Nossos Vídeos

sábado, 18 de dezembro de 2010

Guarulhos faz representação no MP contra Prefeitura de SP

A construção de uma barragem para contenção de enchentes no Jardim Romano, na divisa de Guarulhos (Grande São Paulo), levou a Secretaria de Meio Ambiente a entrar com uma representação no Ministério Público Estadual (MPE) contra a Prefeitura de São Paulo. A primeira reunião para resolver o impasse ocorreu nesta quinta-feira (16), na sede do no MPE. As obras, apesar de minimizarem o impacto das cheias do Tietê na capital, vão elevar em seis centímetros o nível das águas no Jardim Guaracy e na Vila Izildinha – locais que sofrem constantes alagamentos, e que, no ano passado, nesta mesma época, estavam submersos.
O MPE se mostrou favorável ao pedido da Prefeitura de Guarulhos para regularização da obra, e definirá, na próxima semana, um cronograma de trabalho emergencial para que a população não seja prejudicada. “Essa situação poderia ser evitada se tivesse havido uma conversa entre as cidades”, afirma o secretário de Meio Ambiente de Guarulhos, Alexandre Kise.
Segundo ele, do ponto de vista legal, a construção da barragem foi irregular. Primeiro, porque não recebeu licenciamento da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) – o que seria imprescindível, uma vez que o impacto incide sobre os dois municípios limítrofes. Segundo, porque a Prefeitura de Guarulhos não foi comunicada sobre as obras. A barragem tem aproximadamente 1,5 metro de altura e 1.400 metros de extensão e as águas por retidas vão afetar diretamente todas as residências construídas nas áreas de várzea.
Participaram da reunião técnicos do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) de São Paulo, e das Secretarias de Meio Ambiente, Obras e Assuntos Jurídicos de Guarulhos. “Vamos fazer novas reuniões nos próximos meses. Seis centímetros parecem pouco, mas podem provocar estragos em Guarulhos, ainda mais na época das chuvas de verão”, destaca o secretário.

Fonte: Libris - Orquestra Jovem

ÓLEO DE AMENDOIM SEMENTES ESPERANÇA É DICA NO PREPARO DE RABANADAS PARA O NATAL

Para garantir uma sobremesa crocante, o óleo de amendoim, resistente a altas temperaturas, é o mais indicado na hora de fritar essas pequenas delícias

Símbolo de prosperidade e fartura, a rabanada é uma sobremesa fácil de preparar, mas nem por isso menos apreciada pelos paladares mais exigentes. Seu nome é originário da região norte do Rio Mondego, em Portugal. Ao sul de Mondego, a sobremesa costumava ser conhecida como fatia dourada ou ainda fatia de mulher parida e fatia de parida. Isso porque, as pequenas delícias fariam parte da dieta recomendada às recém-paridas em resguardo, ajudando-as a produzir leite.
Sem cerimônia, no Brasil, a herança lusitana está presente no café da manhã dos nordestinos durante o ano todo, sem data certa para saciar-lhes o apetite. No Sul e Sudeste, muitas vezes acompanhadas por geléias e preparadas com licores, a sobremesa conquistou lugar certo nas ceias de Natal, acompanhando a evolução de hábitos religiosos portugueses, como a própria “consoada” (ceia). Ali, o jejum durante as vigílias que celebravam o nascimento de Jesus foi, aos poucos, substituído pela refeição farta, celebrada no dia 24 de Dezembro.

ALIMENTO MAIS NUTRITIVO

Sem cheiro ou sabor, o óleo de amendoim é mais resistente do que os demais óleos e azeites, quando exposto a altas temperaturas. “Enquanto outros tipos de óleos vegetais e até mesmo o azeite extra-virgem passam a perder nutrientes quando aquecidos a um calor superior a 180º, como é o caso da fritura, o óleo de amendoim resiste a 220º, perdendo, portanto, menos nutrientes e deixando os alimentos menos carentes de seus compostos naturais. Isso significa que o óleo de amendoim é, comparativamente, mais resistente à oxidação, além de não engrossar, não soltar fumaça nem escurecer durante o processo de fritura”, explica o engenheiro de alimentos da Sementes Esperança, Rafael Bedore.

FAÇA SUA RABANADA

A receita de rabanada é muito simples e pode ser preparada facilmente. Basta aproveitar pães adormecidos, cortando-os em rodelas, umedecê-las em leite, passar as fatias em ovos peneirados e ligeiramente batidos e fritá-las em óleo quente. A dica de Bedore é utilizar a gordura certa, para que a sobremesa fique crocante por fora e macia por dentro. “O óleo de amendoim é mais resistente à oxidação do que outras gorduras vegetais, além de evitar a perda de nutrientes do alimento, irá garantir a crocância e o sabor do prato”, afirma. Fritas, basta escorrer as fatias e envolvê-las em açúcar e canela. Para receitas mais elaboradas, vinho tinto ou branco pode ser adicionado ao leite para hidratar as fatias. Nesse caso, além de polvilhar as rabanadas com açúcar e canela, pode-se regá-las com calda de açúcar ou mel.

No dia da ceia, não é preciso sequer lavar os pratos. Seguida à risca, reza a tradição portuguesa que os restos de comida podem ficar à mesa, em respeito aos mortos da família ou para que o Menino Jesus venha se alimentar.


DICA DE RECEITA SEMENTES ESPERANÇA

1 lata de leite condensado
A mesma medida de leite
10 fatias de pão francês amanhecido
3 ovos batidos com 1 pitada de sal
Óleo de amendoim Sementes Esperança para fritar
Açúcar refinado misturado à canela em pó



Modo de Preparo:

Em uma vasilha, misture o leite condensado com o leite. Umedeça as fatias de pão nessa mistura. Retire-as com uma escumadeira e deixe escorrer um pouco antes de passá-las no ovo batido. Coloque óleo de amendoim Sementes Esperança em uma frigideira antiaderente e vá fritando as rabanadas no óleo quente, até que estejam douradas e crocantes. Nesse ponto, retire-as e escorra em papel absorvente. Passe as fatias na mistura de açúcar com canela e sirva em seguida. Para enfeitar o prato utilize calda de caramelo, chocolate ou morango ou ainda algumas gotas de groselha.



Sobre a Sementes Esperança

Pioneira na fabricação de produtos à base de amendoim, a Sementes Esperança conta com três unidades (todas instaladas na cidade de Jaboticabal, a 330 km de São Paulo), e ganha cada vez mais destaque no mercado interno e externo. Sempre à frente de ações pioneiras, a empresa aposta agora na reintrodução do Óleo de Amendoim refinado no mercado brasileiro. Sucesso de vendas em exportação há sete anos, o produto começou a ser comercializado por aqui em embalagens PET de 900 ml, para o setor de varejo, e à granel, para o segmento Food Service.

http://www.sementesesperanca.com.br/