Nossos Vídeos

sábado, 27 de novembro de 2010

Praça na Cohab Juscelino ganha cara nova


Parque Demo Ghidelli - Cohab Juscelino Kubitschek

Novas flores, piso intertravado para caminhada e brinquedos, incluindo escorregador e balanço para a garotada, além de uma casinha de madeira para desenvolver a criatividade das crianças. Tudo isso em uma área 4200 metros quadrados. Esta é a praça da Rua Professor Demo Ghidelli - Cohab Juscelino Kubitschek após a revitalização. Para a Maria Luana Feliz, que mora em um apartamento em frente ao parquinho, o espaço ainda está muito bonito. "Antes esta área era estava com bastante mato, mas agora está linda". E acrescentou: "É bom, porque minha filha terá aonde brincar, já estamos aproveitando este espaço".

Travessa Júlio Acosta recebe calçamento


Travessa Julio Acosta

Solange Ferreira Sobral
Mais um calçamento realizado. Desta vez foi a Travessa Júlio Acosta, Lajeado que recebeu o serviço. Além do calçamento, a rua recebeu guia e sarjeta. Para a Solange Ferreira Sobral, a Subprefeitura atendeu sua solicitação e de seus vizinhos. "Esta 100% melhor. Antes quando chovia eu tinha que sair de chinelo, porque tinha muito barro, e depois colocar meus sapatos de salto, mas agora já posso sair com eles", comemora.

ESPORTE RADICAL EM GUAIANASES


Esporte radical também fez parte da Virada Esportiva 2010 em Guaianases


Na tarde deste último sábado, dia 20 de novembro, durante a Virada Esportiva, o CEU Jambeiro recebeu o campeonato radical de patins com amadores e profissionais.

Cerca de 200 pessoas prestigiaram este esporte radical, inclusive a moradora de Guaianases, Tatiane Mello, 25 anos, que teve conhecimento das atividades pela televisão e foi correndo para o CEU Jambeiro para participar. "Estou achando muito bacana, sempre gosto de participar dos programas da Prefeitura" diz.

Esta é a segunda vez que a vencedora da categoria feminina do campeonato de patins, Franciele Felix, 18 anos, participa deste evento "É muito legal. Este é um incentivo para as pessoas praticarem mais esporte".

Dia da Consciência da Negra foi comemorado em Guaianases


Cerca de 60 pessoas participaram das atividades para comemorar o dia da Consciência Negra, dia 20 de novembro, na Praça Getulio Vargas (Pátio do Mercado Municipal de Guaianases). Uma realização da UneAfro Brasil em parceria com a Subprefeitura de Guaianases.

O professor Jaime Amparo, mestre em questões raciais ministrou uma aula pública sobre o tema: Preconceito contra negro e nordestinos: Que fazer?. Durante sua aula ele ressaltou sobre a importância de ensinar as crianças sobre o significado da consciência negra. Também lembrou das estrofes da música de Elis Regina - Mestre-Sala dos mares.

O evento também contou com um grupo de samba que animou todos que estavam no local, dança afro, Hip-Hop e poesia negra também fizeram parte deste dia.

DEFESA CIVIL EM GUAIANASES

Desassoriameto do córrego Itaquera Mirim
A Defesa Civil da Subprefeitura de Guaianases está realizando uma ação de prevenção de enchentes com limpezas de córregos, bueiros e de vias.

Desde setembro, a Defesa Civil tem se dedicado à prevenção das enchentes, começando pela pintura da régua de nível nos córregos e no piscinão, sendo este o indicador capaz de alertar em caso de alteração do nível da água, ajudando na eficácia do trabalho da Defesa Civil.

Até meados de novembro, foram realizadas, aproximadamente, 1200 metros de limpezas de córregos. Também foram retirados 316 toneladas de resíduos na limpeza de via, e 8552 bueiros limpos. Atualmente, a máquina está trabalhando no córrego Itaquera Mirim, na altura do CEU Jambeiro, considerada uma região crítica.

Além das medidas adotadas para prevenção, a Subprefeitura realiza a distribuição de informativos para os munícipes e coloca cartazes em lugares estratégicos. Nestes cartazes há telefones de emergência, e instruções de como agir antes, durante e depois das enchentes.

Piscinão Pedreira


Queimaduras afetam a pele e a autoestima

Usar remédios caseiros, como manteiga e pó de café, podem piorar a lesão.


A pele do nosso corpo é tão sensível que basta uma encostadinha, durante segundos, no ferro de passar roupa ou no vapor da chaleira para ocorrer uma queimadura. Muitas vezes, alguns poucos minutos debaixo do Sol forte, sem a proteção do filtro solar, são suficientes para gerar dor e ardência. Dependendo da profundidade, a pele se rompe e reage com bolhas e vermelhidão. Com a chegada das férias de verão o número de casos se multiplica e as maiores vítimas são as crianças e os idosos, porque há uma maior exposição aos raios ultra-violeta do Sol sem proteção adequada, práticas de soltar pipas próximo a fios de alta tensão e maior permanência das crianças na cozinha próximo do fogão nesta época do ano.

Desencadeadas por agentes externos - como a eletricidade, frio e calor -, as queimaduras são lesões que exigem cuidado extremo tanto quando forem ser tratadas quanto na hora de socorrer uma vítima. Remédios caseiros e atitudes precipitadas, por exemplo, podem aumentar a seriedade do machucado e deixar marcas profundas na pele e na autoestima.

A maioria dos casos de queimaduras, ocorridos dentro de casa, poderiam ser evitados se fossem tomados alguns cuidados preventivos. Umas das causas mais comuns de queimaduras são os agentes elétricos como bateria de carro, rede elétrica próxima a residências, linhas de pipas, e agentes físicos como o calor do fogão e panelas na cozinha.

O susto provocado por uma queimadura faz com que as pessoas sejam inconseqüentes para conter a dor e possíveis marcas na pele. Segundo o cirurgião plástico Dr Frederico Fernandes, diante dos sintomas e do desespero causado pela possibilidade de ficar com cicatrizes, as pessoas apelam para o uso de substâncias inadequadas na hora de tratar a lesão, o que pode se transformar em uma medida desastrosa. Aplicar café, manteiga, cândida, creme dental, gelo e tantos outros ungüentos no local afetado só agravam a situação. "Não dá para tratar a lesão com receita caseira. Uma pomada não indicada também pode deixar marcas profundas e reversíveis apenas com cirurgia plástica", explica o médico.

As queimaduras são classificadas de acordo com a profundidade e o agente causador da lesão. Esta categorização é importante para se avaliar a previsão de cicatrização e o tempo de cura. Os agentes causadores se dividem em:

Elétricos
Eletricidade, baterias, pilhas, tomadas, descargas elétricas em tempestades

Térmicos
Calor e frio


Químicos
Produtos químicos como cal e soda cáustica (corrosivos), álcool em gel ou líquido

Queimadura de primeiro grau

É uma lesão mais superficial, que resulta na pele avermelhada, inchada e dolorida. Uma exposição prolongada ao Sol, por exemplo, pode desencadear este tipo de lesão.

Queimadura de segundo grau

Causa uma lesão mais profunda, na qual se formam bolhas na pele, que apresentam uma coloração vermelha ou branca e contêm um líquido claro e espesso. A queimadura, dolorosa ao tato, pode ficar branca quando tocada. É a mais dolorosa de todas.

Queimadura de terceiro grau

É o mais profundo e o mais grave nível de queimadura. Caracteriza-se pelo aparecimento de morte do tecido (necrose), pela cor esbranquiçada da pele e pela ausência de dor. A área queimada perde a sensibilidade ao tato. Geralmente, as queimaduras de terceiro grau são indolores porque as terminações nervosas sensitivas da pele são destruídas, explica o cirurgião plástico.

Primeiros socorros

- Tirar a roupa de cima da área queimada;
- Tirar demais acessórios, como anéis e cordões, para que o inchaço natural do corpo não comprometa a circulação;
- Interromper a ação do agente causador da queimadura na pele. Para cada agente causador existe um tratamento específico. Isso pode ser feito com a utilização de água corrente na zona lesada. Um jato fraco e demorado de água fria ajuda a resfriar a lesão e é o melhor tipo de tratamento imediato para a queimadura.

Porém, em determinadas lesões, o uso da água também agrava o problema. Se o agente causador da queimadura for soda cáustica, por exemplo, que reage com água, deve-se retirar o produto com um pano macio.

O que não fazer

- Não cubra a vítima com cobertores sintéticos, pois são inflamáveis;
- Não fure as bolhas, porque podem resultar em uma infecção;
- Não jogue produtos como a clara de ovo, creme dental, pó de café, açúcar, entre outros, mas sim, encaminhe a vítima para um médico;
- Não aplique água com gelo na lesão, pois o objetivo da água é resfriar e estabilizar a temperatura do corpo. O gelo vai esfriar demais a pele, abaixando muito a temperatura, o que aumentará a dor da vítima;
- Não abafe a área afetada com ataduras, gazes ou algodão até o primeiro atendimento médico.

Tratamento

De maneira geral, as queimaduras de primeiro grau podem ser tratadas clinicamente com a utilização de curativos específicos, de ação calmante. Já as lesões mais graves, têm um tratamento inicial com pomadas, hidratação com óleos vegetais e, frequentemente, necessitam de procedimentos cirúrgicos, como a realização de enxertos de pele, pois a morte da pele exige este tipo de reparação. Seja qual for o tratamento, ele deve ser recomendado e acompanhado por um médico especialista.

Atendimento multiprofissional

Os danos causados por uma queimadura mais grave vão muito além da dor e aparência. O trauma, as cicatrizes deixadas na pele e a sensação de ter deixado de ser o que era, além da dificuldade de movimentar certas partes do corpo queimado fazem com que os pacientes se sintam feios, mutilados e fiquem com a autoestima abalada. Desta forma é fundamental que o paciente receba atendimento de diversas áreas entre as quais fisioterapia, terapia ocupacional, psicologia, enfermagem e cirurgia plástica.

Dr. Frederico Fernandes Cirurgia Plástica
Rua Américo Salvador Novelli, 154, salas 205/206, Itaquera, São Paulo.
Tel. (11)2056-0963 e 2056-1006