Nossos Vídeos

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

A Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) detalhou a atuação do Ministério da Saúde junto aos povos tradicionais do país


O Ministério da Saúde organizou, nesta sexta-feira (11/09), reunião on-line com representantes de organismos internacionais e governos estrangeiros, para apresentar as ações federais de combate à Covid-19 junto aos povos indígenas do Brasil. O encontro contou com a participação de representantes de entidades internacionais, como a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Organização das Nações Unidas (ONU), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) e a Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), além de representantes de embaixadas de países estrangeiros, como Estados Unidos, Noruega e Canadá.

Na ocasião, o secretário Especial de Saúde Indígena (SESAI), Robson Santos da Silva, apresentou dados e ações de enfrentamento à Covid-19. Segundo o secretário, a SESAI disponibilizou orçamento adicional de R$ 125 milhões para atender uma população composta por 775.898 mil indígenas, distribuídos em 5.852 aldeias, de 305 etnias e que falam até 274 línguas. Apresentou, também, boletim epidemiológico recente, do último dia 08 de setembro, que registrou 24.650 casos confirmados, 18.958 curados e 401 óbitos em territórios indígenas.

As ações de prevenção e atenção primária são feitas por 14 mil profissionais em campo, dos quais quase 60% indígenas. Todos passam por exame de Covid-19 antes de entrar nas aldeias, para evitar a contaminação dos indígenas. “São eles que enfrentam todas as dificuldades de acesso para atuar em área indígena prestando serviços rotineiros de atenção básica de saúde - como vacinação, acompanhamento nutricional, entre outros”, disse Robson Silva. O secretário mencionou, também, que, desde o início da pandemia, a SESAI já enviou, aos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs), quase 3 milhões de insumos, entre os quais máscaras N95, luvas, aventais, toucas, óculos de proteção, frascos de álcool em gel 70% e testes rápidos.

Entre as ações de enfrentamento ao coronavírus, o SESAI destacou, entre outras iniciativas, a criação das unidades de atenção primária indígenas exclusivas para a Covid-19; a disponibilização de recursos adicionais aos DSEIs para compra de insumos, equipamentos, testes e EPIs; a divulgação local de campanhas sobre prevenção ao coronavírus, culturalmente apropriadas para cada região; e a contratação de horas voo e UTI aérea para transporte rápido de pacientes graves até unidades especializadas.

A SESAI também tem apoiado a distribuição federal de cestas básicas a povos indígenas, com o objetivo de garantir a segurança alimentar e a permanência nas aldeias, evitando deslocamentos até as cidades próximas para adquirir alimentos. 

ORIENTAÇÃO

Mesmo antes de a OMS decretar a Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII), a SESAI produziu documentos técnicos para guiar indígenas, gestores e colaboradores a adotar medidas de tratamento e prevenção contra a infecção pelo coronavírus. Emitiu-se, ainda, Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo Coronavírus em Povos Indígenas para os 34 DSEIs que, com base nele, elaboraram Planos de Contingência Distrital para Infecção Humana pelo coronavírus.

A coletânea de documentos pode ser acessada no portal saudeindigena.saude.gov.br.


***

CONHEÇA O PODER DAS PLANTAS COM
O GUIA DE PLANTAS MEDICINAIS


google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0