Nossos Vídeos

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Feijoada em prol da Associação dos Portadores da Síndrome de Rubinstein-Taybi

arts (cor)


Feijoada com solidariedade no Bar Brahma

Um dos mais famosos bares da terra da garoa, o legendário Bar Brahma, mais uma vez dá uma mãozinha para a Associação dos Portadores da Síndrome de Rubinstein-Taybi no Brasil (ARTS). No sábado  (18 de setembro), o Bar Brahma abrirá as portas do Brahminha para os amigos e familiares dos portadores da RTS para realização da IV feijoARTS, feijoada beneficente e com samba de primeira qualidade da Escola de Samba Pérola Negra, a partir das 13 horas. O objetivo é divulgar a RTS e as atividades da ARTS, alem de arrecadar fundos para a continuidade deste trabalho. A feijoada custa R$ 50,00 e as reservas podem ser feitas pelo e-mail arts@artsbrasil.org.br.

O objetivo da criação da ARTS foi o de disponibilizar informações básicas sobre a síndrome, bem como orientar pais e familiares sobre como cuidar, tratar e educar o portador. “É importante os pais saberem, por exemplo, que as crianças entendem mais do que podem se expressar, sentindo-se frustradas quando não são compreendidas”, destaca o coordenador da comissão científica da Associação, Wagner Alves, lembrando que a ARTS começou em 1999 com 6 crianças e hoje já passam de 100 no Brasil.

O polegar é a marca da ARTS
A síndrome foi descrita primeiramente em um relatório de caso em 1957, mas somente em 1963 que os doutores, Jack H. Rubinstein e Hooshang Taybi, dos EUA, descreveram o quadro de sete crianças com polegares e hálux (dedão do pé) largos e grandes, anomalias faciais e deficiência intelectual, denominada Síndrome - Broad Thumb-Hálux. Depois os nomes dos pesquisadores foram incorporados ao nome da síndrome.

Para criar a marca da associação, o cartunista Paulo Caruso usou a imagem do dedo polegar largo e grande, que é uma das características da síndrome, em formato da vogal “A”. A associação possui uma vasta literatura sobre a RTS, que poderá ser consultada pela comunidade médica, familiares e estudiosos da síndrome.

Wagner Alves, coordenador da comissão científica da Associação
(11) 3819-2536

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.

google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0