Nossos Vídeos

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Cresce a demanda por cirurgias artroscópicas no país

O aumento da procura pode ser associado ao acesso da população aos consultórios médicos e também à informação

Referência no país em tratamentos ortopédicos, o Instituto Affonso Ferreira de Campinas orgulha-se de ter como um dos marcos mais importantes de sua história o fato de ter sido pioneiro ao trazer para o Brasil, no final da década de 80, o procedimento de artroscopia. A técnica, até hoje considerada inovadora, inicialmente era feita somente no joelho e, posteriormente, no ombro, quadril, punho e cotovelos. “O procedimento, que alia à necessidade de curar a lesão do paciente e devolvê-lo ao mercado de trabalho o mais breve possível, reflete na procura cada vez maior por informações e realização da cirurgia”, garante o ortopedista Marcelo Wiltemburg Alves, especialista em cirurgias artroscópicas e um dos profissionais mais bem conceituados do país. De acordo com o especialista, somente no primeiro semestre deste ano, foram realizadas mais de 150 cirurgias artroscópicas, um aumento de 30% em relação ao mesmo período do ano passado.

Com mais de 1000 cirurgias artroscópicas em ombro, joelho e quadril já realizadas, Marcelo explica que o aumento da demanda diz respeito à inovação da técnica – que é bem menos invasiva, garante precisão e recuperação rápida – e também a popularização do procedimento, já que esse tipo de cirurgia é coberta pelos planos de saúde. Mesmo assim, o especialista alerta que é imprescindível que o paciente conheça e busque referências sobre o médico que pretende realizar o procedimento.

“Apesar de simples, a técnica exige um grande aprendizado. A cirurgia consiste na introdução de uma micro-câmera na articulação e as imagens, obtidas por meio de um monitor, permitem que seja verificada a presença ou não de tecidos lesionados. Quando o paciente é submetido a procedimento convencional, ou seja, cirurgia aberta, os tecidos normais são afetados, o que não ocorre na artroscopia”, explica Witemburg.

O ortopedista chama a atenção para a realização desse tipo de cirurgia na região do quadril. Segundo Marcelo, o tratamento de patologias do joelho e demais regiões por vias artroscópicas pode até ser familiar para muitos médicos. Entretanto, o uso do artroscópio para examinar e tratar certas doenças do quadril é um novo conceito para os profissionais da área de saúde. “Nossa experiência com artroscopia tem sido muito gratificante, tanto para nós (médicos) como para os pacientes. Porém, é importante ressaltar que a artroscopia do quadril é um procedimento muito trabalhoso, tecnicamente complexo, o que exige muita paciência e experiência”.

Por meio da artroscopia, é possível conseguir os mesmos resultados das cirurgias convencionais, como tratar o impacto fêmuro-acetabular, reconstruir ligamentos e lesões meniscais nos joelhos e costurar tendões ou ligamentos rompidos no ombro, sem a inconveniência de grandes cortes e internação do paciente. No procedimento de cirurgia aberta, a equipe médica pode demorar até uma hora e meia para chegar na articulação. “Já com a artroscopia, esse tempo é extremamente reduzido, diminuindo o risco de complicações, infecções, dor e outras ocorrências”, completa Marcelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.

google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0