Nossos Vídeos

domingo, 5 de julho de 2009

CDHU já regularizou cerca de 30 mil imóveis no Estado

O secretário Lair Krähenbühl discursa durante o evento "Jornadas Institucionais" realizada no Secovi, em São Paulo (foto JMPereira)

Regularização fundiária é prioridade da atual gestão; outros 65 mil imóveis estão em processo de aprovação e averbação
O secretário de Estado da Habitação e presidente da CDHU, Lair Krähenbühl, divulgou que a Companhia já regularizou cerca de 30 mil imóveis em todo o Estado. Atualmente, mais 65 mil moradias estão em processo de averbação. A regularização fundiária é uma das prioridades da atual gestão da CDHU. O assunto foi abordado durante a abertura da segunda edição do evento das "Jornadas Institucionais", promovido pela Associação dos Notários e Registradores do Estado de São Paulo (Anoreg-SP) que aconteceu nos dias 2 e 3 de julho, na sede do Secovi-SP, o Sindicato da Habitação, na Capital.
Segundo o secretário Lair Krähenbühl, o Governo do Estado prioriza a regularização fundiária não apenas de imóveis da CDHU. Para isso, criou o Programa "Cidade Legal", que presta apoio técnico para que as prefeituras possam promover a legalização de núcleos habitacionais, e reduziu o valor do primeiro registro em até 90% para habitações de interesse social por meio da "Lei de Emolumentos", aprovada pela Assembléia Legislativa. "Essas medidas são reflexo do olhar diferenciado do atual governo para a questão da regularização fundiária", afirmou o secretário.
Por meio do Programa "Cidade Legal", a Secretaria de Estado da Habitação indica às prefeituras quais são os trâmites necessários e como solucionar entraves burocráticos para regularizar imóveis e loteamentos, públicos ou privados, de maneira rápida e eficaz. "Mais de 200 municípios em todo o Estado já aderiram ao programa. Isso representa cerca de 1,2 milhão de habitações em processo de regularização, sendo que 200 mil estão situadas na Região Metropolitana de São Paulo, onde a situação é mais crítica", disse Lair Krähenbühl.
Sobre a "Lei de Emolumentos", o secretário destacou que foi uma grande conquista alcançada após diversas reuniões com entidades representativas de notários e registradores. A "Lei de Emolumentos" garante descontos especiais para moradias populares, o que reduz os gastos para menos de R$ 200 no primeiro registro. Antes, as custas da escritura e do registro chegavam a R$ 2 mil. "Graças à sensibilidade da classe cartorária e o entendimento da Assembleia Legislativa, conseguimos tornar viável essa lei. O proprietário do imóvel é beneficiado diretamente quando tem garantido o termo de posse", explicou o secretário.
Para orientar a população e os registradores sobre como aplicar a "Lei de Emolumentos", a Secretaria da Habitação elaborou uma cartilha, que explica detalhadamente o processo de registro com o desconto. "São mais de 1,5 milhão de exemplares que serão entregues em todos os cartórios do Estado para garantir que o benefício seja validado", afirmou o secretário.
O evento "Jornadas Institucionais" reúne profissionais da atividade registral e cartorária e têm como objetivo de reunir esforços, discutir melhorias e aperfeiçoar a atuação da categoria para melhor atender à população. Na solenidade de abertura estiveram presentes o secretário municipal de Negócios Jurídicos de São Paulo e ex-governador, Cláudio Lembo, a presidente da Anoreg-SP, Patrícia André de Camargo Ferraz, o presidente da Anoreg-BR, Rogério Portugal Bacellar, entre outras autoridades.
*
*
*
*
*
Publicidade:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.

google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0