Nossos Vídeos

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Exposição "Desfiar arte. Desvestir corpos" de 6 a 30 de abril


Fotos: João Paulo Barbosa

A artista plástica Helena Lopes traz a São Paulo a inédita exposição “Desfiar arte. Desvestir corpos” em três séries produzidas especialmente para a mostra. Serão apresentadas 24 pinturas-decalques sobre finíssimo papel japonês tenjugo 10 g/m2, criadas a partir de uma folha de Monstera, planta popularmente conhecida como costela-de-adão, que figura como o elemento estruturador da sua obra. A mostra acontece na galeria Arte Infinita, de 6 a 30 de abril, com entrada franca.

Nanquim, tinta acrílica, neutrol, fios, alguns feitos com pó do cerrado, e impermeabilizantes são utilizados nas obras. Na série preto e branco, o nanquim, uma tinta fluída, é depositado sobre o papel e vai se espalhando até o limite demarcado pela aplicação do impermeabilizante. As áreas demarcadas, claro e escuro, se justapõe e se expandem através das sombras que emergem entre esses espaços, enriquecendo a composição.

Já na série azul, a imagem é criada com o uso de uma espessa camada de tinta acrílica. Aberturas, buracos e rasgos oxigenam o espaço e provocam um jogo de forças entre a transparência do papel e o impasto da tinta, sugerindo que a imagem quer sair do seu espaço bidimensional. “Um sutil fio feito com pó vermelho do cerrado é usado para completar a composição, estabelecendo divisões espaciais que surpreendem o espectador pelo aspecto quase infrareal”, explica Graça Ramos, curadora da exposição.

Nas caixas-varal, outra série da exposição, o papel é tratado com impermeabilizante e pó do cerrado antes de receber a imagem. Partes da Monstera foram recobertos com neutrol e transferidos para o papel com o auxílio de um ferro de engomar. Os materiais se fundem pelo calor, recriam as formas e são dependuradas no varal como vestimentas depois de engomadas.

“A obra de Helena Lopes concentra-se na provocação ao despojamento. A série de pinturas-decalques apresentada nesta exposição configura uma imagética de regresso à pele do corpo e, em deslocamento crítico, à da arte. O conjunto dos trabalhos estimula a reinterpretação de antigas construções simbólicas que levaram ao excesso de vestimenta e, por desvio semântico e rigor poético, indagam sobre as inúmeras texturas do fazer artístico”, conclui Graça Ramos.

Helena Lopes - Paulistana, moradora de Brasília há 35 anos, começou sua carreira na década de 70 quando ingressou no curso de Artes Plásticas da Universidade de Brasília (UnB). A artista já participou de mais de 30 exposições individuais e coletivas, como expositora ou curadora. Internacionalmente, suas obras estiveram expostas em eventos em Londres, Havana, Miami, Porto Rico e Cidade do México.

Serviço
“Desfiar arte. Desvestir corpos”
Dias: 6 a 30 de abril
Horário: Segunda a sexta, das 10h às 18h. Sábados, das 10h às 14h.
Local: Galeria Arte Infinita – www.arteinfinita.com.br – (11) 3032-3151
Endereço: Rua Mateus Grou, 629.
Entrada franca

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.

google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0