Nossos Vídeos

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Papagaios fazem a já tradicional visita outonal à Subprefeitura de Itaquera

Nos últimos anos, sempre no outono, a Subprefeitura Itaquera tem recebido em sua sede a visita de convidados inusitados. São papagaios da espécie amazona-aestiva, o popular loro ou papagaio verdadeiro, que não é comum de ser avistado em metrópoles como São Paulo. Este ano não foi diferente e os animais aparecem pela manhã e no final da tarde comer sementes de santa bárbara, árvore que frutifica nesta estação.

Os grupos chegam a ser compostos por até 30 aves, como ocorreu em 2009. Neste ano, nos dias mais carregados foram contados cerca de 20 pássaros. Os servidores, mesmo já acostumados com o espetáculo, ainda dão uma paradinha no final da tarde para observá-los, como conta Ademir Corrêa, funcionário da Defesa Civil. "É legal parar cinco minutinhos para dar uma olhada neles, são muito bonitos", confessa.

Os papagaios verdadeiros são observados na cidade desde o início dos anos 90, porém hoje com mais freqüência e há registros de reprodução em diversos parques e espaços arborizados, como o Parque do Carmo, Parque Ibirapuera e a Cidade Universitária, e até em áreas residenciais. De acordo com Anelisa Magalhães, bióloga da Divisão de Fauna Silvestre da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente (SVMA), a ocorrência original da espécie, no entanto, não inclui a cidade de São Paulo. "Dizem que a espécie surgiu por aqui como resultado de escapes de cativeiro, ou também devido à supressão da vegetação original", afirma.

Segundo a bióloga Martha Argel, doutora em ecologia de aves e autora do livro Aves Urbanas, os exemplares avistados na sede da Subprefeitura Itaquera podem ser de uma segunda geração. "Aparentemente, a espécie agora está se reproduzindo na cidade, e parte das aves avistadas pode ter nascido aqui", conta. "Pela minha experiência, esses animais não estão restritos a áreas verdes, pois se deslocam por cima de bairros, e muitas vezes pousam em bairros mais arborizados para se alimentarem ou descansarem", acrescenta.

Sua sobrevivência depende das áreas verdes, pois é lá que encontram melhores condições para pernoite, alimentação e reprodução. Desde 2005 já foram implantados 33 novos parques em São Paulo, somando 67 parques municipais. Nos últimos cinco anos a cidade passou de 15 milhões de m² de áreas protegidas para 24 milhões de m². O plantio anual de árvores era de 25 mil antes de 2005 e passou para 200 mil novas mudas em 2009. Em 2012 a cidade de São Paulo chegará ao número de 100 parques municipais. Prova de que a fauna está cada vez mais surpreendente em São Paulo é que no mês passado, a Secretaria do Verde divulgou o Inventário Faunístico da cidade, revelando que mais de 700 espécies selvagens vivem na zona metropolitana.

No mundo todo o papagaio verdadeiro é uma das aves mais procuradas como animal de estimação, e por culpa do comércio ilegal é cada vez mais difícil vê-la na natureza. "É importante insistir para que caso encontrem ninhos, as pessoas evitem pegar e comprar filhotes de papagaio e de outras espécies também. Um papagaio que voa livre é de todos, e muita gente pode se maravilhar com sua presença", alerta Martha Argel.

Estes bichos são mais comuns de serem avistados em pares do que em bandos, e não devem ser confundidos com as maritacas, que tem plumagem verde e fazem barulho quase que ininterruptamente. O papagaio verdadeiro se comunica apenas durante o vôo, ficando o resto do tempo em silêncio. Atualmente, além dos parques, estes animais podem ser vistos ou ouvidos em bairros residenciais como Itaquera, Ipiranga e Pacaembu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.