Nossos Vídeos

sábado, 16 de janeiro de 2010

Abimóvel - IPI e aumento dos paineis de madeira

Abimóvel quer abrir canais de conversação entre fabricantes de painéis para móveis e governo

Principal responsável pela conquista da redução de IPI para o setor, entidade quer evitar que benefício seja cancelado pelo Ministério da Fazenda

A Abimóvel (Associação Brasileira da Indústria do Mobiliário) quer evitar que o Governo Federal cancele a redução do IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) concedida em novembro para móveis e painéis de madeira. Para isso quer estabelecer um diálogo entre o Ministério da Fazenda e os fabricantes de painéis de madeira que, mesmo com o benefício fiscal, aumentaram os preços em até 8,5%, desde o início deste ano. A decisão coloca em risco a continuidade da medida, que vale até 31 de março.
“É uma situação delicada porque houve uma quebra de acordo com o governo. A Abimóvel vem lutando por isso desde 2007 e não podemos deixar que tudo tenha sido em vão. Vamos fazer o possível para sensibilizar o setor fabricante de painéis de que a redução do IPI é fundamental para toda a cadeia produtiva”, afirmou José Luiz Diaz Fernandez, presidente da Abimóvel. Só em 2009, para que o benefício virasse realidade, ele esteve reunido com lideranças governamentais tais como o ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge, o ministro do Trabalho, Carlos Luppi e o presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Luciano Coutinho.

A expectativa era de que, com a redução do IPI, o setor iniciasse uma recuperação, visto que, entre maio e outubro, teve queda de até 10% mensais. No mesmo período, também beneficiada pela diminuição do imposto, a linha branca (eletrodomésticos de grande porte como fogões e geladeiras) registrou aquecimento de vendas de até 25%. ‘Esperamos um aumento de até 5% mensais nas vendas até o final do benefício, mas, para isso, é preciso que todos estejam engajados e cientes da importância de se cumprir o acordo”, ressaltou Fernandez. Os painéis representam cerca de 60% do valor dos móveis populares no varejo.
A Abimóvel quer evitar, ainda, que se abra uma guerra aos fabricantes de painéis, mas vem recebendo pressões nesse sentido. Tanto é que pode pedir esta semana que o Imposto de Importação das chapas seja reduzido, para se estabelecer um clima de preços mais competitivos no mercado. “Caso o diálogo não seja possível, vamos fazer de tudo para que a confiança não seja quebrada. Para isso, precisamos manter o acordo de diminuir os preços dos móveis, que foi um pedido pessoal do ministro da Fazenda, Guido Mantega”, disse Fernandez.

Cadeia Produtiva

No Brasil, a cadeia produtiva do setor moveleiro é formada por oito indústrias de painéis de madeira e mais de 17 mil de móveis, responsáveis pela geração de aproximadamente 260 mil empregos formais, sendo a nona força de trabalho no país, segundo o IBGE. Merece destaque, também, o fato de que 90% dos insumos dos móveis são produzidos no país, sendo 100% de madeira de reflorestamento provenientes de 500 mil hectares de florestas plantadas, segundo pesquisa realizada pela Abimóvel. Isso promoveu investimentos de mais de R$ 2,4 bilhões nos últimos cinco anos no Brasil, com crescimento acima de 80%, entre 2004 e 2008.

O setor foi abalado, no entando, pela crise econômica que eclodiu no segundo semestre de 2008, freando um pouco o otimismo do mercado, que registrava um faturamento de R$ 27 bilhões no ano, superior aos R$ 22 bilhões de 2007. Em 2009 houve uma queda de 10% nos negócios internos, principalmente por conta do aumento de vendas de eletrodomésticos e automóveis, agraciados com benefícios fiscais oferecidos pelo governo como a redução do IPI.

“Registramos cerca de 30 mil. demissões nos empregos diretos. Isso siginficou uma perda de 11% da força de trabalho, principalmente em empresas exportadoras. Uma tradicional empresa de São Bento do Sul, por exemplo, teve que fechar as portas depois de 50 anos no mercado”, explicou Fernandez.
*
*
*
PUBLICIDADE:
Preço e estoque por tempo limitado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.