e de internamento psiquiátrico. A estrutura da clínica conta, ainda, com o Hospital Dia (destinado à ressocialização do paciente) e com a Residência Terapêutica (moradia assistida para pacientes crônicos), ambas unidades localizadas no bairro da Pituba.

A instituição conta com mais de 200 profissionais, um corpo clínico composto por médicos psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, nutricionista, gastrônoma, dentre outros. Para conhecer mais sobre os serviços da Holiste, acesse o site www.holiste.com.br.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

Normas que regulamentam a saúde e segurança do trabalhador passam por revisão em 2021


Revisões acontecem com o argumento de harmonizar as normas com as novas necessidades do mundo trabalhista


As Normas Regulamentadoras nasceram em 1978, quando o então Ministério do Trabalho publicou por meio da portaria nº 3.214 as normativas com relação à medicina, higiene e segurança do trabalho. Como consequência as NRs estabeleceram a necessidade de as empresas constituírem o Serviço Especializado em Segurança do Trabalho (SESMT), segundo a NR-4, que trata dos serviços especializados em engenharia de segurança e em medicina do trabalho.

As NRs estabelecem uma série de medidas a serem adotadas pelas empresas para prevenir acidentes e doenças ocupacionais no ambiente de trabalho, sob pena de multa em caso de descumprimento. O objetivo da revisão, segundo o governo, é simplificar a legislação e acabar com obrigações e multas que não fazem mais sentido ou que só existem para penalizar o empregador.

A agenda regulatória para 2021 de harmonização, revisão e modernização das normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho foi divulgada em dezembro de 2020 pela Comissão Tripartite Paritária Permanente (CTPP). De acordo com o calendário, aprovado por consenso durante a 5ª Reunião Extraordinária da CTPP, estão previstas seis reuniões, sendo quatro ordinárias e duas extraordinárias.

Cabe ressaltar que a agenda regulatória da CTPP não é estanque, podendo ser alterada de acordo com o desenvolvimento dos trabalhos. Fazem parte da comissão representantes do governo federal, indicados pelos ministérios da Economia e da Saúde; das confederações empresariais e das centrais sindicais.

Argumento é embasado na burocracia e falta de eficiência

É o que diz o ministério da Economia, que as NRs são burocráticas e pouco eficientes. Segundo a pasta, muitas delas estão desarticuladas dos padrões internacionais e causam conflitos entre normas trabalhistas e previdenciárias. Diz ainda, que algumas possuem caráter subjetivo, gerando insegurança jurídica, além de elevado custo de implementação para as empresas, sem que isso necessariamente se reflita na redução de acidentes e gastos previdenciários. Cerca de 20% das NRs nunca foram atualizadas.

Para Ricardo Pacheco, médico, gestor em saúde, presidente da ABRESST (Associação Brasileira de Empresas de Saúde e Segurança no Trabalho) e diretor da OnCare Saúde, o País passa por muitas mudanças e reformas em suas leis. “Essas transformações trazem alívio para muitos, e muitas críticas por outras pessoas. O fato é que mudanças são bem-vindas, desde que resulte ainda mais segurança e ganhos para todas as partes envolvidas, e não exclusivamente para uma das partes. As Normas Regulamentadoras são também pauta de grandes mudanças, que segundo o Governo Federal deve resultar em uma economia de R$ 68 bilhões em 10 anos”, destaca o especialista e empresário.

Principais mudanças

A revisão das NRs começou em 2019 e, ao longo daquele ano, o governo reviu dez normas e extinguiu a NR-2. Falta revisar outras 26 normas.

Uma das principais que foram revisadas e publicadas é a NR-28, que trata da fiscalização do cumprimento das regras e as penalidades a serem aplicadas. A atualização eliminou cerca de 2.700 possibilidades de autuações, e passou a valer no dia 24 de setembro de 2019. Outra NR que já passou por revisão e atualização é a de número NR-12, que aborda a segurança do trabalho em máquinas e equipamentos. As regras abordadas neste conjunto, em suma, abrangem os procedimentos de instalação e rotinas de manutenção, limpeza e ajustes. O texto aborda ainda os meios de acesso, aspectos ergonômicos e dispositivos de parada.

Para Ricardo Pacheco a ideia é flexibilizar as regras da NR 12. “Dessa forma se permite que as empresas busquem por soluções alternativas para se adaptar às regras de segurança. É preciso, entretanto, que essas soluções estejam previamente previstas em normas técnicas”, alerta o presidente da ABRESST.

A NR-2, que previa uma inspeção prévia em instalações de empresas e emissão de um certificado de aprovação desses locais — foi revogada. O motivo para isso, de acordo com o governo federal, é que as regras já estavam em desuso.

Já foram revisadas ou estão em processo de atualização a NR-1 (que trata das disposições gerais), revista em 2019; a NR-2, como vimos revogada no mesmo ano; a NR-3 (que aborda embargos e interdições), revisada no mesmo ano; a NR-4 (trata de serviços especializados em engenharia de segurança e medicina do trabalho), em processo de revisão; NR-5 (aborda a CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), também em processo de revisão; NR-7 (aborda o controle médico de saúde ocupacional), revisão aprovada; NR-9 (se refere à prevenção de riscos ambientais), revisão também aprovada; NR-10 (instalações elétricas), em processo de revisão); NR-12, revisada em 2019; NR-15 (atividades e operações insalubres), revisada parcialmente em 2019; NR-16 (regulamenta atividades e operações perigosas), também revisada no mesmo ano; NR-17 (ergonomia no trabalho), em processo de revisão; NR-18 (aborda normas de segurança na construção civil), com revisão aprovada; NR-20 (que estabelece regras sobre inflamáveis e combustíveis), revisada em 2019; NR-22 (diz respeito à saúde ocupacional na mineração), revisada parcialmente; NR-24 (trata das condições de higiene e conforto), revisada; NR-28 (sobre fiscalização e penalidades) também revisada; NR-30 (trata do setor aquaviário), está em processo de revisão; NR-31 (trata da segurança na agricultura, pecuária, silvicultura e aquicultura), em processo de revisão; e a NR-32 (serviços de saúde), em processo de revisão.

Ricardo Pacheco e a ABRESST estão totalmente envolvidos nessa questão, com especialistas sendo deslocados até Brasília para acompanharem de perto essas mudanças. O médico explica como funciona o trabalho de revisão das NRs: “Esse trabalho é executado a partir da avaliação inicial feita por um grupo técnico coordenado pela Subsecretaria de Inspeção do Trabalho. Esse grupo é composto por auditores e fiscais do trabalho, além de pesquisadores da Fundacentro e profissionais ligados ao Ministério da Economia e da Secretaria da Previdência. Os textos revisados são, então, enviados para consulta pública. Logo após a realização da consulta pública, que demora entre 30 e 45 dias, o material referente à NR é enviado para uma comissão formada por representantes dos sindicatos, das confederações dos empregadores e técnicos do governo. Esse grupo é chamado de Comissão Tripartite Partidária Permanente (CTPP), e se responsabiliza pela construção do texto final da Norma Regulamentadora que está sendo revisada”, explica o médico.

Ele ainda destaca que o processo, de acordo com a Secretaria da Previdência e Trabalho, leva em consideração o objetivo de reduzir a burocracia envolvida nas relações trabalhistas. “O sistema de proteção ao trabalhador, entretanto, não deve ser alterado ou prejudicado de nenhuma forma. Em outras palavras, o intuito é favorecer a segurança dos profissionais brasileiros por meio da simplificação das regras e processos”, assegura Ricardo Pacheco.

Nova NR-4 veta a terceirização do SESMT

Foi finalizada a revisão do texto da Norma Regulamentadora nº 4 (Serviços Especializados em Segurança e Medicina do Trabalho) em reunião na sede da Fundacentro em São Paulo em janeiro desse ano; a última reunião prevista do GTT (Grupo Técnico Tripartite) NR-4. Na ocasião. Estiveram presentes neste encontro, representantes da bancada dos trabalhadores (CSB, NCST, UGT, Força Sindical, CUT), dos empregadores (CNI, CNC, CNT, CNA, CNS) e do governo (Ministério da Economia, Ministério da Saúde).

Entre os itens discutidos durante a reunião, está o objetivo da nova NR-4, que será “estabelecer os parâmetros e os requisitos para constituição e manutenção dos serviços especializados em Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) com a finalidade de pesquisar, planejar, implementar, controlar e executar governança em SST, integrando ao GRO/PGR, com a finalidade de proteger a integridade das pessoas e os negócios das organizações e promover a saúde dos trabalhadores”. Também estão entre os itens: modelos de SESMT, terceirização do SESMT, jornada de trabalho mínima, composição dos integrantes dos SESMT, dimensionamento, registro, entre outros. Nem todos os itens do novo texto obtiveram consenso entre trabalhadores e empregadores.

Após a reunião, o texto revisado da NR 4 foi encaminhado para a CTPP (Comissão Tripartite Paritária Permanente), que se reunirá em Brasília/DF.

É preciso destacar que em 30 de janeiro o Ministério Público do Trabalho, através da Comissão Permanente para o Acompanhamento do Processo de Elaboração e Revisão das Normas Regulamentadoras, apresentou as suas sugestões sobre o tema, por meio da emissão da Nota Técnica sobre a proposta governamental de alteração da NR-4.

No documento, há abordagem de três eixos temáticos: a terceirização do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT), o tempo de guarda dos documentos produzidos pelo SESMT e a prestação de serviços de saúde por técnicos/assistentes de enfermagem sem a supervisão de profissional de enfermagem. Entre outros fundamentos legais, veda expressamente a terceirização deste serviço, determinando que as empresas estão obrigadas a mantê-lo.

Nesse sentido Ricardo Pacheco lembra que a terceirização desse serviço sempre funcionou muito bem. “Inclusive, mais recentemente algumas empresas com SESMT entenderam que o serviço complementa as atividades e os deixa com mais tempo para pensar estrategicamente, elaborar outros programas, aperfeiçoar os já existentes e se debruçar sobre estudo de sua população e seus números, pensando na melhor gestão de saúde dos colaboradores aos quais assiste”, completa o presidente da ABRESST e diretor da OnCare Saúde.

Campanha Fevereiro Roxo e Laranja reforça o papel da saúde ocupacional na conscientização, prevenção e acolhimento dos trabalhadores

Empresas ajudam a promover a saúde básica cuidando de seus funcionários com planejamento e investimento em proteção de cada vida

Mais uma vez o mês de fevereiro marca a campanha de informar e esclarecer sobre doenças de incidências notáveis na população: Leucemia, que é representada pela cor laranja, e, Lúpus, Fibromialgia e Mal de Alzheimer, representadas pela cor roxa. Relacionar a medicina ocupacional com essa ação de conscientização, faz todo sentido.

O cuidado com a saúde nas empresas tem como missão principal proteger os trabalhadores, promover a proteção da sua saúde física, mental e social. É preciso que a gestão empresarial esteja atenta e se engaje também nessa campanha, que agora tem um apelo ainda maior devido à prioridade que foi dada (muito justamente) às consequências da Covid-19.

Leucemia também pode ter causa ocupacional

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que são 10.810 novos casos de leucemia no Brasil, sendo 5.920 homens e 4.890 mulheres. O número de mortes por câncer atinge 7.218, 3.902 homens e 3.316 mulheres.

Nesse mês em que se alerta sobre a importância da conscientização e prevenção à leucemia, é preciso lembrar que cerca de 80% dos casos de câncer estão relacionados à exposição a agentes presentes nos ambientes onde se vive e trabalha. O ambiente de trabalho é um meio onde ocorrem as maiores concentrações de agentes cancerígenos, quando comparado a outros ambientes. Já está comprovado cientificamente que a exposição a agentes químicos, físicos e biológicos utilizados em ambientes de trabalho e seu entorno causa diversos cânceres.

Ricardo Pacheco, médico, gestor em saúde, presidente da ABRESST (Associação Brasileira de Empresas de Saúde e Segurança no Trabalho) e diretor da OnCare Saúde explica que existem mais de doze tipos de leucemia: “Desses destacam-se os quatro primários, que são leucemia mieloide aguda (LMA), leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfocítica aguda (LLA) e leucemia linfocítica crônica (CLL). O Protocolo do Ministério da Saúde, Saúde do Trabalhador, é específico para exposição a benzeno e investigação de Síndrome mielodisplásica e leucemia mielóide aguda do adulto”, ressalta.

E o médico afirma que o papel da empresa, além de evitar toda e qualquer exposição a agentes nocivos, é cuidar. “A empresa tem a responsabilidade de cuidar do indivíduo fornecendo equipamentos, orientação e acesso a uma saúde preventiva e efetiva. O trabalhador precisa antes de tudo se sentir acolhido e seguro. É o que a empresa tem que fazer”, enfatiza Ricardo Pacheco.

Ele alerta sobre o que pode aumentar o risco de leucemia. “Radiação ionizante e o benzeno são os fatores ambientais que até agora foram comprovadamente associados à leucemia aguda. Há outros fatores ambientais menos ligados à essa leucemia. As causas ainda não estão definidas, mas suspeita-se da associação entre determinados fatores com o risco aumentado de desenvolver alguns tipos específicos da doença como tabagismo, exposição ao benzeno, à radiação ionizante, ter histórico familiar, realização de quimioterapia, Síndrome de Down, exposição a agrotóxicos e algumas doenças sanguíneas”, destaca o gestor e diretor da OnCare Saúde.

Lupus e fibromialgia atingem pessoas na fase mais produtiva de suas vidas

O Lupus e a fibromialgia, representados na campanha pela cor roxa, são doenças que acometem as pessoas no período que deveriam ser mais produtivas. Acompanha-las de perto, com exames e consultas periódicas, pode manter esses trabalhadores saudáveis, produtivos e felizes.

Ricardo Pacheco lembra que o lúpus é um distúrbio que afeta o sistema imunológico aumentando, em excesso, a produção de anticorpos e provocando inflamações e lesões, as quais podem ser nos órgãos internos ou apenas na pele. “De acordo com o Ministério da Saúde, o Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é a forma mais séria da doença e também a mais comum afetando cerca de 70% dos pacientes com lúpus. Ele acomete principalmente mulheres, sendo 9 em 10 pacientes, com risco mais elevado de início de LES durante a idade fértil, ou seja, ainda jovens”, alerta o presidente da ABRESST.

Já fibromialgia é uma doença reumática que se caracteriza pela dor muscular crônica e generalizada, contudo, a existência de outros sintomas geralmente se faz presente. “Entre eles destacam-se alterações do humor, como ansiedade ou depressão, fadiga ou cansaço, alterações do sono, dores de cabeça, entre outros; além de poder evoluir para incapacidade física. Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, de cada 10 pacientes com a doença, entre 7 e 9 são mulheres. Todos esses sintomas elencados podem ser tratados e acompanhados pela saúde ocupacional, mais uma vez responsável por acolher e dar segurança para essa trabalhadora, na maioria dos casos, que sofre com essa dor incapacitante”, ressalta Ricardo Pacheco.

Outra enfermidade que é lembrada na campanha é o Mal ou Doença de Alzheimer, um transtorno neurodegenerativo de evolução progressiva e lenta, manifestada principalmente, em pessoas com mais de 65 anos. “Até por isso essa é uma questão que deve ser tratada na esfera previdenciária, mas nada impede que as empresas ofereçam um suporte psicossocial para seu trabalhador que esteja vivenciando um caso na família e necessite de um apoio psicológico. Certamente é uma contribuição para o bem estar desse profissional”, completa Ricardo Pacheco, médico, gestor em saúde, presidente da ABRESST e diretor da OnCare Saúde.


Sobre a OnCare Saúde

A OnCare Saúde é uma plataforma de solução integrada de saúde, que oferece assessoria e consultoria, para empresas e para população em geral. Dentro dessa plataforma, de gerenciamento macro, está a assistência médica que também garante a assistência integral social e à saúde dos beneficiários e seus dependentes, com ações de promoção, proteção, recuperação e reabilitação, de forma a contribuir para o aprimoramento do sistema social e de saúde do Brasil.

Nesse momento de pandemia a OnCare Saúde tem adotado todas as medidas sanitárias recomendadas pelas autoridades em saúde, no Brasil e no mundo. Dessa forma, os atendimentos presenciais continuarão acontecendo por ordem de chegada, como ocorre normalmente. É exigido o uso de máscaras e ofertado álcool em gel para todo usuário que tenha que se deslocar até uma unidade.

A OnCare Saúde ainda adverte que os serviços digitais são amplos e estão disponíveis 24 horas por dia; e que o paciente só se dirija a uma unidade se realmente imprescindível.