Nossos Vídeos

terça-feira, 8 de setembro de 2009

NA SELVA DAS CIDADES em cartaz na sala Renée Gumiel > até 11/10

NA SELVA DAS CIDADES VOLTA AO TEATRO, APÓS 40 ANOS, PELAS MÃOS DO DIRETOR MARCELO MARCUS FONSECA

Relação do homem com o dinheiro é o foco de peça que entra em cartaz no dia 11 de setembro.

A Cia Teatro do Incêndio, por meio do diretor Marcelo Marcus Fonseca, traz novamente para São Paulo a peça “Na Selva das Cidades”, de Bertolt Brecht. A peça que completa 40 anos da primeira encenação estreia no dia 11 de setembro, às 21h30, na sala Renée Gumiel, do Complexo Cultural Funarte São Paulo, com preços populares.

A montagem apresenta uma releitura do texto com adaptações para a atual realidade do País. Em cena, 13 atores dão vida à implacável luta pela sobrevivência na destruição causada por dois homens, que se enfrentam sem motivo algum. A peça expõe a relação do homem com o dinheiro (fisicamente), sendo ele praticamente o protagonista de toda a história. “Queremos que as pessoas saiam do teatro e façam uma reflexão sobre o que acabaram de ver. Estamos convidando as pessoas a pensarem”, comenta Marcelo Marcus Fonseca.

A disputa pelo poder e a ganância do ser humano moderno que destrói seu semelhante sem saber por que surge no texto de maneira bem explicita. “A peça é um retrato de uma sociedade agressiva, egoísta e intolerante que massacra a delicadeza e compra opiniões em um mundo onde as pessoas estão se destruindo cotidianamente e destruindo tudo em sua volta”, completa Fonseca.

Outro ponto auge da montagem são as músicas originalmente compostas que trazem uma boa dose de rock pesado até melodias inspiradas na sinfonia “Floresta do Amazonas”, de Villa-Lobos. O ator Wanderley Martins, um dos apaixonados pela obra de Brecht desde os anos 70, declama o poema “Lenda do Soldado Morto”, de autoria do próprio autor, e responsável pela colocação do nome de Brecht em quinto lugar na lista negra dos que seriam assassinados se o “putsch” de Hitler em 1923 tivesse vencido. O poema surge na montagem em uma versão musical com acordes eletrizantes de guitarra transformando-se em uma opera moderna. Já a cantora Cida Moreira empresta a sua voz em versões de canções conhecidas pelo grande público.

Na Selva das Cidades foi apresentada pela primeira vez no Brasil há exatos 40 anos, pelo Teatro Oficina. Na época contou com a direção de José Celso Martinez Correa, que participa da atual versão em voz “off”. Na época o Brasil vivia o regime da ditadura militar.

Está é a terceira incursão da Cia Teatro do Incêndio na obra do autor alemão Bertolt Brecht. O grupo traz em seu currículo as bem sucedidas montagens de “Baal – O Mito da Carne” (1996) e “A Boa Alma de Setsuan” (2005), criando uma identificação própria com o dramaturgo, trazendo uma leitura particular das obras do autor.

Sobre o Teatro do Incêndio
Fundado em 1996, o Teatro do Incêndio, dirigido por Marcelo Marcus Fonseca, Liz Reis, João Urbílio e Wanderley Martins, procura desenvolver um trabalho de pesquisa cênica apoiado na dramaturgia de qualidade, refletindo sobre a condição do homem na sociedade moderna. Trabalhos realizados: La Ronde (2008), de Arthur Schnitzler; Todos os Homens Notáveis (2006), de Marcelo Marcus Fonseca; A Boa Alma de Setsuan (2005), de Bertolt Brecht; Odile (2003), de Marcelo Marcus Fonseca; Anjos de Guarda (2001), de Zeno Wilde; Beatriz Cenci (2000), de Antonin Artaud; Salve o Prazer – Assis Valente (1999), evento promovido pela Secretaria de Estado da Cultura; Exercício Aeróbico Para Padre e Banda – Opus 1999 (1999), de Sade; Festival OcupArena (1999), idealizador e diretor deste festival, reunindo sete companhias de teatro na sala superior do Teatro de Arena Eugênio Kusnet; A Filosofia na Alcova (1999), de Sade; Chá Com Sade (1998), evento com José Celso Martinez Correa, Jorge Mautner, Iacov Hillel para discussões e leituras da obra do Marquês de Sade; Brecht 100 Anos (1998), no Sesc Vila Mariana e outras 10 unidades do Sesc do Interior de São Paulo; O Balcão (1997), de Jean Genet; e Baal - O Mito da Carne (1996), de Bertolt Brecht.

Sinopse: Na Selva das Cidades
Personagens lutam pela posse da alma do outro. O humor cínico, a poesia e a música, ao vivo, dão o tom da montagem onde dois homens se destroem sem motivo.

Ficha Técnica
Autor: Bertolt Brecht
Direção: Marcelo Marcus Fonseca
Direção musical e trilha original: João Urbílio
Figurinos: Liz Reis, Fernanda Ruivo e Renan Serrano
Cenografia: Sérgio Ricardo e Marcelo Marcus Fonseca
Iluminação: Renato Lopes
Fotos: Pya Lima
Visagismo: Ivon Mendes e João Urbílio
Assistência de direção: Ricardo Mancini
Projeto gráfico: Giuliano Henrique de Carvalho
Elenco: Liz Reis, Rene Ramos, Wanderley Martins, Marcelo Marcus Fonseca, Zaíra B. Alves, Augusto Cesar, João Urbílio, Valdir Zanquini, Nader Ghosn, Maria Paula Uchoa, Sergio Ricardo, Thiago Molfi e Ricardo Mancini
Produção e Realização: Cia Teatro do Incêndio

Na Selva das Cidades
Estréia: 11 de setembro
Horários: Sextas e sábados às 21h30 e domingos às 20h30
Local: Funarte - Sala Renée Gumiel
Capacidade: 70 lugares
Endereço: Al Nothmann, 1058, Campos Elísios
Telefone: 11 3662 5177
Duração: 120 minutos
Estacionamento: ao lado
Temporada popular até 11 de outubro: R$ 10,00 e R$ 5,00
Acesso a deficientes físicos: sim
Recomendada para maiores de 14 anos
Importante: Não aceita cheque/cartão - Ar condicionado e acesso universal.
*
*
*
Publicidade:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.

google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0