Nossos Vídeos

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Escra…Show: Lisos, Lesos e Loucos > 29/08

Espetáculo está em cartaz no Espaço Casa Café Teatro até 29/08

O Escra...Show, grupo formado por atores comediantes, fica cartaz durante o mês de agosto no Café Teatro com o espetáculo Lisos, Lesos e Loucos, que tem como tema central os absurdos do cotidiano e dos relacionamentos. Com uma linguagem exagerada e atuação escrachada, os atores recriam, no palco,situações comumente vivenciadas pelo público,mesmo que de forma indireta, o que causa uma reação de identificação imediata.

O espetáculo é exibido aos sábados, às 21h, e fica em cartaz até o final de agosto. A produção tem uma hora de duração, e as entradas custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (estudantes e idosos). Não são aceitos cartões.

O Escra...Show surgiu da união de três artistas – Aliu Coelho, Romulo Bonfim e André Marçal -, e da necessidade de cada um expor suas criações, em um formato compatível com a união dos mais diversos personagens. O espetáculo conta com:
BRUXA “MARLI MARLENE”: Uma bruxa que engravidou do boneco “FOFÃO, DO BALÃO MÁGICO”. Devido à falta de oportunidade nos contos de fadas para alguém com seu perfil, acaba vivendo de bicos em produções cinematográficas.
PORQUINHO: Irmão mais novo dos três porquinhos que não quer voltar para os contos de fadas, pois agora é cabeleireiro de gente famosa.
SOCORRO: Socialite elegante, mas falida, e que está sempre envolvida em campanhas filantrópicas para benefício próprio.
NEUZIMAR: Lutador de “Vale tudo”. Sua voz é fina devido aos os adversários das lutas apertarem seu saco. Seu objetivo é conseguir um patrocínio para realizar a troca de sexo e voltar a ter a voz grave.
REGIMARA: Uma mulher com síndrome de Regina Duarte: basta uma piscada e ela incorpora os personagens que Regina Duarte fez na TV.
MARCELA PAINTBRUSH: Senhora mãe de um adolescente emo. Sempre embriagada a personagem explica ao público a origem dos emos, mas tudo na maneira louca que ela entendeu.
BASTIÃO: Caboclo paraense caricato e atrapalhado que acabou de chegar a São Paulo e conta sempre suas confusões.
GISELINHA: Adolescente aspirante a famosa, ex-integrante do projeto “Nós do morro” do Rio de janeiro. Tem fama de barraqueira por isso nunca passa no testes. Sonha em cantar para as crianças, lançando seu primeiro cd “Giselinha to de beiço”.
VERA DA CRUZ: Carioca da gema, é vendedora de sanduíches naturais. Sempre muito simpática, é a favor da vida saudável e contra o acúmulo de gordura e por isso vende seus sanduíches naturais de torresmo com polenta, picanha ao sangue madeira, calabresa com bacon e os exóticos: macaco ao leite de castanha e o gambá no tucupi.
VÉIA DA CAIXA: Retirante nordestina que vem para São Paulo atrás do sobrinho Murilo. Traz consigo sua inseparável caixa, onde guarda algo que só ela sabe. Ao chegar à cidade grande se depara com muita gente querendo descobrir o que ela guarda dentro desse objeto de papelão. Quando encontra o sobrinho transformado em Brenda acaba indo morar no centro em meio a travestis vivendo hilárias confusões por causa do segredo da caixa.
AS CRIANÇAS: As três crianças aparecem na praça, sempre vindas de algum lugar juntas. Estão sempre brigando, mas nunca se separam. Suas histórias são bem exageradas como um desenho animado adulto. Cada uma a sua maneira, Cecília (9 anos), a mandona e preconceituosa, Tereza (4 anos), impulsiva e as vezes assustadora, e Pedro Henrique(9 anos), sensível ao extremo, levam o público a gargalhadas .

SERVIÇO:Escra...Show!
Data: Sábados
Horário: 21h
Local: Espaço Casa Café Teatro
Rua Treze de Maio, 176 – Bela Vista – São Paulo
Tel. (11) 3159-0546
Lotação: 90 pessoas
Entrada: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (estudantes e idosos). Não serão aceitos cartões.
*
*
*
Publicidade:
BRINDES ESCOLARES PARA FESTAS INFANTIS
Imas de geladeira, calendários, diplominhas
Acesse: www.kidbrinde.webnode.com.pt

AS PROMISSORAS PROFISSÕES VERDES EM EDUCAÇÃO E TRABALHO

Uma pesquisa realizada pelo Programa de Estudos do Futuro (Profuturo), da Fundação de Instituto de Administração (FIA), que identifica as profissões mais promissoras até 2020, revela que estão na frente gestão ambiental, engenharia ambiental, direito ambiental, agronomia, ecologia, engenharia florestal, entre outras profissões verdes. Esse é o tema de uma das matérias do programa Educação e Trabalho, que irá ao ar no sábado, 22, às 10h30, na TV Cultura. Além disso, também será mostrada a trajetória de um coordenador de marketing de uma multinacional.

Na mesma edição, destaca-se o programa de estágio de uma das 50 melhores empresas para estagiar em 2008, prêmio concedido anualmente pelo CIEE. Há também dicas sobre a importância do trabalho em equipe, uma pesquisa que revela que tipo de estágio o estudante prefere em tempo de crise, com um valor menor de bolsa-auxílio mas com possibilidade de efetivação ou uma bolsa-auxílio maior e sem garantia de efetivação.

Educação e Trabalho é uma realização conjunta do CIEE/TV Cultura e o único programa da TV brasileira dedicado integralmente à inserção dos jovens estudantes no mercado de trabalho, por meio do estágio e da aprendizagem. Tem duração de 30 minutos, vai ao ar todos os sábados às 11h00 e é reprisado às sextas-feiras às 7h30. Dúvidas, sugestões e solicitação de informações podem ser enviadas para educacaoetrabalho@ciee.org.br.

SERVIÇO
Programa: Educação e Trabalho.
Data: Sábado.
Horário: 10h30.
Reprise: sextas-feiras, 07h30.
Canal: TV Cultura.

SOBRE O CIEE:
Fundado há 45 anos, o Centro de Integração Empresa-Escola - CIEE é uma organização não governamental (ONG), filantrópica e sem fins lucrativos. Nessas quatro décadas, já inseriu por meio do estágio quase nove milhões de jovens estudantes no mercado de trabalho, contando com a parceria de 220 mil empresas e órgãos públicos. Mantido pelo empresariado brasileiro, sua atuação se pauta pela legislação específica para o estágio: a Lei 11.788/2008.
*
*
*
*
Publicidade:

31% dos brasileiros NÃO SABEM o que é Saneamento Básico

Pesquisa inédita do IBOPE e Instituto Trata Brasil sobre a percepção da população revela que 31% dos brasileiros não sabem o que é Saneamento BásicoCom o objetivo de conhecer quais as percepções da população sobre os serviços de Saneamento Básico, o Trata Brasil e o Ibope Inteligência realizaram uma pesquisa que mostra qual é o grau de conhecimento e de satisfação da população com os serviços de esgoto. Foram realizadas 1.008 entrevistas com moradores das 79 cidades brasileiras com mais de 300 mil habitantes

Com a meta de conhecer como a população percebe a oferta do serviço de esgoto nas maiores cidades do País, qual a importância que dá a esse serviço, o entendimento de seus impactos sociais, tanto positivos como negativos, bem como de quem é a responsabilidade pelo seu fornecimento, o Instituto Trata Brasil e o IBOPE Inteligência acabam de divulgar a pesquisa “Percepções sobre Saneamento Básico”.

A pesquisa ouviu 1.008 pessoas moradoras das 79 cidades brasileiras com mais de 300 mil habitantes e revelou que 31% da população não sabem o que é Saneamento Básico. Em uma questão específica sobre o termo, na qual os entrevistados poderiam indicar mais de um tipo de serviço dentro do conceito, as cinco respostas mais mencionadas foram: serviços de esgoto (54%), serviços de água (28%), coleta de lixo (15%), limpeza pública (14%) e pavimentação (8%). A citação ao esgoto ficou em primeiro lugar em todas as regiões do País, seguida de serviços de água, que só na região Nordeste ficou em terceiro lugar, atrás de limpeza pública.

Apesar dos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (Ministério das Cidades) indicarem que apenas metade da população têm acesso a esgoto, 77% das pessoas acreditam que estão ligadas à rede pública. Essa percepção é maior nas cidades do Sul (87%) e do Sudeste (84%).

“Como os dados oficiais indicam que esta porcentagem é menor, percebe-se que a população acredita que o esgoto de seu domicílio é ligado à rede municipal de esgoto, quando na verdade não é”, afirma Raul Pinho, presidente executivo do Instituto Trata Brasil.

A pesquisa revela que 1 em cada 5 domicílios (20%) consultados declara que não está ligado à rede pública. Os índices são maiores nas cidades da região Nordeste (56%) e de médio porte (68%). Segundo Hélio Gastaldi, diretor de Atendimento e Planejamento do IBOPE Inteligência, quanto menor é a renda, a escolaridade e a classe social do entrevistado, menor é o percentual dos que estão ligados à rede. “Esse resultado era esperado, mas o que chama a atenção é a quantidade significativa das pessoas mais escolarizadas e com uma condição financeira acima da média que ainda não contam com esse serviço essencial. Um terço da classe D/E (32%) não dispõe de acesso à rede pública, proporção que passa para um quinto (21%) dentro da classe C, e para cerca de um em cada 10 domicílios (9%) da classe A/B”, comenta.

Em relação à escolaridade dos entrevistados que não têm acesso à rede de esgoto, 23% estudaram somente até o Ensino Fundamental, 17% possuem o Ensino Médio e apenas 10% cursaram o Ensino Superior.
Embora pouco mais de ¼ dos entrevistados (28%) afirmarem desconhecer o destino do esgoto de sua cidade, percentual próximo (22%) dos que acreditam que os resíduos vão para uma estação de tratamento; para 32%, o esgoto das casas segue direto para os rios. Quanto ao tratamento, 17% das pessoas acham que todo o esgoto coletado recebe tratamento, 50% avaliam que apenas parte dos resíduos é tratado e para 16% não há tratamento algum. Quase 1/5 (17%) dos entrevistados não sabe opinar.

Das pessoas que acham que o esgoto vai para os rios, 32% não estão ligadas à rede pública, 36% moram em cidades do Sudeste, 37% habitam em periferias e 37% vivem em cidades de médio porte. As porcentagens das respostas dos que afirmaram que os resíduos seguem para um centro de tratamento estão divididas em: 38% dos mais ricos, 37% das cidades do Sul, 37% das cidades de porte médio, 34% dos mais escolarizados e 31% dos moradores do interior. Já entre os que não sabem, 32% são menos escolarizados, 38% estão em cidades do Nordeste, 32% vivem na periferia, 35% são de classes mais pobres e 33% moram em favelas.

Para Hélio Gastaldi, as pessoas entendem o significado geral do termo “esgoto” e percebem a existência de uma rede na qual são despejados os resíduos dos domicílios, apesar de não terem familiaridade com a expressão “coleta”. Com relação ao tratamento, a questão é mais delicada, uma vez que os entrevistados demonstraram grande dificuldade para entender os percursos e o destino do esgoto a partir do momento em que este sai de suas casas. Para o estabelecimento de um parâmetro para a avaliação de cada tipo de serviço foi necessária uma explicação sobre o significado destes termos.

Conduzida a escolher entre a ampliação da rede atual e o tratamento do que já é coletado, a população praticamente se divide em duas partes: 54% preferem a ampliação, enquanto 40% entendem que a prioridade deveria ser a universalização do tratamento. “A surpresa aqui ficou na proporção dos que preferem tratamento, que é praticamente a mesma entre os que estão e não estão ligados à rede pública. As percentagens foram 40% e 37%, respectivamente”, conta Gastaldi.

As pessoas que ainda não possuem o serviço de escoamento ligado à rede, mostraram-se interessadas em fazer parte da rede pública de coleta, mas praticamente a metade dos que se encontram nessa situação não está disposta a gastar qualquer quantia que seja para ter o serviço. Destes, 41% declaram que não pagariam nada e 28% estão indecisos. A média de gastos entre os que se disporiam a pagar (31% do total de domicílios sem o serviço atualmente) é de R$ 44,00. Para 50% dos entrevistados, o valor cobrado pela conta da água em relação ao serviço prestado é considerado caro. Dos que têm essa percepção, 72% estão localizados nas cidades do Norte e do Centro-Oeste do País. Os que pensam que o valor cobrado está adequado à qualidade do serviço somam 26%.

SATISFAÇÃO COM OS SERVIÇOS

Cerca de 1/4 (26%) dos entrevistados está insatisfeito com os serviços de coleta e de tratamento de esgoto, enquanto 50% se encontram satisfeitos. Entre os que consideram os serviços satisfatórios, destacam-se os moradores da região Sul (61%), do interior (63%), com renda familiar entre 2 e 5 salários mínimos (59%) e os que estão ligados à rede pública (59%). Os insatisfeitos são os mais escolarizados (34%), residentes nas cidades da região Nordeste (47%), habitantes da periferia (31%), das cidades de médio porte (37%) e moradores de favelas (44%).

Na questão sobre serviços de tratamento do esgoto, o perfil dos que estão satisfeitos e o dos insatisfeitos não variam muito. Os mais satisfeitos são os entrevistados da região Sul (56%), do interior (57%) e com renda familiar entre 2 e 5 salários mínimo. Já os mais insatisfeitos são os mais escolarizados (31%), os da região Nordeste (46%), das cidades de médio porte (37%), mais pobres (36%) e moradores de favelas (47%).

Segundo Hélio Gastaldi, as pessoas de condição socioeconômica mais crítica (classes D e E) mostram-se menos satisfeitas, porém, com diferenças menos significativas em relação às de classe mais alta do que se poderia esperar em decorrência das diferenças observadas na prestação desses serviços para cada tipo de morador. “Entre os que não possuem o serviço de coleta de esgoto, a insatisfação chega a 65%, mas o que surpreende é que praticamente 1/5 encontra-se satisfeito com um serviço que não recebe”.

SANEAMENTO BÁSICO E OUTRAS ÁREAS

O esgoto ficou em 7º lugar no ranking de áreas mais problemáticas, apontado por 10% dos entrevistados. A primeira colocação ficou com saúde (49%), seguido de segurança (46%), drogas (40%), educação (28%), emprego (27%), calçamento e pavimentação (11%) e limpeza pública (11%). “Uma vez que o saneamento pode ser apontado de acordo como é percebido em cada uma das suas vertentes, à primeira vista pode parecer que o tema não tem tanta importância, comparado às demais áreas. Porém, se somarmos as menções a esgoto (10%), limpeza pública (11%), coleta de lixo (4%) e abastecimento de água (9%), chegamos ao mesmo patamar dos problemas mais citados”, comenta Gastaldi.

Entre os que apontaram o esgoto como a área de maior problema se destacam os que não estão ligados à rede (22%), os moradores de favelas (17%), cidades de médio porte (16%), periferias (15%) e cidades nordestinas (14%).

Na questão sobre o grau de importância das áreas prioritárias, os entrevistados votaram nos serviços que acham “muito importantes”, “importantes”, “pouco importantes” ou “nada importantes”. As respostas mostram que, na soma das menções “muito importantes” e “importantes”, saneamento básico, coleta e tratamento de esgoto são considerados tão importantes quanto as demais áreas avaliadas, incluindo saúde, educação e segurança pública.

IMPACTOS NEGATIVOS POR FALTA DE SANEAMENTO BÁSICO
Quase 1/5 (18%) dos domicílios sofre com problemas de refluxo, praticamente a mesma quantidade (17%) que aponta problemas com enchentes e inundações. O mau cheiro dos esgotos afeta uma proporção maior, sendo indicado por mais de 1/3 dos domicílios pesquisados.

É bastante expressivo o conhecimento dos entrevistados sobre os impactos negativos gerados pela falta de serviços de coleta e tratamento de esgoto. Os mais citados são: doenças e problemas de saúde (70%), mau cheiro (41%), presença de ratos (36%), presença de insetos (27%) e poluição de rios (14%).

Com relação aos serviços de saneamento básico mais urgentes, 21% das pessoas citaram a limpeza de bueiros/bocas de lobo, 15% falaram das coletas de esgoto e também 15% elegeram a retirada de entulhos das ruas e áreas abandonadas. Dos que acham coleta de esgoto prioritário, 37% não estão ligados à rede, 28% são de cidades do Nordeste, 23% de cidades do Norte e do Centro-Oeste, e 19% são moradores de favelas.

ESGOTO X QUALIDADE DE VIDA
Para Hélio Gastaldi, a maioria praticamente absoluta da população (84%) vincula a presença de esgoto com melhora da sua qualidade de vida, assim como a de sua família. Também mostra discernimento, ao indicar como ocorrem os principais ganhos.

“Metade dos entrevistados (50%) afirma evitar doenças e problemas de saúde, respostas às quais poderiam ser agregadas referências à possibilidade de evitar a presença de insetos (13%) e ratos (12%), com implicações óbvias em relação à saúde. As outras respostas mais expressivas dizem que a canalização dos esgotos impede a proliferação de sujeiras em geral (23%), assim como o mau cheiro (17%)”.

A leptospirose, também citada como “doença de ratos”, é o maior problema dentre os vários que podem ocorrer, apontados espontaneamente (sem uma relação de respostas específicas) pelos entrevistados, sendo citado por praticamente 64%, seguido de diarreia, com uma incidência de 42%. Foram bastante lembradas as doenças de pele (28%) e viroses (21%), além de alguns outros casos que, na verdade, são sintomas de alguma doença específica: vômito (25%) e febre (21%).

Cerca de 1/3 dos entrevistados já vivenciou ou conhece alguém que já teve problemas relacionados ao esgoto. Os percentuais mais expressivos estão entre os entrevistados da região Sul (43%), das periferias (40%), mais pobres (39%) e entre os que não estão ligados à rede pública (42%). Os problemas mais presentes são os relacionados à saúde (11%), ou correlatos, como presença de ratos (8%) e de insetos (6%), assim como outros estruturais, nos quais se destacam os entupimentos (9%) e os causados por enchentes (7%).

SANEAMENTO BÁSICO X ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
A maioria dos entrevistados entende que a administração municipal é responsável pelos serviços de saneamento básico (68%). A avaliação dos serviços de coleta e tratamento de esgoto mostra que a atuação da Prefeitura está aquém da expectativa da população, com notas inferiores às dos demais serviços prestados: coleta de lixo (8,0), tratamento de água (7,6), coleta de esgoto (6,4) e tratamento de esgoto (5,9). Apesar de 61% das pessoas afirmarem que a administração municipal se esforça, porém não o bastante, para que os serviços de coleta e tratamento sejam universais, ¼ dos pesquisados (24%) considera que ela não faz nada para que a cidade tenha um atendimento pleno dos serviços. Destes, 34% são moradores de cidades do Nordeste, 33% estão entre os mais pobres, 39% vivem em periferias e 45% não estão ligados à rede.

A pesquisa revelou ainda que é muito baixo o número de pessoas que declara ter levado em conta as condições de esgoto quando escolheu seu candidato nas últimas eleições municipais: apenas 2%, que passam para 5% entre os que não possuem serviço público de coleta. O abastecimento de água é citado por 1%. Nos primeiros lugares, aparecem as demandas por serviços de saúde (19%), segurança (10%) e educação (10%).

Na opinião de 61% dos pesquisados, os candidatos não se mostraram preocupados com o tema saneamento básico. Essa percepção é maior na periferia (68%), em cidades do Norte e do Centro-Oeste (67%) e pelos que não estão ligados à rede (67%).

Mesmo atribuindo grande importância ao tema, a população não se mobiliza para agir de forma organizada em relação às carências da área. As ações individuais também ficam restritas a uma pequena parcela e ocorrem fundamentalmente em participação de abaixo-assinados (5%) e contato telefônico com os órgãos responsáveis. “Até mesmo nos domicílios sem acesso à rede pública de coleta, mais de oito em cada dez nunca teve qualquer atitude”, afirma Gastaldi.

Perguntados sobre onde gostariam de buscar mais informações sobre os serviços de coleta e tratamento de esgoto, os entrevistados responderam: TV (34%), conta de água (20%), boletim informativo (17%), carta da Prefeitura (17%), rádio (16%) e jornais (15%).

O Instituto Trata Brasil acredita que a avaliação da qualidade dos serviços de saneamento básico oferecerá um instrumento objetivo, que dará mais transparência à gestão pública, permitindo mais chances de entendimento da população sobre o que está sendo feito com o dinheiro público, bem como aos administradores municipais acompanharem a evolução da percepção da população sobre as melhorias nas cidades.

Sobre o Instituto Trata BrasilO Instituto Trata Brasil é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), iniciativa de responsabilidade socioambiental que visa a mobilização dos diversos segmentos da sociedade para garantir a universalização do saneamento no País. Tem como proposta informar e sensibilizar a população sobre a importância e o direito de acesso à coleta e ao tratamento de esgoto e mobilizá-la a participar das decisões de planejamento em seu bairro e sua cidade; cobrar do poder público recursos para a universalização do saneamento; apoiar ações de melhoria da gestão em saneamento nos âmbitos municipal, estadual e federal; estimular a elaboração de projetos de saneamento e oferecer aos municípios consultoria para o desenvolvimento desses projetos, e incentivar o acompanhamento da liberação e da aplicação de recursos para obras. Visite o site www.tratabrasil.org.br

Hoje, o Instituto conta com o apoio das empresas e entidades Amanco, Braskem, Solvay Indupa, Tigre, CAB Ambiental, Fundação Getúlio Vargas (FGV), Pastoral da Criança, Agencia Nacional de Águas (ANA), Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), Associação Brasileira de Municípios (ABM), Associação das Empresas de Saneamento Básico Estaduais (Aesbe), Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto (Abcon), Medley e Instituto Coca-Cola.

Sobre o IBOPE Inteligência
O IBOPE Inteligência é uma organização do Grupo IBOPE que contribui para seus clientes terem conhecimento e compreensão adequados da sociedade e dos mercados onde atuam, auxiliando na tomada de decisões táticas, na elaboração de estratégias e nos processos de inovação. Para tal, conta com uma equipe multidisciplinar integrada e com profissionais altamente qualificados no conhecimento do cidadão e do consumidor.

Sobre o IBOPE
Multinacional brasileira de capital privado, o IBOPE é uma das maiores empresas de pesquisa de mercado da América Latina, fornecendo, há mais de 65 anos, um amplo conjunto de informações e estudos sobre os mais variados temas, como mídia, opinião pública, intenção de voto, consumo, marca, comportamento e mercado. O Grupo, que ocupa atualmente a 18ª posição entre as 25 maiores empresas de pesquisa do mundo (segundo o ranking Honomichl Top 25 Global Research Organization), é composto por duas grandes empresas, IBOPE Media e IBOPE Inteligência, além de possuir participação acionária importante na Millward Brown do Brasil. Em 2000, o IBOPE criou o Instituto Paulo Montenegro, organização sem fins lucrativos que atua de maneira focada e com prioridade definida no campo da educação. O Instituto desenvolve e dissemina projetos que têm como base o know-how em pesquisa das empresas do Grupo e a credibilidade conquistada ao longo do tempo.
*
*
*
PUBLICIDADE:
RESTAURAÇÃO E RETOQUE DE FOTOS!
www.kidbrinde.webnode.com.pt

Pedra fundamental do Pavilhão Krajcberg é lançada no Parque do Carmo


A pedra fundamental foi lançada no Parque do Carmo, no dia 9 de agosto, pelo prefeito Gilberto Kassab e reunirá espaços destinados à educação ambiental, à reflexão e à contemplação da natureza presente no parque, em homenagem o artista plástico Frans Krajcberg.

O Parque do Carmo terá em breve um espaço dedicado às obras e aos ideais de preservação ambiental do artista plástico Frans Krajcberg, polonês radicado no Brasil. O subprefeito de Itaquera, Laert de Lima Teixeira, acompanhou o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, na manhã do último domingo, dia 9, no lançamento da pedra fundamental do Pavilhão Krajcberg, que reunirá espaços destinados à educação ambiental, à reflexão e à contemplação da natureza presente no parque. Durante o evento, o artista homenageado ainda plantou uma muda de pau-brasil.

"É um marco para Itaquera e para o Parque do Carmo poder sediar um projeto tão grandioso e relevante para a cultura da cidade e do Brasil. Definitivamente é uma honra ter os trabalhos de um artista como Krajcberg aqui na nossa região", declarou o subprefeito Laert.

"Hoje vamos começar a realizar um sonho que temos desde o início da gestão: a construção do Pavilhão. A figura de Frans Krajcberg enriquece ainda mais o nosso objetivo de conscientização ambiental. Todos aqui poderão contemplar as obras do artista, que sempre buscou a mostrar a importância da preservação do meio ambiente", afirmou o prefeito durante a solenidade.

O projeto do Pavilhão Krajcberg prevê um edifício de 1.650 m² dedicado à educação ambiental. Sua construção, na frente de um lago, abre novas perspectivas para a contemplação do parque e das obras. O espaço abrigará pelo menos 30 esculturas de madeira do artista, pertencentes a seu acervo, intermediadas pelo Museu de Arte Moderna (MAM), que administra suas obras. Além disso, o projeto prevê a instalação de uma minibiblioteca e um espaço didático. O orçamento previsto é de R$ 5,5 milhões.

"A cultura não é distante da pauta ambiental e Krajcberg é a encarnação dessa idéia de que a arte pode ser uma alerta sobre a destruição da natureza. O Pavilhão não terá as características de um museu convencional, mas sim de um local de contemplação", completou o secretário municipal de Cultura, sobre o Pavilhão, que também tem apoio da Secretaria do Verde e Meio do Ambiente.

Projetado pelos arquitetos José Rollemberg Filho e Lara Melo Souza, da Secretaria Municipal de Cultura, o Pavilhão Krajcberg será dividido em dois blocos: um dedicado a abrigar exposições e outro, ao apoio. O primeiro será construído em uma estrutura metálica e possui um fechamento leve e transparente em brise (estrutura que possibilita a entrada de luz solar), pois a intenção é integrá-lo ao parque. Serão 550 m² de área com pé direito suficiente para abrigar obras que chegam a mais de 5 metros de altura no andar superior. Uma área será reservada para receber uma exposição de fotografias de Frans Krajcberg, registrando a destruição da natureza, e um espaço de sensibilização com cheiros e sons da mata.

No bloco de apoio - um volume circular mais fechado - ficarão equipamentos complementares da exposição, como biblioteca e sala de projeções, além de áreas de manutenção, setor administrativo e banheiros. A laje desse bloco servirá como um espaço de estar com uma espécie de mirante de observação do parque. O edifício será totalmente acessível a pessoas com mobilidade reduzida, com um elevador e sistema de rampas.

O Pavilhão Krajcberg contará ainda com ações educativas com ênfase na sensibilização ambiental, agregando ao projeto conceitos e dispositivos capazes de evidenciar a relação entre arte e meio ambiente. Serão organizados workshops e palestras que cumpram esse papel, construindo uma proposta de educação por meio da arte, expandindo a noção de aprendizado.

O artista

Nascido na cidade de Kozienice (Polônia), em 12 de abril de 1921, e naturalizado brasileiro, Frans Krajcberg é pintor, escultor, gravador e fotógrafo. O artista é uma referência por sua consciência ambiental, principalmente por sua relação com a Amazônia, num período que pouca gente se dedicava a explorar esse tema. Sua obra reflete a paisagem brasileira, em particular a floresta amazônica, e sua constante preocupação com a preservação do meio ambiente. Atualmente, o artista tem se dedicado à fotografia.

"O planeta está doente. Precisamos nos conscientizar para preservá-lo. Tudo o que faço é para fazer as pessoas acordarem para a situação", declarou Krajcberg durante o evento.
*
Com informações de Juliana Carlos/ SECOM Prefeitura SP
*
*
*
PUBLICIDADE:
RESTAURAÇÃO E RETOQUE DE FOTOS!
www.kidbrinde.webnode.com.pt

Curso de Ortodontia Preventiva ensina o dentista a evitar problemas de oclusão

Uma das frentes principais do Curso é orientar o cirurgião-dentista a intervir precocemente em fatores que podem acarretar distúrbios na oclusão e também nas alterações estomatognáticas em fase inicial

Mordida cruzada ou aberta, dentes projetados para a frente, língua mal posicionada. Muitas crianças e adolescentes já ouviram diagnósticos como esses. Chamados desvios de oclusão, ocorrem porque os dentes e maxilares estão mal posicionados. Em vários casos, levam ao uso de aparelhos móveis ou fixos. “A maioria dos problemas bucais que se manifestam tardiamente teve início no berço. O primeiro grande surto de crescimento da maxila, por exemplo, ocorre do primeiro ao quarto ano de vida. Esta é a melhor fase para intervir”, informa o Prof. Dr. Jorge Abrão, coordenador do curso de Especialização e Extensão em Ortodontia do CETAO.

Na verdade, a prevenção de maloclusões deve começar antes mesmo que os dentes nasçam, para que as bases ósseas que os receberão fiquem bem posicionadas, favorecendo uma dentição equilibrada. A importância dada à prevenção precoce de problemas bucais é cada vez maior, pois o estabelecimento e a manutenção da oclusão normal constituem-se em objetivos importantes quando se acompanha o desenvolvimento da dentição infantil. “Uma das formas de garantir um sorriso harmonioso é a amamentação. O aleitamento natural é a melhor opção para favorecer o exercício da sucção do bebê, muito importante para o desenvolvimento muscular e ósseo do rosto. O aleitamento ajuda a projetar para a frente o queixo do bebê, que, em geral, nasce posicionado mais para trás. Ao mamar no peito, a criança também aprende a respirar pelo nariz e a posicionar a língua”, diz o Prof. Dr. Jorge Abrão.

Os danos que chupar dedo e chupeta provocam ao desenvolvimento muscular e ósseo são bastante propagados e os dentistas sempre os reforçam: esses hábitos podem causar problemas como dentes superiores projetados para a frente e interposição da língua no meio dos dentes. “As maloclusões são essencialmente decorrentes de hábitos nocivos desenvolvidos na infância, dentre os quais destacam-se a succção da chupeta e do polegar. Os efeitos destes hábitos sobre o desenvolvimento da maxila e da mandíbula e sobre os arcos dentais dependem do desenvolvimento osteogênico da criança, da duração, da freqüência e da intensidade com os quais eles são praticados”, explica o Prof. Jorge Abrão, que também é Prof. Livre-Docente do Departamento de Ortodontia e Odontopediatria da Fousp.

Uma das frentes principais do Curso de Ortodontia Preventiva do CETAO é orientar o cirurgião-dentista a intervir precocemente em fatores que podem acarretar distúrbios na oclusão e também nas alterações estomatognáticas em fase inicial. “Atuar preventivamente conscientizando pais e responsáveis acerca da importância das crianças não desenvolverem hábitos de sucção inadequados contribui muito com a redução da ocorrência de desvios na oclusão de crianças de tenra idade. Neste sentido, as creches/escolas constituem-se em espaços privilegiados para tal atuação, visto que na grande maioria delas, a criança permanece em tempo integral”.
*
Informações sobre o curso
Para obter mais informações sobre o Curso de Ortodontia Preventiva do CETAO é só ligar para (11) 5051 2370/ 5051 6209, ou escrever para cetao@cetao.com.br. O conteúdo programático completo dos cursos está disponível no site do Cetao: http://www.cetao.com.br/areas.asp?id=7&idc=48

SERVIÇO:
O CETAO é uma Instituição de Ensino Superior, reconhecida pelo Ministério da Educação, que promove cursos de extensão e especialização em Odontologia. Fundada há 11 anos, está presente em 07 países, ministrando cursos para dentistas no Brasil e no exterior.
Avenida Indianópolis, 153, Moema. São Paulo.
Tel: (11) 5051 2370/ 5051 6209.
http://www.cetao.com.br/
cetao@cetao.com.br
http://dentistarecemformado.blogspot.com/
*
*
*
*
Publicidade:

“Dia D” para candidatos à magistratura paulista

Preparação para o exame do Tribunal de Justiça de São Paulo será presencial

No próximo sábado, das 8 às 20h, a Rede de Ensino LFG promoverá o “Dia D da Magistratura”, tradicional evento que a instituição organiza um ou dois dias antes do exame realizado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo para admissão à carreira de juiz.

O “Dia D” acontecerá na Sala das Américas do Hotel Renaissance, onde candidatos inscritos para o exame receberão apoio, orientações e informações dos professores da Rede de Ensino LFG nas disciplinas de Direito Civil, Direito Processual Civil, Direito Penal Geral, Direito Penal Especial, Direito Processual Penal, Legislação Penal Especial, Direito Administrativo, Direito Constitucional, estatuto da Criança e do Adolescente, Direito do Consumidor, Direito Tributário e Direito Comercial.

As vagas para o “Dia D da Magistratura” são limitadas e as inscrições podem ser feitas até 6ª feira (14/8) na unidade Paulista da Rede de Ensino LFG (Rua Bela Cintra, 1.157, Consolação, São Paulo-SP) ou pelo telefone (11) 2121-4800. Outras informações no site www.lfg.com.br.

A primeira etapa do exame deste concurso de provas e títulos para ingresso na magistratura do Estado de São Paulo, o 182º, será no domingo (16/8) para preenchimento de 150 vagas, disputadas por 11.446 inscritos.

Conheça a Rede de Ensino LFGPrimeira no Brasil e na América Latina a implantar cursos preparatórios telepresenciais, a Rede de Ensino LFG oferece mais de 30 opções para carreiras jurídicas, fiscais e exame da OAB, além de pós-graduação, disponíveis em mais de 320 unidades em todo o país.
A Rede LFG se consolidou como a escola que acumula os melhores índices de aproveitamento e aprovação nos exames da Ordem em São Paulo.
*
*
*
Publicidade:
BRINDES ESCOLARES PARA FESTAS INFANTIS
Imas de geladeira, calendários, diplominhas
Acesse: www.kidbrinde.webnode.com.pt