Nossos Vídeos

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

3º CICLO DE CINEMA E REFLEXÃO APRENDER A VIVER, APRENDER A MORRER

16 a 18 de setembro de 2010

Cinemateca Brasileira

Largo Senador Raul Cardoso, 207 - Vila Clementino - São Paulo



PRÊMIO AVERROES 2010 – PIONEIRO E COMPARTILHADOR

Entrega do Troféu Averroes e Concerto de Homenagens

ao Prof. Dr. Luiz Hildebrando Pereira da Silva e ao Instituto Cervantes de São Paulo

19 de setembro, domingo, 19h

Salão de Atos do Memorial da América Latina

Av. Auro de Moura Andrade, 664 – Barra Funda – São Paulo



A necessária intersecção das ciências com as artes, tão enaltecida pelos filósofos, concretiza-se pelo terceiro ano consecutivo através das atividades científicas, técnicas e culturais da edição 2010 do Ciclo de Cinema e Reflexão Aprender a Viver, Aprender a Morrer, promovido pela parceria entre Hospital Premier, Cinemateca Brasileira e OBORÉ. O evento retoma a experiência bem sucedida do 1º e do 2º Ciclos, em 2008 e 2009, e dos encontros mensais de cinema e reflexão - Sessão Averroes - que já atraíram para a Cinemateca um público de cerca de três mil pessoas vinculadas a mais de 150 diferentes instituições. Destina-se, sobretudo, a profissionais e estudantes da área de medicina e saúde, comunicação e humanidades, e a todos os interessados em refletir, examinar e debater a condição humana, a vida e sua terminalidade.



PROMOÇÃO e REALIZAÇÃO

Hospital Premier, Cinemateca Brasileira e OBORÉ



APOIO

Faculdade de Medicina de Itajubá, Instituto Paliar e Academia Nacional de Cuidados Paliativos



INFORMAÇÕES E PROGRAMAÇÃO COMPLETA

www.obore.com

www.spinternacoes.com.br

www.cinemateca.gov.br







3º CICLO DE CINEMA E REFLEXÃO APRENDER A VIVER, APRENDER A MORRER



QUINTA-FEIRA, 16 DE SETEMBRO

Cinemateca Brasileira - Sala Petrobrás



9h às 12h30

MESA TEMÁTICA: GERIATRIA E GERONTOLOGIA

Coordenador: David Braga Jr. (HSPE-SP / Hospital Premier)



A Politica Nacional de Saúde da Pessoa Idosa: Estado da Arte e Desafios
DAVID BRAGA JUNIOR, Médico especializado em Clínica Médica pela FMRP/USP. Administrador Público especialista em Planejamento Estratégico para Ações de Governo pela Unicamp. Consultor da OPAS, Fiocruz e Ministério da Saúde. Médico concursado do Hospital do Servidor Público Estadual de SP. Ex Secretário de Saúde e Diretor de Planejamento e Gestão dos Municípios de Campinas e Indaiatuba (SP). Coordenador do Centro de Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento Profissional do Grupo MAIS.



Rastreamento de Demandas da População Idosa: relato de experiência envolvendo um convênio na Cidade de São Paulo
PEDRO JOSÉ VILAÇA, Médico epidemiologista e infectologista. Mestre em Saúde Pública pela USP. Consultor do Ministério da Saúde na área de Gestão de Riscos à Saúde. Coordenador da ProAtiva Promoção da Saúde – Grupo MAIS.



Atenção à Terminalidade da Vida em Ambiente Hospitalar: necessidades e perspectivas

RICARDO TAVARES DE CARVALHO, Médico cardiologista especialista em Bioética e Doutor em Medicina pela USP. Presidente da Comissão de Cuidados Paliativos do HC-FMUSP. Diretor da Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP) e Diretor Técnico do Hospital Premier.



Construindo um Hospital Amigo do Idoso: Relato de Experiência

PAULO ROGÉRIO AFFONSO ANTONIO, Médico Sanitarista formado pela Santa Casa de São Paulo. Especialização em Administração Hospitalar e Serviços de Saúde – FGV. Gerente de Risco Sanitário do Hospital do Servidor Publico Estadual - Projeto Sentinela – ANVISA. Diretor do Serviço de Arquivo Médico e Estatística do Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE). Membro da Coordenação de Epidemiologia e Informação - CEINFO da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo. Membro do Grupo Mais.



SESSÃO DE CINEMA



14h - Fome de Viver, de Tony Scott. (EUA, Inglaterra, 1983). 96’.

Em uma sensual e sofisticada interpretação do mito contemporâneo do vampiro, colecionadora de obras renascentistas vive em um elegante bairro de Manhattan. Abençoada com beleza eterna e amaldiçoada com uma voracidade insaciável, ela e seu marido, também imortal, são inseparáveis. Até que ele começa inesperadamente a envelhecer e procura a ajuda de uma cientista especializada em pesquisas sobre o envelhecimento.



16h - O Caso Alzheimer, de Erik Van Looy. (EUA, 2005) 120 minutos.

Dois detetives da polícia da Antuérpia se confrontam com o desaparecimento de um oficial de alto escalão e a morte de duas prostitutas. Todas as pistas os levam a Angelo Ledda, um assassino que sofre do mal de Alzheimer.



SESSÃO AVERROES CINEMA E REFLEXÃO



19h - Com o passar do tempo. Documentário da BBC (Londres, 1998). 50’.

Imagens inéditas de macro e microscopia eletrônica recheiam esse documentário produzido pela BBC e apresentado pelo médico inglês Lord Robert Winston. O 6º episódio da série trata o envelhecimento como uma etapa bem mais complexa e fascinante do que apenas um declínio.



20h – Mesa de Reflexão

Mediadora: ANGÉLICA YAMAGUCHI, Médica especialista em Geriatria e Gerontologia, assistente do Núcleo de Assistência Domiciliar Interdisplinar (NADI) e membro do Núcleo de Apoio à Pesquisa na disciplina de Geriatria e Gerontologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP).



ANDRÉA VIUDE, Fonoaudióloga formada pela Faculdade de Medicina da USP, com Mestrado e Doutorado em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da USP. Atualmente, é professora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (USP Leste), atuando junto a temas como gerontologia, comunicação humana e bioética.



MARCEL HIRATSUKA, Médico Assistente do Serviço de Geriatria do Hospital das Clínicas da FMUSP e coordenador do Projeto CEDPES - Centro de Desenvolvimento para a Promoção do Envelhecimento Saudável.





ABERTURA SOLENE DO III CICLO DE CINEMA E REFLEXÃO

LANÇAMENTO EDITORIAL “Prata da Casa 3“

21h



Coordenador: KLEBER LINCOLN GOMES, Médico psiquiatra e psicoterapeuta formado pela UFMG, Professor titular de Psiquiatria da Faculdade de Medicina de Itajubá (MG) e membro da curadoria da Sessão Averroes.

SEXTA-FEIRA, 17 DE SETEMBRO

Cinemateca Brasileira - Sala Petrobrás



9h às 12h30

MESA TEMÁTICA: ATENDIMENTO DOMICILIAR

Coordenador: Celso Scazufka Ribeiro (HC - FMUSP / Master Nursing)



CELSO SCAZUFKA RIBEIRO, Médico formado pela FMUSP em 1985. Ocupou os cargos de Diretor do Pronto-Socorro Central do HCFMUSP e Chefe de Gabinete da Secretaria Municipal da Saúde de SP. Coordenador do Programa de Assistência Domiciliar do Hospital Universitário da USP e, atualmente, do Ambulatório da Clínica Médica Geral da FMUSP. Diretor Médico da Master Nursing.



LUIZA DAL BEM, presidente da Dal Bem Home Care, formada em enfermagem em 1977 pela USP, com mestrado em “Saúde do Adulto Institucionalizado” e Doutorado em “Dimensionamento do Pessoal de Enfermagem em Assistência Domiciliar”. Fundou a Dal Ben em 1992, tornando a empresa uma das mais reconhecidas na área de Home Care no Brasil.



CHRISTINA APARECIDA RIBEIRO, Gerente Médica do Serviço de Assistência Domiciliar do Hospital Israelita Albert Einstein. Presidente do Simpósio Brasileiro de Assistência Domiciliar – Sibrad. Mestre e Doutora em Gestão de Serviços de Saúde pela Faculdade de Saúde Pública da USP e MBA em Gestão Executiva de Serviços de Saúde pelo IBMEC/Insper São Paulo.



SESSÃO DE CINEMA



14h - As filhas de Marvin, de Jerry Zaks. (EUA, 1996) 98’.

Filha que cuidou do pai inválido e de tia senil durante quase vinte anos descobre que está com leucemia e que sua única chance de sobrevivência é o transplante de medula óssea de algum parente de sangue. Um drama forte e sensível sobre relações familiares, envelhecimento, doença, solidariedade, diálogo e aceitação da vida e da morte.



16h - Balada de Narayama, de Shohei Imamura. (Japão, 1983). 130’.
No fim do século XIX, em meio à miséria, guerras e emigração, em algumas regiões do Japão instituí-se uma tradição amarga: ao completar 70 anos, os moradores dos humildes vilarejos deveriam subir ao topo da montanha local e esperar pela hora da própria morte.



SESSÃO AVERROES CINEMA E REFLEXÃO



19h - Uma Prova de Amor, de Nick Cassavetes. (EUA, 2009). 109’.

Filha caçula de 13 anos, concebida em proveta para que sua medula óssea prorrogasse os anos de vida da irmã, quer decidir sozinha o que fazer com o próprio corpo e passa a lutar por isso na Justiça - uma atitude que abalará a família.



21h – Mesa de Reflexão



Mediadora: DALVA MATSUMOTO, Médica oncologista. Diretora clínica do Hospital Premier. Coordenadora da seção de assistência domiciliária e da hospedaria de cuidados paliativos do Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo. Diretora do Instituto Paliar. Diretora da Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP - 2009/2010).



JOSÉ HENRIQUE RODRIGUES TORRES, Juiz da 1ª Vara do Júri da Co­marca de Campinas., prof. de Direito Penal da PUCCamp, mem­bro do Conselho Diretivo da Associação Juízes para a Democracia e da Fed. de Associações de Juízes para a Democracia da América Latina e Caribe.



MARIANGELA PETROSINO, Formada em Biologia pela Universidade Mackenzie. Pós-graduada em Bioética pela Universidade Federal de Lavras (MG) com projeto desenvolvido na relação entre Cuidados Paliativos e a Bioética. Pós-graduada em Bioética na área da saúde pelo Instituto Oscar Freire da Faculdade de Medicina da USP, com projeto Responsabilidade Social, Bioética e Saúde. Atualmente, participa do curso de Humanização na Saúde na Faculdade de Saúde Pública da USP e integra o Grupo de Cuidados Paliativos do GRAACC - Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer - de São Paulo.





SÁBADO, 18 DE SETEMBRO

Cinemateca Brasileira - Sala Petrobrás



10h às 12h30

MESA TEMÁTICA: CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Coordenador: José Luiz Del Roio (Senador da República Italiana, membro do Conselho Internacional do Fórum Social Mundial e idealizador do Troféu Averroes)



HILDEBRANDO PEREIRA DA SILVA, Médico, Pesquisador e Professor universitário. Professor Emérito da Universidade Federal de Rondônia e da Universidade de São Paulo. Especialista em Parasitologia, dirige atualmente o Instituto de Pesquisa em Patologias Tropicais de Rondônia, onde desenvolve pesquisas em Imunologia e Epidemiologia da Malária.



SESSÃO AVERROES CINEMA E REFLEXÃO



19h - A História de Louis Pasteur, de William Dieterle. (EUA, 1935). 87’.

Em 1860, o cientista e químico Louis Pasteur investiga um grave problema que alarmava a França: a morte de mulheres durante o parto e de crianças por infecção. Nos seus estudos sobre os germes, recomenda a esterilização dos materiais médicos e o máximo de higiene por parte dos doutores. Anos depois, rebanhos inteiros estavam morrendo pelo ataque do vírus Anthrax por quase todo o país, exceto na pequena cidade de Arbois, onde Pasteur vacinava as ovelhas. Mais tarde, a atenção do cientista se volta para a hidrofobia.





21h – Mesa de Reflexão



Mediador: JOSÉ LUIZ DEL ROIO, Senador pela República Italiana e escritor ítalo-brasileiro, fundador do Archivio Storico del Movimento Operario Brasiliano (ASMOB), de propriedade do Instituto Astrojildo Pereira e sob guarda do Centro de Documen­tação e Memória da Universidade Estadual Paulista - CEDEM/UNESP. Membro do conselho internacional do Fórum Social Mundial, ativista do Fórum Mundial das Alternativas e idealizador do Troféu Averroes.



GUIOMAR LOPES, Professora e pesquisadora da UNIFESP . Tem experiência na área de Farmacologia, com ênfase em Farmacologia molecular, atuando principalmente com temas de envelhecimento, apoptose, sinalização de cálcio, resistência à insulina, e proteção celular em humanos e em modelo experimental.



SORAYA SMAILI, Professora livre-docente da UNIFESP. Graduada pela USP, com mestrado, doutorado e livre-docência em Farmacologia e pós-doutorado na Thomas Jefferson University e no National Institutes of Health (NIH),EUA. Foi presidente da associação dos docentes da UNIFESP (2001-2003) e secretária regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (2002-2006). Atualmente é coordenadora do laboratório de sinalização e morte celular, do laboratório CONFOCAL e do programa de pós- graduação na área de Farmacologia da UNIFESP. É diretora cultural e científica do ICArabe – Instituto da Cultura Árabe.



ESPER GEORGES KALLÁS, Professor de Imunologia Clínica e Alergia da FMUSP. Investigador Principal da unidade de pesquisa clínica que realiza estudos de novas drogas e vacinas terapêuticas e preventivas , financiada pelo National Institutes of Health (NIH), em parceria com o Centro de Referência e Treinamento em DST-Aids, da Secretaria de Estado da Saúde de SP.





PRÊMIO AVERROES 2010 – PIONEIRO E COMPARTILHADOR

Entrega do Troféu Averroes e Concerto de Homenagens

ao Prof. Dr. Luiz Hildebrando Pereira da Silva e ao Instituto Cervantes de São Paulo





DOMINGO, 19 DE SETEMBRO , 19H

SALÃO DE ATOS DO MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA



Com Coro Luther King

Regência: Mº Martinho Lutero Galati

Curadoria: José Luiz Del Roio

Criação do Troféu: Jaime Prades







ENTIDADES E INSTITUIÇÕES ASSOCIADAS ÀS HOMENAGENS

Academia Brasileira de Ciências - ABC • Academia Nacional de Cuidados Paliativos - ANCP • Associação dos Médicos do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP • Centro Brasileiro de Estudos de Saúde – CEBES • Centro de Estudos da Mídia Independente Barão de Itararé • Cinemateca Brasileira / Ministério da Cultura •Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo – EPM-Unifesp •Faculdade de Medicina de Itajubá (MG) • Fundação Butantan • Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz/Ministério da Saúde • Fundação Zerbini • Hospital Premier • Instituto Butantan • Instituto Cervantes • Instituto de Ciências Biomédicas da USP • Instituto de Cultura Árabe – ICÁrabe • Instituto de Estudos Avançados – IEA/USP • Instituto de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de SP • Instituto Paliar • Instituto Vladimir Herzog • Memorial da América Latina • Ministério da Saúde • OBORÉ • Proativa Saúde • Rede Cultural Luther King • São Paulo Internações Domiciliares • Sociedade Brasileira de Vigilância de Medicamentos – Sobravime •Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência – SBPC • TV USP /Canal Universitário de São Paulo •



LUIZ HILDEBRANDO PEREIRA DA SILVA

Cientista, pesquisador e professor universitário. Formado pela Faculdade de Medicina da USP em 1953. Trabalhou de 1954 a 1956 na Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Paraiba como assistente de Samuel Pessoa. Em 1956, foi nomeado assistente de Parasitologia da Faculdade de Medicina da USP onde trabalhou até 1964, tendo obtido a Livre Docência em 1961. Demitido pelo Ato Institucional n.1, de 1964, foi nomeado Chargé de Recherches no French National Center for Scientific Research - CNRS (França) e voltou a trabalhar no Instituto Pasteur de Paris na Unidade de Genetique Microbienne de François Jacob. Voltou ao Brasil em 1968 e foi nomeado Professor de Genética na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP) sendo, entretanto, demitido novamente pelo Ato Institucional nº 5, em abril de 1969. Volta à França e ao Instituto Pasteur, onde trabalhou até sua aposentadoria, em 1996. Foi sucessivamente Maitre de Recherches e Directeur de Recherches do CNRS, Professor do Instituto Pasteur, diretor da Unidade de Diferenciação Celular, Diretor da Unidade de Parasitologia Experimental, chefe dos Departamentos de Biologia Molecular e de Imunologia, além de Visiting Professor de Genética na Universidade de Harvard. Regressou ao Brasil em 1997. Atualmente, dirige o Instituto de Pesquisa em Patologias Tropicais de Rondônia, onde desenvolve pesquisas em Imunologia e Epidemiologia da malária. Foi eleito Professor Emérito da Universidade Federal de Rondônia e da Universidade de São Paulo. Formou, nos últimos anos, pela Universidade Federal de Rondônia, 6 doutores e 15 mestres nestas disciplinas.



AVERROES, UM HOMEM DO NOSSO TEMPO
por Jose Luiz Del Roio, curador do Prêmio Averroes



Estranho personagem este islâmico ibérico chamado de Abûl – Walîd Muhammad Ibn Rushd, conhecido pelos judeus como Ben Rushd e pelo ocidentais como Averroes. O seu destino desenrolou-se em Al-Andalus (1126-1198), entre Sevilha, Cordoba e Marrakech. Importante lembrar que Al-Andalus do século XII representou, naquele momento, o ponto mais alto da cultura e da tolerância no ocidente. Averroes foi o filho mais representativo dos aspectos positivos da época. Ele viveu o apogeu e declínio desta cultura e pagou o tributo deste declive. Dirigente político e religioso, Averroes atuou como jurista, médico e filósofo. Curioso e estudioso sem fronteiras, tentou entender os fenômenos naturais e conhecer os espaços do planeta e do firmamento. Seu trabalho maior foi redescobrir e divulgar o pensamento filosófico dos antigos gregos, principalmente Aristóteles. Admirado e ao mesmo tempo colocado no ostracismo no mundo islâmico, Averroes influenciou profundamente o judaismo, mas poucos o reconheceram tal fato. Teve inúmeros seguidores através dos séculos no ocidente cristão, mas a maioria deles chegaram a conclusões diversas - quando não opostas - sobre o seu pensamento. Mesmo abstraindo-se da complexidade de suas obras e de seu pensamento, a figura de Averroes representou o viver com ética, a sede do saber, a razão como método científico, a tolerância com outras culturas e a bondade em relação ao ser humano. Nove séculos depois de sua morte física, seu nome recusa o esquecimento e renasce mais uma vez, já que a base de suas indagações filosóficas e políticas ainda permanecem atuais. E é isso que faz de Averroes um contemporâneo, um homem do nosso tempo.











TROFÉU AVERROES

por Jaime Prades, artista plástico



Inspirado nos padrões florais em relevo das paredes da mesquita do Alhambra de Córdoba, criei os meus grafismos florais. Dessa forma, evitei apenas transportar e copiar os elementos da mesquita. Reinterpretando-os, dei modernidade a eles e originalidade à peça. A mesquita de Córdoba é o maior feito da cultura árabe na Espanha e símbolo do seu mais evoluído período. É o legado que algumas gerações, incluindo a de Averroes, deixaram para a humanidade. A peça inclui todas as maneiras de nomear Averroes. Seu nome no alfabeto latino, em árabe e como ficou mais conhecido. Oriente e ocidente juntos simbolicamente na expressão da letra - que é a manifestação do intelecto em linguagem. Averroes é a ponte por onde transita a tradição Grega, que traz em si as tradições egípcias e orientais. O arco entre as duas partes é a presença da cultura árabe simbolizada pela curva. O desenho do arco foi copiado do arco interno de sustentação das colunas da mesquita. A oxidação da peça é mais do que um mero recurso estético. Ela evita o brilho fácil e nos leva a procurar o valor além da matéria. A dramaticidade do material evoca o tempo e a fragilidade da condição humana.



CORO LUTHER KING / REDE CULTURAL LUTHER KING

Fundada em novembro de 1970 por Martinho Lutero Galati, a Rede Cultural Luther King reúne pessoas de diferentes classes sociais, cores e credos, com o objetivo de expressar a música coral no seu sentido mais abrangente: cantando a cultura brasileira e dos povos que contribuíram para sua formação, convencida que a prática coral colabora para um maior desenvolvimento social dentro dos conceitos de paz, liberdade e igualdade. O Coro Luther King colabora ativamente para a construção do canto coral no Brasil, realizando música do passado e do presente, promovendo a difusão da literatura coral brasileira e internacional e a reflexão e o crescimento de seus integrantes. Muitos já passaram pelo King, dedicando-se hoje ao estudo e à performance musical: Celine Imbert, Fabiana Cozza, Lutero Rodrigues, Regina Lucatto, Fábio Prado, José Palomares, Teco Galati, José Ferraz, Luis Marchetti, Elisa Zein. A Rede é formada por cerca de 100 cantores que integram os grupos: Coro Luther King, A Fábrica do Som - Escola de Formação de Cantores, e Officina Barocca – todos dirigidos por uma equipe de regentes, assistentes, chefes de naipe e professores de canto. Em 2007, com ousadia e ineditismo, é o primeiro Coro a organizar uma Temporada anual de Concertos com assinaturas , na cidade de São Paulo, da qual participam parceiros importantes como Inezita Barroso, Guinga, Ivan Vilela, Léa Freire, Marilia Medalha, Guello, Tito Martino e Fabiana Cozza. Em Dezembro de 2007 e Janeiro de 2008, apresenta-se nas principais salas de concerto de Milão e também na Sardenha, em Gênova e Veneza. Em 2008, canta Madama Butterfly, sob a direção de Carlos Moreno, com a OSUSP, na Sala São Paulo. Realiza importante trabalho no fomento à pesquisa, divulgação literatura coral mundial com projetos de intercâmbio cultural, musical e humano, em diversos países como Moçambique, Senegal, Burkina Faso, Camarões, Benin, Congo, Kenya, Tunísia, Cuba, Argentina, Chile, Venezuela, México, Alemanha, França, Portugal e Itália. Em agosto de 2010, recebe a Salva de Prata da Câmara dos Vereadores da Cidade de São Paulo pelos seus 40 anos de intensas atividades na área do canto coral.



MARTINHO LUTERO GALATI

Regente de orquestra e coro nascido em Minas Gerais e radicado em Milão, Itália. Após concluir os estudos em Buenos Aires (Argentina), frequentou a Faculdade de História da USP. Entre 1980 e 1988, completa sua especialização na Europa, estudando na Hungria e na Itália. Foi aluno de vários maestros e absorveu de cada um deles uma parte importante de sua formação. São eles: Jonas Christensen, Pablo Sosa, H.J.Koelheutter, Peter Erdei e Franco Ferrara. Uma importante etapa da sua formação foi o longo período de estudos sob a orientação do compositor italiano Luigi Nono. Em 1970, funda o Coro Luther King em São Paulo, e do qual é até hoje Diretor Artístico. De 1978 a 1984 vive na África trabalhando em pesquisa sobre a música tradicional a serviço da Unesco. Funda e dirige em Moçambique a Escola Nacional de Música, onde leciona regência e composição. Em 1987, funda a Rede Cultural Cantosospeso em Milão, sendo seu atual Diretor Artístico. Em 1988 recebe o premio André Segovia de regência em Santiago de Compostela (Espanha). Em 2002 recebe o título de Cidadão Benemérito da Cidade de Milão na Itália, título antes conferido somente a Carlos Gomes. E’ professor do Instituto de Musicologia de Milão, regente da “Piccola Sinfonica di Milano” e alterna a atividade de regente e compositor junto a importantes teatros da Itália, Alemanha e Suíça. Em agosto deste ano, foi agraciado com o título de Cidadão Paulistano em reconhecimento à contribuição artística e cultural à cidade de São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.

google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0