Nossos Vídeos

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

COMO ESCOLHER UMA CLÍNICA PARA O TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA E DO ALCOOLISMO

Itens como clareza no atendimento, multidisciplinaridade dos profissionais que compõem a equipe, situação legal da unidade de tratamento e seu tempo de funcionamento, devem ser avaliados na hora de buscar ajuda profissional para o tratamento de um vício

Como funciona, quanto custa e como é feita a internação. De acordo com o diretor da Central Terapêutica - especializada no encaminhamento e tratamento de pessoas dependentes de drogas e álcool - Adriano Alves essas são as dúvidas mais frequentes no primeiro contato de uma família ou do futuro paciente com uma clínica que oferece o serviço de tratamento para desintoxicação. Para o especialista, essas questões são fundamentais, mas o levantamento de informações deve ser ainda mais amplo durante o processo de escolha de uma unidade de tratamento. “Conhecer a infraesturura, a equipe de profissionais, os modelos de tratamento e a idoneidade do local traz segurança e torna mais fácil a decisão pelo tratamento”, afirma.

Com formação terapêutica e uma vasta experiência no segmento, Adriano acredita que a avaliação deve começar a ser feita já no contato inicial com a clínica. “O atendimento demonstra a estrutura que se apresenta no tratamento”, alerta. “Consultores profissionais e qualificados a dar todas as informações sobre o tratamento são indispensáveis”. Conhecer pessoalmente o local onde o tratamento será realizado é outro ponto fundamental. “Visitar a unidade de tratamento antes de se internar ou de internar um familiar é muito importante. Além de conhecer as instalações esse contato permite conhecer as pessoas que vão cuidar do paciente”.

Na hora de verificar o espaço vale lembrar que nem sempre instalações prediais significam competência no tratamento. “Instalações luxuosas, com alto conforto e lazer, geralmente não buscam resgatar os devidos valores nos pacientes”, opina. “Durante o tratamento é indispensável momentos de lazer e recreação, porém as atividades terapêuticas devem ser o foco da permanência no local”. Itens como a higiene, monitoramento e segurança devem ser avaliados. “O ideal é que a clínica disponha de uma equipe contratada e que e nunca sejam utilizados os próprios pacientes para assumir cargos de responsabilidade”.

O tempo de funcionamento e situação legal da empresa são fatores importantíssimos e podem ajudar os interessados a diferenciar amadores de profissionais. “Existem muitas clínicas clandestinas e isso negativa a imagem de quem trabalha sério, por isso é fundamental consultar sempre os registros básicos indispensáveis do local”. São eles: Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ); Licença da Agência Nacional de Vigilância Sanitária; Reconhecimento pelo Ministério da Justiça; Cadastro na SENAD (Secretaria Nacional Antidrogas); Alvará de Funcionamento municipal; Alvará do Corpo de Bombeiros; CNES(Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde) - Ministério da Saúde.

Um dos maiores medos dos familiares e dos futuros pacientes é que a violência seja utilizada em algum momento dentro da clinica. O especialista afirma que a presença constante de equipes de enfermagem e seguranças profissionais garante a segurança dos pacientes. “Nenhuma clinica está livre de problemas, porém o diferencial está na resposta que cada uma dá aos problemas do dia a dia.” Outra dica é sempre buscar informações com os profissionais que são responsáveis pelo tratamento. “É importante que a família procure falar com um psicólogo ou terapeuta ocupacional”.

O valor do tratamento também pode ser usado como parâmetro no processo de escolha. “Atualmente um paciente custa entre R$ 1.400 a R$ 2.100 por mês”, revela. “Um valor inferior a isso pode significar atendimento precário da unidade de tratamento. É importante lembrar que manter uma equipe com psiquiatra, psicólogos, enfermeiros, seguranças e demais profissionais qualificados demanda custos”.

Desconfie de uma clínica que ...
• Não tem um tempo pré-estipulado para o tratamento;
• Não passa todas as informações por telefone, inclusive valores (quando valores são passados apenas após avaliação sócio-familiar);
• Não tem um endereço administrativo fixo e de boa localização;
• Não conta com uma equipe multidisciplinar. Um bom exemplo são os locais onde a mesma pessoa que atende o telefone é aquela que irá buscar o paciente e permanecerá com ele em tratamento

Um bom exemplo
O Centro Terapêutico Novo Horizonte é uma das unidades de tratamento que compõem a rede Central Terapêutica. Localizada em uma fazenda histórica da cidade de Itu, interior de São Paulo, a sede para internações tem cerca de 40.000m2 e capacidade para atender 60 pacientes do sexo masculino. Certificado por todos os órgãos competentes, o Centro Terapêutico Novo Horizonte oferece quatro programas de tratamento que tem duração mínima de seis meses, nos quais o paciente receber atendimento psicológico diário e desenvolve uma rotina que tem como foco a disciplina e trabalho em grupo. Com mais de 20 anos no mercado, a unidade possui equipe de remoção totalmente especializada e terceirizada, especialistas em saúde e comportamento – psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais e holísticos, enfermeiros, nutricionistas e assistentes sociais – segurança 24 horas e divisão de ambientes dependendo do estágio de recuperação.

SERVIÇO:
http://www.centralterapeutica.com.br/
11 4022-8870 / 11 3522-7399
*
*
*
*
*
Publicidade:












Empregos por Careerjet

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.

google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0