Nossos Vídeos

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Plástica pós-parto: maior perda é de convivência

Após meses de gestação, a grávida passa por diversas alterações físicas e endócrinas, como ganho de peso e perda da elasticidade da pele nas áreas em que os tecidos foram estirados. Essas mudanças despertam o interesse de muitas mulheres na cirurgia plástica, sendo as mais procuradas as de barriga, lipoaspiração e mamas.

“Para essas novas mamães que desejam retomar suas formas ou apenas esperavam o nascimento de seu filho para, finalmente, se submeter ao procedimento cirúrgico, o ideal é esperar cerca de seis meses, pois o pós-parto ou pós-cesário geram perdas de sangue, inchaços entre outros detalhes que comprometem os resultados das cirurgias plásticas”, analisa Wagner Montenegro, cirurgião plástico.

Não existe realmente um perigo em realizar a cirurgia antes disso (além do comprometimento do resultado final), contanto que os exames laboratoriais estejam em ordem, sendo esse o entrave maior, pois, antes dos dois meses, é muito difícil que esses exames apresentem resultados satisfatórios para a realização de cirurgias plásticas. Dependendo do estado dessa paciente, exames e tudo o mais, pode-se adiantar algum procedimento.

“Antes desse período e cuidados, só situações especiais podem ser antecipadas, como, por exemplo, uma flacidez de pele enorme ou um grande afastamento da musculatura abdominal, podendo provocar uma hérnia. Ou seja, quando há uma razão maior que somente a estética, explica Montenegro.

“Há casos de pacientes que fizeram a cesária e a cirurgia de barriga juntos e não tiveram complicações, mas o resultado foi comprometido, pois o corpo da mulher não se encontra em seu estado natural, dificultando para o cirurgião medir, por exemplo, quanto de pele pode ser retirando” diz Wagner.

Com relação à mama, especificamente, o processo de reversão é de dois meses e as próteses não atrapalham a amamentação. Lembrando ainda que amamentar com prótese não causa queda. Não tem ligação. Isso esta relacionado a genética da paciente.

“Para os demais procedimentos, aumentar o peso indicado pelo obstetra durante a gestão, no pós-parto amamentar o filho, que ajuda a reduzir o peso, uma redução alimentar para voltar ao peso inicial e estar preparada de forma saudável garantem a possibilidade de fazer uma cirurgia plástica o mais rápido possível, de forma segura e sem perder uma importante fase da relação com o bebê, pois durante o pós-operatório há dificuldade de movimentação”, finaliza Wagner.

O mais importante é consultar um cirurgião plástico depois de 30 dias a dois meses para fazer uma avaliação.

Dr. Wagner Montenegro
Serviço:
Montenegro Cirurgia Plástica
Tel: (11) 5539-1811
www.plasticamontenegro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.

google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0