Nossos Vídeos

sábado, 7 de novembro de 2020

Democrata Joe Biden vence eleição americana

No começo da tarde deste sábado (7), Joe Biden foi eleito como o novo presidente do Estados Unidos, vencendo o atual ocupante da cadeira na Casa Branca, Donald Trump, que não acredita na derrota e diz que vai recorrer à Justiça. É importante destacar que esse resultado está baseado nas projeções dos maiores veículos de imprensa, como Associated Press, 'New York Times', NBC e CNN, uma vez que o país não possui um órgão de instância jurídica como a Justiça Eleitoral brasileira. Esses dados são apurados junto aos Colégios Eleitorais que, de forma simplificada, é responsável por oficializar a contagem de votos.

Após três dias de contagem manual das cédulas, essas projeções revelaram que Joe Biden conquistou 270 delegados, número necessário para garantir a vitória na 46° eleição americana. Essa disputa conquistou algumas marcas na história do País por Joe Biden ser o mais velho a exercer esse cargo — ele terá 78 anos na data da posse. Outro detalhe é que Donald Trump acaba de se tornar o primeiro presidente nos últimos 25 anos a perder a reeleição. Além disso, sua vice na chapa é Kamala Harris, senadora democrata e mulher negra, filha de imigrantes. Será a primeira vez que os Estados Unidos terá uma mulher neste cargo. 

Joe Biden tem longa carreira política, com algumas passagens marcantes como a eleição como senador pela primeira vez em 1972, aos 29 anos; em 1987, lançou sua primeira candidatura à Casa Branca; por fim, foi vice-presidente de Barack Obama durante seus dois mandatos. As diferenças no discurso entre Biden e Trump estão cercadas de expectativas por todo o mundo, no que diz respeito à condução das políticas sociais e no comércio exterior.

***

Dia Nacional de Alerta para Doenças Reumáticas


Especialista explica fatores que podem ajudar a identificar o diagnóstico precoce da doença



O mês de outubro celebra uma variedade de datas importantes para a medicina, como o Dia do Médico, da Conscientização e Prevenção ao Câncer de Mama e da Artrite Reumatoide. Neste final de mês, o Dia Nacional de Alerta para Doenças Reumáticas, chega como mais uma data para informar, conscientizar e contribuir para a saúde pública.

No Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, cerca de 15 milhões de pessoas são acometidas pela doença. Existem cerca de 120 doenças reumáticas, que podem afetar crianças, jovens, adultos, homens e mulheres. “Nossa principal preocupação é não realizar diagnóstico e tratamento precoces, que podem levar à perda de qualidade de vida e incapacidade física”.

“A maioria das doenças reumáticas tem como manifestações iniciais, a dor persistente e o inchaço nas articulações. Essa dor pode surgir como uma espécie de fisgada ou pontada ao realizar tarefas e movimentos simples, como por exemplo manejar um garfo ou faca para se alimentar ou subir escadas. A melhor forma é reconhecer a presença da dor nas articulações e como ela se comporta ao longo do dia para melhorar”, explica a Dra. Claudia Goldenstein Schainberg, especialista em reumatologia.

Situações como esta, iniciando de uma forma simples, podem começar a complicar a rotina das pessoas, causando dificuldades que podem afetar o dia-a-dia e até mesmo atividades no trabalho. De fato, hoje as doenças reumáticas estão entre as principais causas de afastamento e aposentadoria precoce por doença.

“O ideal é procurar um médico especializado para diagnosticar, tratar e nortear quanto à realização de as atividades adequadas. A melhor forma de se cuidar é, sem dúvidas seguindo as orientações do seu médico, praticar exercícios físicos, manter uma boa alimentação leve e colorida, somada a um estilo de vida saudável”, conclui a especialista.

Sobre a Dra.

Dra. Cláudia Goldenstein Schainberg é especialista em Reumatologia e Reumatologia Pediátrica. Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal da Bahia, mestrado e doutorado em Medicina (Reumatologia) pela Universidade de São Paulo.

***


google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0