Nossos Vídeos

domingo, 31 de janeiro de 2010

Mais uma alternativa contra o cigarro

Combate ao tabagismo pode ser realizado através do Balão Intragástrico

Sensação intensa e prolongada de saciedade proporcionada pelo Balão gera uma fonte alternativa de prazer ao organismo e ameniza a vontade de fumar

A colocação de Balão Intragástrico é uma técnica auxiliar na perda de peso indicada a pessoas que estão no sobrepeso, na obesidade leve ou obesidade moderada. Procedimento minimamente invasivo, ele tem como princípio diminuir a cavidade gástrica, já que ocupa lugar no estômago e transmite à pessoa sensação de saciedade, levando o paciente a uma menor ingestão de alimentos e, portanto, perda de peso. Introduzido por via endoscópica e sem a necessidade de intervenção cirúrgica, o Balão pode permanecer no estômago por até seis meses.

Além da ajuda na perda de peso e consequente benefício para a saúde, outro fator positivo é a possibilidade de o Balão auxiliar o paciente a parar de fumar. “Para chegar a essa conclusão, é preciso entender o funcionamento de nossa digestão e da relação cerebral entre comer e fumar. A ação do tabaco mimetiza a liberação de substâncias que geram prazer ao organismo. A presença do balão no estômago gera efeito de saciedade, que também libera tais substâncias prazerosas no corpo, e é aí que o tratamento se interpõe ao fumo, pois ambos acabam gerando uma fonte alternativa de prazer e saciedade”, revela o médico Dr. Luiz Eduardo Rossi Campedelli, do Hospital Israelita Albert Einstein.

Ele complementa: “É claro que o Balão por si só não é capaz de tal feito. Para parar de fumar definitivamente o paciente precisa de muita motivação e força de vontade, já que ainda não foi descoberta uma maneira para cessar com o tabagismo sem a necessidade de grande esforço por parte do fumante”, afirma Dr. Campedelli.

Quando questionado sobre a possibilidade de o paciente substituir o cigarro por alguma outra compulsão, o médico é bastante direto. “A sensação de plenitude gástrica e de prazer do tabagismo geram a mesma linguagem no organismo. E esse prazer desenvolvido no corpo pode não ser contido e virar um transtorno compulsivo. Qualquer pessoa portadora de uma compulsão pode substituí-la com grande facilidade. É por esse motivo que o tratamento deve ser acompanhado por uma equipe multidisciplinar, incluindo o acompanhamento psicológico, já que o paciente passará por transformações marcantes e deverá adquirir novos hábitos para que não haja perda no resultado do tratamento a longo prazo”, finaliza.
*
*
*
PUBLICIDADE:
Estoque e preço por tempo limitado


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.

google.com, pub-9993468695929690, DIRECT, f08c47fec0942fa0