Nossos Vídeos

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Olhos vermelhos, coçando e inchados? É conjuntivite ou blefarite?

Doenças são mais comuns durante o tempo seco e apresentam os mesmos sintomas


Inchaço, coceira, vermelhidão e secreção na região dos olhos. Estes são sintomas da conjuntivite, certo? Nem sempre! Apesar dos sintomas em comum pode ser também caso de blefarite. O oftalmologista doutor André Borba, especialista em oculoplástica pela Universidade da Califórnia, explica a diferença.

“A conjuntivite é uma infecção da membrana ocular, chamada de conjuntivo. Já a blefarite se dá pelo excesso de oleosidade nas pálpebras, que na maioria das vezes, é uma resposta à dermatite seborreica, também conhecida como caspa. Além disso, a baixa umidade do ar e o tempo seco são propícios para este tipo de infecção”, explica.

A principal distinção é o tempo de duração das duas condições. Enquanto a conjuntivite dura de 15 a 30 dias, a blefarite é crônica, e se torna recorrente na vida da pessoa afetada. “A blefarite pode realmente prejudicar a vida do paciente. A inflamação atrapalha muito o dia a dia porque a pálpebra fica inchada e altera significativamente a visão, isso sem falar no desconforto da coceira”, complementa.

O tratamento para as duas também é bem diferente. A conjuntivite pode ser sanada ao utilizar soro fisiológico gelado e compressas sobre as pálpebras, assim como limpar os olhos com frequência. Mas o caso da blefarite é mais grave, e muitas vezes envolve o uso de pomadas tópicas ou até mesmo antibióticos e anti-inflamatórios.

Fora os medicamentos, quem sofre com a blefarite deve lavar os olhos todos os dias, assim como escovamos os dentes. Manter uma dieta rica em vitamina C, A, E, assim como o ômega 3, também é importante. “Como a doença não tem cura, é melhor começar o tratamento o quanto antes, principalmente porque ele requer dedicação por parte do paciente”, alerta o médico.

Então, como podemos diferenciá-las em um primeiro momento? A resposta final é que infelizmente não conseguimos. Até ter o olho examinado por um especialista com o equipamento adequado, não há como fazer um diagnóstico caseiro. Segundo o doutor Borba, muitas vezes o diagnóstico da blefarite é atrasado pois o paciente acredita estar com conjuntivite e faz o tratamento errado em casa. “Por isso, minha recomendação é, sempre, consultar um oftalmologista em caso de qualquer alteração na região dos olhos”, finaliza o especialista.

***


FlowBrows: conheça a técnica queridinha das famosas




Ex-BBB Thelma, Deborah Secco, Isabella Drumond, Simone e Simaria já realizaram o procedimento


Quem nunca ouviu a expressão “sorrir com os olhos”? A verdade é que ela se tornou mais verdadeira do que nunca nos últimos tempos. Com o uso constante da máscara, a sobrancelha se torna a grande responsável por definir o olhar e pode fazer toda a diferença na simetria do rosto. Por isso a chamada micropigmentação tem chamado a atenção de homens e mulheres.

Responsável por desenvolver a nova técnica queridinha das celebridades, a empresária Natália Martins investe nos procedimentos realistas, chegando no formato ideal de sobrancelhas para cada pessoa por meio de uma análise da estrutura óssea facial. O procedimento exclusivo criado por ela, chamado FlowBrows, é feito manualmente fio a fio e promete um resultado extremamente natural, respeitando a cor e a textura das sobrancelhas. A realidade é que cada vez mais pessoas buscam fugir das sobrancelhas quadradas e muito marcadas, por isso a ideia é deixar o procedimento o mais imperceptível possível.

“Fiz meu primeiro curso de sobrancelhas sem nunca ter pego em uma pinça e hoje acho que este é o maior diferencial da técnica. Com um olhar amplo, analisando todo o formato e estrutura do rosto, fugimos do tradicional e oferecemos o natural. Isso contribuiu para que eu entendesse que não existe um padrão de beleza e que precisava criar algo que valorizasse a beleza natural de cada pessoa”, comenta Martins.

O procedimento que ganhou espaço nos Estados Unidos e tem data marcada para inaugurar no Oriente Médio, já foi realizado em famosas como Deborah Secco, Isabelle Drummond, Simone, Simaria, Thelma Assis, campeã do BBB20, Duda Reis, Ellen Milgrau e Simone Sampaio. “O método semipermanente dura em média de 6 meses a um ano e consiste na implantação de um pigmento orgânico na primeira camada da pele com uma lâmina extrafina, criando um desenho que proporciona leveza e movimento às sobrancelhas”, explica a especialista.

Vale ressaltar que o FlowBrows não é uma ‘maquiagem definitiva’. Mesmo utilizando agulha, pigmento e marcação cutânea, o procedimento não é permanente e deve ser retocado de acordo com o desgaste da pele. “Este é um processo extremamente artístico. Buscamos moldar o rosto e tornar o olhar uma verdadeira obra de arte, pois é trabalhado em um estado Flow, onde mente e corpo ficam em perfeita harmonia”, finaliza a empresária.

***


google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0