Nossos Vídeos

sábado, 29 de maio de 2010

Escola usa ergonomia para garantir boa postura aos alunos e melhor alimentação

Móveis e até colheres foram personalizados para o bem-estar dos alunos

Altura das mesas, apoio para os pés, tamanho das colheres. Pequenos detalhes que podem fazer muita diferença quando o assunto é o bem estar de crianças que passam até 10 horas na escola. Foi pensando em melhorar o atendimento e conforto de seus alunos, que o Berçário e Pré-escola Ponto Omega, no Jardim Paulistano, fez uma inovação: contratou os serviços de uma fonoaudióloga e de uma fisioterapeuta para avaliar as características motoras e fonéticas de seus alunos e adequar os móveis e acessórios ao perfil de cada criança.

"Não basta oferecer mesas, cadeiras e talheres indicados para esta faixa etária. Cada aluno é único. Ele pode ter a estatura maior ou menor que a média e precisa estar confortável para passar tantas horas na escola com qualidade, sem prejuízo para a sua postura", explica Maria Grupi, diretora da escola. Até a questão da alimentação foi levada em conta. "Queria saber se o tamanho da colher era o ideal para cada criança. Tinha a preocupação que pudessem engasgar, caso o talher fosse maior que o ideal, ou que ficassem mal alimentadas, se a colher fosse menor que o adequado", completa.

Na primeira etapa do trabalho, a fonoaudióloga Samar El Malt e a fisioterapeuta Laiali Chaar conversaram com pais e professores e avaliaram a linguagem e a coordenação das crianças, com o objetivo de detectar dificuldades e realizar um trabalho preventivo. "Entre 5% a 10% das crianças em idade escolar têm distúrbio de coordenação, o que pode provocar dificuldade para escrever e aprender no futuro", conta Laiali.

Na segunda etapa, partiu-se para a intervenção no mobiliário da escola. Foram medidos o tamanho e altura das mesas, a altura das cadeiras, da bancada do computador e até o tamanho das colheres. "Apesar da pouca idade, é comum casos de crianças com desvio de coluna por causa de mochilas muito pesadas e de má postura. Por isso é importante que a criança sente corretamente e, para isso, ela precisa usar cadeiras e mesas adequadas para a sua faixa etária", explica Laiali. Agora, durante a aula de informática no Ponto Omega, por exemplo, cada aluno tem a altura da bancada e da cadeira regulados para o seu tamanho, individualmente. A idéia é que, anualmente, as profissionais retornem à escola para avaliarem as mudanças dos alunos e adequarem as medidas do mobiliário.

Por último, foi feito um trabalho com os recreacionistas. Eles foram instruídos sobre o talher adequado para cada criança e o intervalo ideal entre as colheradas. "Fizemos mudanças pontuais que garantiram maior bem-estar para nossos alunos", finaliza Maria Grupi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.

google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0