Nossos Vídeos

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

POLICIAL BRASILEIRO É DESTAQUE EM PROVA DA SWAT INTERNACIONAL

Primeiro sulamericano a vencer o Super Swat Cup, Elcio Mello Júnior bateu recorde da prova de força e ficou em terceiro lugar na classificação geral em 2010.

O 'super-tira' Élcio Mello Jr. em ação no SOE-DHPP.

Élcio pode ser visto também durante a competição "Swat Super Cop - 2010", na cidade de Orlando, nos Estados Unidos – no YouTube, em www.youtube.com/watch?v=WfSjn0oFzqU



Élcio Mello Jr., investigador do Serviços de Operações Especiais DHPP (São Paulo), é um vencedor. Não apenas por enfrentar o crime dia após dia, mas por se destacar entre os policiais de elite brasileiros.
Em 2009, o policial de 31 anos venceu o Swat Round-Up International, uma das mais importantes competições entre policiais especiais do mundo inteiro. Realizada em Orlando, nos Estados Unidos, a prova teve sua edição 2010 realizada no início de Novembro. Élcio subiu ao pódio, desta vez em terceiro lugar, mas sagrou-se campeão na prova de força. Ele é, portanto,o policial mais forte da categoria.
Superar quase 550 profissionais do FBI, da NASA, da Swat americana e da polícia de elite de países como Hungria, Jamaica, Alemanha, Canadá e Kuwait é um verdadeiro feito para um policial brasileiro. Élcio Mello Jr. planeja e realiza seus próprios treinamentos, viaja por conta própria e não conta com armamento da polícia paulista.
Élcio Mello Jr.
Para Élcio, que pesa 85 quilos e mede 1.80m, o campeonato serve para testar o policial em todos os sentidos: na terra, no alto, na água, sua flexibilidade, sua força e a sua habilidade em atirar com precisão. “É uma competição para checar se o policial é completo”.
Segundo ele, a participação de um brasileiro no Swat Round-Up é das mais relevantes: “Essa experiência contribui para a melhora da tática em situações reais e me permite avaliar o desempenho individual e coletivo sob condições de forte estresse. A minha participação incentiva o grupo em que trabalho e motiva os policias a manter um bom condicionamento físico”.

Da polícia para as empresas – Além de policial de elite, Élcio Mello Jr. também é muito solicitado para atuar como instrutor de condicionamento e defesa pessoal. Ele ainda é consultor de várias empresas não apenas em questões relacionadas à segurança, mas também no que se refere à motivação. É o que ele faz, por exemplo, na Integralmédica, empresa líder no segmento de suplementação nutricional.
Seus treinamentos motivacionais focam na superação de metas, no trabalho em equipe, no alto desempenho.
“Um superpolicial de elite tem qualidades que podem ser trabalhadas em uma equipe de vendas. E como nossa atividade está diretamente ligada ao esporte e à superação física, nada melhor que um 'super cop' para nos auxiliar”, afirma Andrea Martinato, diretora de marketing da Integralmédica.

Na terra do Superman, o super cop é brasileiro

Neste ano de 2010, Élcio Mello Jr. participou de várias provas individuais:

Firearms Challenge, Florida SWAT Association (FSA/DPMS) – "Desafio das Armas" é uma prova que tem um número limitado de 75 competidores. Aquele que atingir o maior número de alvos em menor tempo é declarado campeão nesta modalidade
Remington Super Sniper – uma competição de tiro de 'sniper' (atirador de elite); o sniper que atinge o alvo o mais próximo possível da posição do “bullseye” (centro pretendido indicado) e o faz em menos de 60 segundos é consagrado campeão
Super Swat Cop – A "Super 'Tira' Swat" é a prova mais considerada; são vários percursos de alta complexidade que incluem corrida, travessia na água, levantamento de peso, tiro, etc. Élcio conquistou o 3º lugar na competição.

Élcio participou ainda do Individual Fitness Challenge e do Team Fitness Challenge, que mede as condições físicas dos participantes referentes a flexibilidade, força na porção superior do corpo e força na poção inferior do corpo.
O brasileiro obteve as seguintes classificações nestas provas:

1º Lugar fitness upper body strenght
4º Lugar fitness lower body strenght
7º Lugar fitness overall

Gabinete Joyce Muller

Trabalhadores de TI passam a ter jornada de 40 horas semanais

Conquista histórica do Sindpd entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2011

Todos os profissionais do setor da Tecnologia da Informação (TI) do estado de São Paulo começaram o ano de 2011 com diminuição de jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais sem redução de salários. A convenção coletiva da categoria, firmada entre o Sindpd (Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação) e o sindicato patronal, estabelece que a partir do dia 1º de janeiro todas as empresas de TI - públicas e privadas - devem aplicar a redução de carga horária. "A luta pelas 40 horas semanais entre o Sindpd e o sindicato patronal foi extremamente complicada, mas nossa mobilização e a participação ativa de toda categoria foi determinante para o sucesso da negociação", afirma Antonio Neto, presidente do Sindpd e da CGTB (Central Geral dos Trabalhadores do Brasil).

Com a conquista, o Sindpd se destaca no cenário sindical, uma vez que a categoria de Tecnologia da Informação é a única a conseguir colocar a redução de jornada de trabalho, sem diminuição de salários, em sua convenção coletiva. "Sem dúvida seremos um exemplo para outros sindicatos e categorias que tentarão obter o mesmo que conseguimos", ainda segundo Neto.

A mudança de carga horária afeta um dos setores mais importantes da economia brasileira e melhora diretamente a qualidade de vida dos trabalhadores de TI, que muitas vezes cumprem turnos de trabalho excessivos e desenvolvem doenças causadas pela atividade exercida no emprego como Lesão por Esforço Repetitivo (LER).

* Claudio Ahrens
Av. Angélica, 35 - Santa Cecília - São Paulo/SP
CEP:01227-000
http://www.sindpd.org.br

Aniversário de SP - Multispectral mostra fotos aéreas da evolução de SP durante meio século

No dia 25 de janeiro São Paulo completa 457 anos. Para marcar a data, a Multispectral Mapas Digitais, pioneira na produção nacional de mapas digitais no Brasil, apresenta um olhar especial sobre a cidade nos últimos 53 anos. Por meio de fotografias aéreas, tiradas em 1958 e em 2008, a empresa verificou que a cidade sofreu mudanças radicais ao longo do tempo, e decidiu disponibilizar estas imagens no seu site: www.geoportal.com.br.

“Ver as transformações da maior cidade do Brasil ao longo de 53 anos é uma experiência incrível para qualquer pessoa que conheça a cidade. É possível redescobrir cada um dos seus locais favoritos”, diz Wagner Pacífico, diretor de Mobilidade da Multispectral.

Em 1958, a Mooca já era um bairro populoso. De lá para cá, é possível notar que a maioria das casas e prédios permaneceu. No Centro, quase todos os prédios já existiam. “A diferença mais incrível é no cruzamento entre as avenidas 9 de Julho e a 23 de Maio e o Anhangabaú”, afirma.

Longe dali, São Paulo ainda era cheia de mato. O final do trecho sul da avenida Nações Unidas se transformou em um grande parque de indústrias. Enquanto as áreas verdes no Parque do Morumbi se mantiveram, todo o restante foi tomado por residências e empresas. O bairro do Morumbi tinha poucas ruas abertas para os primeiros loteamentos. Hoje, a região é dividida entre o bairro mais rico e a maior favela de São Paulo, a Paraisópolis. Já a avenida Engenheiro Luis Carlos Berrini teve sua ampla região desabitada transformada num dos maiores centros comerciais da cidade.

Um passeio por São Paulo revela o crescimento da população no bairro Alto de Pinheiros e a verticalização da população na avenida Paulista. O bucólico rio Tietê, canalizado para a passagem da Marginal Tietê, e a ocupação populacional, que cresceu até os limites de Itaquera. A valorização de bairros como a Chácara Klabin e o aumento de avenidas e veículos em grandes avenidas, como a Bandeirantes e a Washington Luís aparece fortemente.

Em geral, as fotos mostram que São Paulo tinha muito mais verde, e quase nenhum carro. “Com a construção e o alargamento das avenidas, São Paulo mudou muito, e às vezes é difícil de reconhecer o local olhando as imagens de 1958. Por isso, é um teste interessante se localizar através das construções mais antigas, como o Copan ou o isolado Hospital do Servidor, e se surpreender na falta de coisas não tão antigas, como o Cebolão, a avenida 23 de Maio e o MASP”, comenta.


Paraisópolis, SP, em 1958




Paraisópolis, SP, em 2008



Imagem aérea da Represa de Guarapiranga em 1958


Imagem aérea da Represa de Guarapiranga em 2008

Redondezas da Marginal Pinheiros, em 1958


Região de Pinheiros no ano de 2008


Região do Ibirapuera, em 1958



Região do Ibirapuera, em 2008







Foto aérea do Zoológico de São Paulo em 1958



Foto aérea do Zoológico de São Paulo em 2008



Região do Sumaré, SP, em 1958





Região do Sumaré, SP, em 2008


Atividades gratuitas animam o mês das férias no Zoológico de Guarulhos (SP)

Até o final de janeiro, criançada terá oportunidade de visitar o Zoo e participar de atividades como teatro de fantoches e sessões de cinema

O Zoológico de Guarulhos (Grande São Paulo) preparou uma programação especial em janeiro para animar as férias das crianças. Gratuitas, as atividades incluem sessões de cinema e brincadeiras, e serão realizadas de terça a sexta-feira em dois horários: das 10h às 12h e das 13h às 16h, durante todo o mês.
Para as terças-feiras estão programados jogos e pinturas que exploram o tema conservação da biodiversidade. Às quartas, as crianças podem ouvir e contar histórias no teatro de fantoches; às quintas, colorir desenhos de animais em extinção por meio de técnicas de pintura com esponja de aço e páginas de revista. Para fechar a semana, às sextas-feiras serão realizadas sessões de cinema infantil, com filmes que além de divertir, trazem conhecimentos sobre educação ambiental..
Nos intervalos entre as atividades, as crianças poderão aproveitar as atrações do parque infantil, do museu de ciências naturais e da área de exposição, onde vivem aproximadamente 400 animais, entre eles a onça, o casal de leões, o tamanduá e muitos outros.
O Zoológico fica na Rua Dona Glória Pagnocelli, 344, no Jardim Rosa de França, Guarulhos. Mais informações pelo telefone (11) 2455-4999 ou 2455-6497.

Serviço - Programação das atividades (sujeita a alterações):

Jogos e pinturas – terças-feiras (11, 18, 25 de janeiro) das 10h às 12h e das 13h às 16h
Teatro de fantoches – quartas-feiras (12, 19 e 26 de janeiro) das 10h às 12h e das 13 às 16h
Pintura dos animais em extinção – quintas-feiras (13, 20 e 27 de janeiro) das 10h às 12h e das 13h às 16h
Sessão de cinema – sextas-feiras (14, 21 e 28 de janeiro) das 10h às 12 e faz 13h às 16h

Crédito da Foto: Edson Queiroz/PMG

Adaptação é a palavra de ordem

Marcelo Mariaca

Especialistas em carreiras, como Tom Peters, preveem que o emprego em escritórios, aquele que os norte-americanos chamam de colarinho-branco, é um bicho em franca extinção e deverá desaparecer nos próximos anos, pelo menos da forma como está configurado hoje. Em seu lugar, haverá duas novidades: uma nova relação empregatícia e uma maneira de trabalhar totalmente diferente daquela que conhecemos desde o início do século 19.

Essas novidades não representam mudanças radicais como podem aparentar. Basta lembrar que, há 100 anos, as mensagens ainda eram escritas à mão e transportadas por mensageiros; a escrita era penosamente lenta; e as fórmulas e anotações jaziam em enormes livros e caixas. O modo de trabalhar, pelo menos no tocante às funções de escritório, não havia mudado muito desde que foi inventada a impressão, no fim da idade média.

No século 20, o mundo passou por uma revolução tecnológica e administrativa que mudou as relações de trabalho. O telefone, as máquinas de escrever e calcular, o advento das copiadoras, da microfilmagem, do telex, do fax, da telefonia por satélite, do celular e, principalmente, do microcomputador ligado à internet mudaram progressivamente a organização do trabalho nos escritórios. Hoje, a própria relação empregatícia está migrando para contratos Mais flexíveis. O trabalho temporário ou por projeto cresceu de forma vertiginosa, enquanto uma enormidade de funções foi terceirizada ou quarteirizada. Parafraseando o poeta e compositor Vinicius de Moraes, que o emprego seja eterno enquanto dure.

As modernas tecnologias proporcionam grande mobilidade e, em muitos segmentos, não é mais necessário que as pessoas se desloquem diariamente para a empresa. Principalmente nos Estados Unidos e Europa, um grande contingente de profissionais já trabalha em suas casas ou em qualquer lugar que deseje. Basta conferir nas cafeterias, nos aeroportos e no crescente número de lugares com wi-fi.

Porém, nessa era de informação, mobilidade e conhecimento instantâneo, surge a necessidade de equilibrar as habilidades básicas e específicas dos gestores e profissionais. Elas precisam ser adaptadas às mudanças do mercado; a cada inovação tecnológica, a cada atualização ou extinção de serviços, é necessário rever conhecimentos, estar aberto para incorporar outras habilidades e aprender. O ritmo, obviamente, é alucinante: nem bem se familiarizaram com o computador, o executivo tem de dominar e incorporar ao seu cotidiano tecnologias emergentes como Ipod, Ipad e outras inovações.

A pessoa que tem mente curiosa e criativa é o profissional mais capacitado para atender às expectativas do mercado de trabalho atual.

Toda grande mudança gera grandes oportunidades. Os perdedores de amanhã serão aqueles que não querem aprender a se adaptar às novas realidades que virão. Os ganhadores serão aqueles, de todas as idades, níveis hierárquicos e funções, que se mostram disponíveis para assimilar novos conhecimentos e tendências. A capacidade de adaptação é, portanto, uma das principais características do profissional de hoje.

Marcelo Mariaca é presidente do conselho de sócios da Mariaca e professor da Brazilian Business School.

Cartórios emitem certificado digital

Assinatura eletrônica, que comprova a autenticidade de documentos digitais, é cada vez mais exigida

Quando se fala em assinatura, uma das primeiras associações que fazemos é com cartórios. Afinal, são os notários, ou tabeliães de notas, que reconhecem a assinatura, atestando que ela é verdadeira. Agora, com a certificação digital, não será diferente. Os cartórios de notas do estado de São Paulo estão preparados para emitir certificados digitais. Pelo menos 20 cartórios já estão cadastrados para atender a população e dezenas estão sendo credenciados. "A validação dos certificados digitais está inserida na competência dos notários e os cartórios de notas estão preparados para emitir a certificação", explica Ubiratan Guimarães, presidente do Colégio Notarial do Brasil seção São Paulo (CNB-SP).

A partir deste mês, a Prefeitura de São Paulo passará a exigir assinatura eletrônica na emissão de nota fiscal de serviço para contribuintes cadastrados, com exceção para as empresas do Simples Nacional. A demanda, portanto, será grande. Por isso, alerta o CNB-SP, quanto antes as pessoas jurídicas procurarem o cartório, melhor.

Para comprovar a autenticidade de documentos, expressar concordância com alguns procedimentos, declarar responsabilidade, entre outros, há muito tempo são usadas assinaturas, carimbos e selos. Atualmente, porém, muitas dessas atividades passaram a ser realizadas por meio da internet. É aí que entra a certificação digital.

A certificação digital é uma tecnologia de identificação que permite que transações eletrônicas dos mais diversos tipos tenham avaliadas a sua integridade, autenticidade e confidencialidade, evitando adulterações, interceptações ou outros tipos de fraude.